Judiciário

Terça-Feira, 13 de Agosto de 2019, 15h:23 | Atualizado: 13/08/2019, 18h:34

CAIXA 2

No TSE, Selma afirma que foi cassada por influência de corruptos levados à cadeia

Marcos Oliveira

Selma Arruda

Cassada, Selma Arruda na reunião da Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado, em que é vice-presidente

A defesa da senadora Selma Arruda (PSL) entrou com recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra a cassação do mandato imposta pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT). No documento, os advogados da juíza aposentada dizem esperar um julgamento técnico dos ministros e sem suposta influência de políticos presos por decisões dela enquanto comandava a 7ª Vara Criminal de Cuiabá.

O TRE-MT determinou a cassação do mandato por abuso de poder econômico e caixa 2 na campanha de 2018.

“Felizmente os mais de 670 mil eleitores que depositaram sua confiança na ex-juíza que condenou muitos políticos corruptos poderão acompanhar julgamento mais técnico e sem influência daqueles que a Senadora, enquanto magistrada, levara à cadeia”, afirmam os defensores Gustavo Bonini Guedes, Cassio Prudente Vieira Leite, Rick Daniel Pianaro e Luiz Paulo Muller Franqui.

Eles alegam que a senadora nunca cometeu ilícitos como magistrada e não seria agora, em sua primeira campanha, que deixaria de declarar valores. “Irregularidade formal, por desconhecimento da técnica eleitoral, sim; ilegalidade com potencial de cassação, nunca. E tudo isso seria demonstrado, pudesse ter exercido com amplitude sua defesa, o que lhe foi negado”, dizem.

A tese da defesa é de que os gastos supostamente irregulares poderiam, no máximo, causar a reprovação das contas de campanha no TRE-MT, mas não a cassação do mandato.

Os advogados alegam que o pedido inicial de cassação de Selma, feito pelo ex-candidato Sebastião Carlos (Rede) e no qual o Ministério Público Federal (MPF) entrou como litisconsorte, se baseava apenas nas provas trazidas pela ação monitória do publicitário Júnior Brasa, ou seja, a contratação da Genius At Work e da Vetor Assessoria e Pesquisa de Mercado e de Opinião Pública Ltda no período de pré-campanha.

Assim, a defesa teria tido prejuízo ao não poder se defender corretamente de outras contratações trazidas ao processo durante seu andamento. O PSD do então candidato Carlos Fávaro também entrou como parte da acusação, e o PSL entrou na defesa da senadora.

Pelas contas de Selma, apenas R$ 610 mil estavam no pedido inicial, sendo que R$ 550 mil foram pagos à Genius para prestação de serviços relacionados à assessoria de imagem e jornalística, “de todo permitidos em período de pré-campanha”, e R$ 60 mil à Vetor, para analisar a viabilidade da candidatura através de pesquisas qualitativas típicas de pré-campanha.

Na decisão final do TRE-MT constam R$ 1,2 milhão gastos sem o devido registro. Os juízes-membros do tribunal concordaram com a tese de que a então candidata pagou por serviços de assessores, advogados, contadores, da KGM Assessoria Institucional e da Voice Pesquisas e Comunicação, outros profissionais, à margem da contabilidade de campanha.

Os dados dos pagamentos foram incluídos na ação depois que foi quebrado o sigilo bancário de Selma e do primeiro suplente, Gilberto Possamai (PSL), responsável por um empréstimo de R$ 1,5 milhão à senadora.

A defesa cita entendimento do próprio TSE no julgamento da chapa Dilma-Temer, quando por voto do ministro Gilmar Mendes foram excluídos fatos que não haviam sido citados inicialmente no processo.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Kaca | Quarta-Feira, 14 de Agosto de 2019, 10h57
    0
    2

    Falta autocrítica.

  • Alcântara | Terça-Feira, 13 de Agosto de 2019, 16h05
    6
    4

    Essa senhora só ataca, não se defende das acusações, fica desviando o foco. A imprensa liga para ela ela ofende o repórter, só diz que fulano é isso, beltrano é aquilo, que é perseguida, etc. Tentando enganar o povo, essa velha politica já era!!!!

Matéria(s) relacionada(s):

Posse 2 dias antes do possível retorno

maluf 400 curtinha   Guilherme Maluf (foto), que nem esquentou direito a cadeira de conselheiro, vai tomar posse na presidência do TCE-MT dois dias antes do STJ julgar um recurso que tende a suspender as medidas cautelares e definir pelo retorno ao Pleno dos cinco conselheiros afastados há dois anos. A solenidade acontece no...

Alerta sobre hanseníase nos presídios

alexandre bustamante curtinha 400   Duas secretarias do TCE ingressaram com representação contra duas secretarias de Estado. As de Controle Externo de Educação e Segurança Pública e de Saúde e Meio Ambiente acionaram no próprio Tribunal as pastas de Segurança Pública,...

Reunião pra complô desmoraliza Abílio

abilio 400 curtinha   A considerar as imagens de circuito interno de vídeo do hospital privado São Benedito, exibidas nesta quinta, durante sessão na Câmara de Cuiabá, a situação de Abílio Brunini (foto) se complica mais ainda. Investigado pela Comissão de Ética por reincidentes...

Contra mudar multas do Fundecontas

mauro mendes 400 curtinha   O governador Mauro (foto) vetou a inclusão de um dispositivo no artigo 2º da lei de 2005 que criou o Fundo de Reaparelhamento e Modernização do TCE. Essa alteração foi aprovada pela Assembleia na sessão de 29 de outubro e, na prática, iria retirar e dar outro...

Ex-deputado quer comandar Chapada

roberto nunes 400   O ex-deputado Roberto Nunes (foto), que recebe dois vencimentos da Assembleia, um como aposentado e outro como beneficiário do extinto FAP, somando mais de R$ 30 mil mensais, está se articulando para encarar mesmo a disputa pela Prefeitura de Chapada dos Guimarães. Transferiu para lá o...

Contra regular as redes a magistrados

thiago amam 400 curtinha   O presidente da Associação Mato-Grossense de Magistrados, juiz Tiago Abreu (foto), vê com preocupação a proposta de resolução do CNJ que estabelece parâmetros quanto à utilização das redes sociais por magistrados. Enfatiza que a Amam...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Como você avalia a decisão do Supremo de suspender prisão imediata após julgamento em segunda instância?

Concordo

Discordo

Tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.