Judiciário

Terça-Feira, 22 de Outubro de 2019, 18h:29 | Atualizado: 23/10/2019, 08h:36

QUADRO NEGRO

Organização teria se estruturado em torno de contratos tocados pelo Cepromat saiba

O empresário Valdir Piran seria o líder de uma organização criminosa e maior beneficiário dos cerca de R$ 10 milhões desviados do antigo Centro de Processamento de Dados do Estado de Mato Grosso (Cepromat) em dois contratos com a Avançar Tecnologia em Software Ltda.

Pelo objeto dos contratos, a empresa deveria fornecer licença de uso de softwares educacionais que foram entregues sem possibilidade de uso, no caso de programas piratas, e outros que não foram entregues à Secretaria de Estado de Educação (Seduc).

Além de Piran, outras cinco pessoas integrariam o suposto grupo montado para desviar dinheiro público. Veja o organograma:

Piran teria apresentado Weydson Soares, representante da Avançar, ao ex-governador Silval Barbosa. Em reunião ocorrida na Casa Civil com o então secretário da Pasta, Pedro Nadaf, teria ficado combinado que 50% do valor pago pelo Estado seriam devolvidos em propina ao grupo a fim de quitar uma dívida de Silval com Piran.

“Nesse sentido, além de imputar a Weydson a responsabilidade pelos repasses a Valdir Piran, consta da representação que ele teria efetuado o pagamento de vantagem aos servidores Francisvaldo Pereira de Assunção e Wilson Celso Teixeira”, diz trecho da decisão da juíza Ana Cristina Silva Mendes, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá.

Francisvaldo era secretário-adjunto de Administração Sistêmica da Seduc e Wilson Teixeira, o Dentinho, era presidente do Cepromat à época. Em colaboração, Pedro Nadaf narrou que Dentinho teria ainda exigido o pagamento de R$ 60 mil de Weydson para liberar crédito existente da Avançar junto ao Cepromat.

Para os delegados, Francisvaldo teria agido, ao lado do servidor Edvamilton Lima de Oliveira e do ex-diretor de gestão de tecnologia da informação do Cepromat Djalma Souza Soares, para viabilizar a contratação e pagamento dos contratos, mesmo com todas as irregularidades verificadas pela Controladoria Geral do Estado (CGE).

Djalma teria elaborado a justificativa para viabilizar a contratação da Avançar e também assinado “o termo de recebimento/aceite de produtos e serviços totalmente ineficientes para o alcance da finalidade pública”. Já Francisvaldo teria atestado o recebimento dos produtos e serviços na Seduc

“Como sustentado pelos representantes, as irregularidades são grosseiras e perceptíveis, tendentes a demonstrar que os serviços contratos não foram prestados, de modo que Francisvaldo teria agido para conferir aparência de regularidade e legalidade na execução dos contratos”, diz a magistrada.

Edvamilton, por sua vez, teria atuado para dar aparência de legalidade e regularidade na execução do contrato, tendo assinado como fiscal técnico “e seria totalmente plausível que ele identificasse as irregularidades dos produtos e serviços oferecidos, inclusive o fornecimento de software pirata”.

Além de organização criminosa, os seis são acusados de lavagem de dinheiro, corrupção ativa e passiva, e de falsidade ideológica.

Audiência de Custódia

Todos os investigados alvos da operação continuam presos. Djalma Soares, Edevamilton Oliveira, Francisvaldo Assunção e Wilson Teixeira passaram por audiência de custódia na tarde de hoje e a juíza Ana Cristina Silva Mendes, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, manteve a prisão deles.

Piran e Weydson Fonteles foram presos em Brasília. A defesa de Piran pediu transferência do cliente para passar por audiência em Cuiabá, a qual foi deferida, mas não há informações sobre como será essa transferência. Weydson continuará detido em Brasília.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Rogério | Quarta-Feira, 23 de Outubro de 2019, 02h10
    8
    0

    O que o Cepromat fazia além de distribuir softwares bichados e piratas? Sou contra privatização, mas até aqui o Cepromat (MTI) com uma baita estrutura não fazia sequer adaptação de software e nem gerenciava sistema algum, porque o do DEtran MT por exemplo era uma calamidade.

Matéria(s) relacionada(s):

Salvando 1º ano de mandato no cargo

selma arruda 400 curtinha   Embora "sangrando" e com a imagem arranhada, a juíza aposentada e senadora cassada pelo TRE-MT Selma Arruda, que trocou o PSL pelo Podemos, consegue concluir este primeiro de oito anos de mandato. E vai se licenciar nos próximos dias para ceder espaço aquele que financiou a sua campanha,...

Barbudo é menos empreguista de MT

nelson barbudo 400 curtinha   Dos oito deputados federais de MT, o estreante Nelson Barbudo (foto) é o menos "empreguista". Nestes 10 primeiros meses de mandato, ele nomeou no gabinete em Brasília e no escritório político em Cuiabá apenas 15 assessores. Cada gabinete pode ter até 25 secretários...

Rossato quer "minar" reeleição de Ari

dilceu rossato 400 curtinha   Em Sorriso, a capital nacional do agronegócio, a tendência é da disputa à sucessão no próximo ano ficar polarizada entre o prefeito Ari Lafin, do PSDB, e seu antecessor, Dilceu Rossato (foto), hoje filiado ao PSL. Embora se movimente nos bastidores, o deputado Xuxu Dal Molin...

Misael nem espera janela e sai do PSB

misael partido 400 curtinha   Misael Galvão (foto), presidente da Câmara de Cuiabá, nem esperou chegar a janela partidária de março para oficializar a saída do PSB, onde esteve filiado por três anos. Para não colocar o mandato em risco, o parlamentar consultou a Justiça Eleitoral e obteve...

TCE-MT aprova e elogia gestão Binotti

binotti 400 curtinha   O conselheiro interino do TCE, Isaías Lopes, rasgou elogios ao primeiro ano de mandato do prefeito e empresário Luiz Binotti (foto), de Lucas do Rio Verde. Relator das contas do exercício de 2018 da prefeitura, com aprovação unânime pelo Pleno, Isaías destacou que os resultados...

Primavera fará 4 intervenções na BR

leonardo 400 curtinha   Com recursos próprios, a Prefeitura de Primavera do Leste fará quatro intervenções na BR-070, no perímetro urbano, com readaptação e construção de trevos para ajustar o trânsito a uma nova e moderna realidade do município com quase 100 mil...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Como você avalia a decisão do Supremo de suspender prisão imediata após julgamento em segunda instância?

Concordo

Discordo

Tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.