Judiciário

Quinta-Feira, 25 de Abril de 2019, 15h:45 | Atualizado: 26/04/2019, 11h:07

MPE é contra mudança de horário no TJ e procurador dá bronca em atrasos de juízes

Mayke Toscano

Jos� Antonio Borges

O procurador geral de justiça José  Borges aproveita para reclamar dos constantes atrasos

O procurador-geral de Justiça, José Antônio Borges, se posicionou contrário à mudança de horário proposta pelo presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha. A posição consta em ofício assinado pelo chefe do Ministério Público Estadual (MPE) em 22 de abril.

A iniciativa partiu da Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz), por meio de portaria publicada em 22 de março. A publicação alterou o expediente para que a pasta seja enquadrada no perfil de consumidor beneficiado com a tarifa branca, sem que o funcionamento ultrapasse as 17h30. Depois disso, o Tribunal de Justiça decidiu estudar a possibilidade de alteração do expediente, consultando os demais entes envolvidos no Judiciário, que tem expediente entre 12h e 19h.

De acordo com o documento assinado pelo chefe do MPE, a "maioria esmagadora" dos promotores e procuradores se manifestaram contra a mudança pela "inviabilidade do funcionamento das promotorias de Justiça no horário proposto". Eles também teriam se mostrado preocupados com a "realização de audiências somente no período matutino, seja pela limitação de tempo para a apresentação de réus presos (horário de saída e chegada nos estabelecimentos), seja pela dificuldade de comparecimento das testemunhas pela manhã, notadamente as residentes em área rural ou periférica".

Segundo o procurador-geral de Justiça, um único membro do MPE sugeriu que o horário seja alterado com duas opções: das 8h às 14h ou das 9h às 15h. O chefe do órgão ainda deu uma espécie de “bronca” nos magistrados em razão de atrasos que fazem com que audiências ocorram à noite, com maior gasto de energia.

"Além disso, necessário que os magistrados tenham uma rigidez no cumprimento das audiências agendadas, evitando que eventuais atrasos ocasionem o desdobramento dos atos judiciais, de modo a extrapolarem o período vespertino, inclusive, estendendo-se ao horário noturno, tornando inócuo o objetivo de redução e economia de energia", disse o procurador-geral de Justiça.

Reprodução

Documento MPE CERTA

No ofício encaminhado ao presidente do TJ, o procurador José  Borges elenca medidas para economizae energia e ainda reclama da condurta de magistrados

Borges sugeriu outras medidas como campanhas de conscientização de membros e servidores do MPE para desligamento de luzes, aparelhos de ar-condicionado e computadores em locais não utilizados por período significativo, desligamento do ar-condicionado nas áreas comuns uma ou duas horas antes do fim do expediente, substituição dos aparelhos elétricos por versões econômicas e adoção progressiva de energia solar fotovoltaica.

À reportagem, o Tribunal de Justiça informou que o posicionamento do Ministério Público ainda não chegou às mãos do desembargador Carlos Alberto e que não poderia se pronunciar sem conhecimento do conteúdo do documento.

Além do MPE e do próprio Tribunal de Justiça, o desembargador Carlos Alberto enviou consultas à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MT), Defensoria Pública Estadual, Associação dos Magistrados (Amam) e Sindicato dos Servidores.

A consulta feita pela Amam indicou que a maioria dos magistrados é favorável à mudança de horário. Das 214 respostas recebidas, 106 propõem que o Judiciário funcione das 7h às 14h. Outros 50 magistrados preferem trabalhar das 8h às 15h; 46 querem manutenção do horário atual de 12h às 19h; seis optaram pelo funcionamento das 10h às 17h; três pelo horário das 9h às 16h; dois votaram para que seja das 11h às 18h; e um pediu pelo funcionamento das 9h às 15h. O presidente da Amam, juiz Tiago Souza Nogueira de Abreu, já comunicou o presidente do TJ sobre a posição dos juízes e desembargadores.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Rui | Segunda-Feira, 29 de Abril de 2019, 02h45
    1
    0

    Se todos trabalhassem para honrarem o que ganham, a justiça de Mt não seria esse caos. Esses juizes ganham muito vem e trabalham quase nada. Deveriam ter vergonha da baixa produtividade.

  • Fernando | Sexta-Feira, 26 de Abril de 2019, 10h56
    6
    0

    Não tem nenhuma bronca aí... só alertou que se extrapolarem o tempo das audiências, a mudança de horário não vai surtir efeito de economia de energia

Matéria(s) relacionada(s):

Olhar para 2020 e distância do prefeito

niuan vice-prefeito curtinha   Prefeito e vice de alguns municípios já estão rompidos politicamente, inclusive em cidades polos como Cuiabá, Rondonópolis e Sinop. No caso da Capital, Niuan Ribeiro (foto), que trocou o PTB pelo PSD, passou a descer o porrete no prefeito Emanuel Pinheiro, emedebista que deve...

Câmara adia o parecer sobre denúncia

felipe wellaton curtinha   A Câmara de Cuiabá, sob Misael Galvão, assinou a Resolução número 16, na última terça (21), prorrogando por mais 30 dias o prazo para definir um parecer sobre a representação do servidor público Valmir Molina contra o vereador Felipe Wellaton...

Pacto descumprido à saúde e denúncia

Pedro Taques curtinha   O governador Mauro ingressou com representação junto ao TCE, com pedido de medida cautelar, contra o antecessor Pedro Taques (foto) e o ex-secretário de Saúde Luiz Soares, apontando supostas irregularidades na concessão de R$ 82 milhões do Fundo Estadual de Saúde para...

Ex terá de restituir erário em R$ 11 mil

gisely ex julio pinheiro curtinha   O Tribunal de Contas do Estado manteve, em decisão desta semana, a sanção aplicada à Gisely Carolina Lacerda Pinheiro (foto), viúva do ex-presidente da Câmara de Cuiabá, Júlio Pinheiro, que faleceu em junho de 2016. Julgada à revelia, já que foi...

Xuxu recusa diárias e cala Wilson

xuxu curtinha   Na tribuna da AL, o tucano Wilson Santos tentou ironizar o colega Xuxu Dal Molin (foto), que retornou de missão oficial à Ásia nesta semana, mas acabou se dando mal. Considerando que Xuxu é membro de uma das famílias mais abastadas de Sorriso, Wilson sugeriu que ele poderia ter custeado a viagem e...

TCE já suspende licitação na Câmara

misael galvao curtinha   O TCE determinou que a Câmara de Cuiabá, sob Misael Galvão (foto), suspenda de imediato um pregão para contratar empresa para fornecimento de material de informática e de equipamentos de áudio e vídeo. Técnicos de Controle Externo de Contratações...

ENQUETE

Tramita na Câmara Federal o projeto 832/2019, do deputado José Medeiros, requentando uma proposta de 2007 do então deputado Jair Bolsonaro, propondo extinguir o Exame da Ordem como exigência para inscrição na OAB e, assim, poder exercer a profissão. O que você acha disso?

Concordo - esse Exame tem de acabar

Discordo - bacharel precisa, sim, se submeter ao Exame

Sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.