Judiciário

Sábado, 09 de Novembro de 2019, 14h:14 | Atualizado: 10/11/2019, 07h:49

Radicalismo

Ministro critica excessiva interferência judicial: vamos deixar os políticos falarem

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, que votou contra o início do cumprimento da pena da em segunda instância, decisão que resultou na libertação do ex-presidente Lula (PT) nesta sexta (8), defendeu o restabelecimento do diálogo para resolução dos problemas políticos do país, sem necessidade de judicialização. Além disso, afirmou que os saudosistas da ditadura desconhecem as mazelas que o Brasil enfrentou nos 21 anos que foi governado pelos militares.  

“Vamos deixar os políticos falarem. Não vamos mais  ter intervenção excessiva de juízes, promotores e delegados. A democracia representativa se faz com políticos. É importante restabelecer o diálogo. A adversariedade é normal no processo, mas não a inimizade. Ninguém tem que querer matar seu adversário ou eliminar seu adversário  usando a Justiça para isso”, declarou Gilmar Mendes, durante visita ao novo Hospital e Pronto Socorro (HMC) de Cuiabá, nessa sexta (8).

Assessoria

Gilmar Mendes e Emanuel Pinheiro HMC

Em visita ao HMC, ministro Gilmar Mendes diz que "ninguém tem que querer matar seu adversário ou eliminar seu adversário  usando a Justiça para isso"

Para o ministro do STF, boa parte da polarização extrema se deve aos excessos da imprensa. Mesmo não citando casos concretos, deu a entender que o ex-presidente Lula foi perseguido pela operação Lava Jato com intervenção do hoje ministro da Justiça e Segurança Pública Sérgio Moro.

“Todos nós, de alguma forma, deixamos isso acontecer. Eu deploro a situação que chegou ao país em termos de radicalismo, de polarização, mas digo que  isso é obra da imprensa que demonizou uma parte e estimulou essa prática. É o momento de fazer autocrítica. Olhando a repercussão da decisão de ontem (quinta), talvez por excesso de otimismo, eu já percebo que a imprensa está fazendo sua parte neste sentido”, completou.

Gilmar também lamentou que existam jovens, apoiadores do presidente da República Jair Bolsonaro (PSL), que se declaram saudosistas da ditadura. Ressaltando seu profundo respeito pelas Forças Armadas, afirma que é necessário reconhecer o que classificou de “excessos do período”.

“Estamos vivendo 31 anos de democracia no Brasil, com os percalços que temos aqui e acolá. Se um filho nosso desaparece, pode ser um acidente, mas não estará preso por subversão. Fui aluno da UNB de 1975 a 1978. Alguns colegas foram presos e ficaram incomunicáveis por 30 dias. Quando vejo jovens dizendo saudades da ditadura, eu digo: pai, eles não sabem o que fazem e não sabem o que falam. Quando dizem não havia corrupção, eu digo:  não havia é imprensa livre. Com todo respeito que temos pelos militares,  não podemos omitir que houve abusos. Se temos problemas na democracia, vamos trabalhar para aperfeiçoá-la”, concluiu.   

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • andreia | Segunda-Feira, 11 de Novembro de 2019, 13h46
    0
    0

    O cidadão que elogiar esse tal ai, no minimo ta sem memoria!

  • jj | Segunda-Feira, 11 de Novembro de 2019, 13h45
    0
    0

    pelo amor de Deus, Gilmar Mendes é uma des honra para nosso Pais

  • José Carlos dos Santos | Sábado, 09 de Novembro de 2019, 23h49
    1
    22

    Tenho apreço pelo Ministro Gilmar Mendes, está a altura do cargo que exerce so STF.

  • Juca lemos | Sábado, 09 de Novembro de 2019, 18h07
    3
    22

    Concordo com as palavras so ministro.Parabens Gilmar Mendes pela reflexao

  • JORGE LUIZ | Sábado, 09 de Novembro de 2019, 15h24
    3
    1

    JORGE LUIZ , Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

Prejuízos para Acorizal de R$ 753 mil

clodoaldo monteiro 400 curtinha acorizal   O conselheiro interino Moisés Maciel concedeu medida cautelar proposta pela secretaria de Controle Externo de Contratações Públicas do TCE, suspendendo de imediato um termo de parceria, em vigor desde 2017, entre a prefeitura de Acorizal e a Oscip Iso Brasil. Foi descoberto...

"Eu não devo um centavo para Júlio"

sergio rezende 680   O empresário e ex-vereador de Chapada dos Guimarães, Sergio Rezende (foto), que foi "enquadrado" pelo cacique político do DEM, Júlio Campos, reagiu, mas sem as críticas duas de antes contra o ex-governador. Irritado pelos ataques feitos por Rezende em um grupo de WhatsApp, Julio gravou um...

Ex-vereador do DEM recua da disputa

ivan evangelista 400 curtinha   O pecuarista e ex-vereador Ivan Evangelista (foto) vai mesmo jogar a tolha. Apontado como uma das apostas do DEM na briga por vaga no Legislativo cuiabano, Ivan não se empolgou, notou dificuldades para se obter êxito nas urnas e vai comunicar a direção do partido de sua desistência da...

Gestão Tatá sob várias irregularidades

tata amaral 400 curtinha   A gestão Tatá Amaral (foto), em Poconé, está sendo marcada por uma série de irregularidades. Uma denúncia feita junto ao TCE pelo auditor público interno municipal, Ademar Vivan Júnior, foi confirmada. Descobriu-se, por exemplo, contratação...

Ucamb é multada por irregularidades

edio 400 curtinha   Numa sessão realizada por videoconferência, o TCE puniu o líder comunitário Édio Martins de Souza (foto) por irregularidades num convênio de 2009 com o Estado. Na época, Édio presidia a União Cuiabana de Associações de Moradores de Bairro (Ucamb)....

PSD reforça nome de Flávio em VG

selleman mathias 400 curtinha psd vg   Chamou a atenção a presença do presidente do diretório do PSD, em Várzea Grande, Selleman Mathias (foto), no lançamento da candidatura do empresário Flávio Vargas (PSB) à sucessão da prefeita Lucimar Campos, nesta quarta. Ao que tudo...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

O Governo de MT estuda retomada das atividades escolares presenciais possivelmente em agosto ou setembro. O que você acha?

Estou de acordo

Não - aulas não podem voltar por agora

tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.