Judiciário

Quinta-Feira, 31 de Outubro de 2019, 11h:11 | Atualizado: 31/10/2019, 11h:25

Falta planejamento

Presidente aponta irresponsabilidade de ex-prefeitos sobre quitação de precatórios

O presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), Neurilan Fraga, apontou para a irresponsabilidade de gestores com o não pagamento de precatórios dos municípios e reiterou a necessidade de negociação para parcelamento dos valores por meio do Tribunal de Justiça.

Gilberto Leite

Neurilan Fraga

Presidente Neurilan diz que sentiu na pele o reflexo da falta de pagamento dos precatórios

Apesar de defender o pagamento dos valores, o representante dos prefeitos ressalta que a quitação das dívidas não pode “estrangular” as gestões municipais.

“Nem sempre se era colocado isso no orçamento, os gestores empurravam os precatórios porque os recursos são poucos, não tinha recursos para pagar nem as suas ações normais do dia-a-dia, imagina pagar precatórios que às vezes delongam de anos e mais anos”, contou.

Neurilan relatou que enquanto foi prefeito de Nortelândia, por dois mandatos, foi obrigado a pagar precatórios de gestões anteriores porque o município havia perdido em todas as instâncias recursos judiciais.

“Estamos trabalhando também na desmistificação dos precatórios, porque quando fala em precatório para os prefeitos é um sufoco. Eles falam: é mais dinheiro que eu vou ter que tirar da pouca economia que eu tenho, da pouca receita, para pagar precatórios de outra gestão. E, às vezes, são precatórios que foram provocados irresponsavelmente por gestores passados”, criticou.

Desde 2018, a AMM articula uma agenda com o Tribunal de Justiça para negociar o parcelamento desse tipo de dívida. Diversos municípios entraram no regime especial, em que é feito um repasse mensal pelo ente público a uma conta específica para pagamento de precatórios.

“Fluiu muito, deu uma vazão muito grande. Temos ainda situações difíceis... Cuiabá deve muito, Várzea Grande também, Sinop me parece que deve algo em torno de R$ 50 milhões. Então, nós estamos trabalhando para que os municípios honrem esses compromissos dentro de um planejamento, de uma previsão de receita, sempre com parcelamento”, afirmou.

Apesar das ameaças de inscrição como inadimplente e corte de convênios federais, além da possibilidade de bloqueio judicial de valores, Neurilan avaliou que possíveis sanções “fazem parte de uma pressão até para que os municípios venham para o entendimento”.

Ele relatou ainda que as origens das dívidas dos municípios são dos tipos mais variados. “Tem de todos os níveis que você imaginar. Que eu conheço tem até de um cidadão que subiu no poste, foi ligar a luz no parque de exposições de uma prefeitura, deu problema, foi eletrocutado e morreu, e aí gerou um precatório. Dívidas de fornecedores que não foram pagos, de obras, trabalhistas, pensões, tudo isso gera precatórios. Se o prefeito não cumpre sua obrigação, isso vira precatório e a próxima gestão fica responsável por isso”, declarou.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • João Paulo de Souza | Sexta-Feira, 01 de Novembro de 2019, 14h53
    0
    0

    Chapada dos Guimarães é um dos municípios que sofre pra pagar precatórios exorbitantes!Tem de todo tipo.Por acidentes, por neglicencia médica, mas o município que esta pagando.E tem funcionários que nem processos administrativos responderam sobre esses precatórios.Perda de prazo por procuradores, interesses.... .Acho que o MP deveria abrir um procedimento para analisar esses precatórios.E responsabilizar os que devem ser responsabilizados.

  • Agripino | Quinta-Feira, 31 de Outubro de 2019, 17h59
    2
    0

    Se membros do judiciário ou ministério público estiverem no meio, garanto que pagaram rapidinho.

A bronca de Saad com Wilson Santos

ricardo saad curtinha 400   O vereador Ricardo Saad (foto), presidente do PSDB da Capital, resolveu disparar a metralhadora verbal contra colegas tucanos. Sobre o ex-prefeito e hoje deputado Wilson Santos, considera que este nada fez para ajudar o partido a se reestruturar, visando as eleições de outubro. Mesmo sendo vice-presidente...

Janela tira muitos políticos do calvário

gilberto figueiredo curtinhas   O fechamento da janela partidária, que encerrou-se no último sábado, dia 4, marcou o fim de um longo calvário aos partidos, que tiveram que suportar em seus quadros políticos que não estavam mais de “alma”, mas somente de “corpo”. Na Câmara...

Só 2 vereadores não vão à reeleição

felipe wellaton curtinha 400   Apenas dois entre os 25 parlamentares cuiabanos não vão buscar a reeleição. O licenciado Gilberto Figueiredo, que trocou o PSB pelo DEM, quer concorrer a prefeito, assim como Felipe Wellaton (foto), que até trocou de partido, saindo do PV e agora no Cidadania. Pretende disputar...

4 fora da reeleição em Rondonópolis

thiago muniz 400 curtinha   Dos 21 vereadores de Rondonópolis, somente quatro não vão à reeleição, sendo eles Thiago Muniz (foto), agora no DEM, Hélio Pichioni (PSD), Jailson do Pesque-Pague e Rodrigo da Zaeli (ambos do PSDB). Eles garantem se tratar de um caminho sem volta. Destes, dois tentam...

Redes sociais, lives e efeito colateral

Em tempo de coronavírus, as redes sociais têm sido fundamentais para disseminar informações. As plataformas são utilizadas, por exemplo, para realização de coletivas, mas, nesta segunda (6), houve um efeito colateral. O governador Mauro Mendes e o secretário de Saúde Gilberto Figueiredo foram "vítimas" de ferramenta de animação do Facebook. Os dois falavam sobre ações para combater a doença...

DEM agora sem amarras dos Campos

frankes siqueira curtinha 400   Sem o controle absoluto dos Campos, como nas últimas duas décadas, desde quando era PFL, o DEM, que não elege vereador em Cuiabá desde 2004, vive melhores expectativas, agora sob comando da ala ligada ao governador Mauro. É presidido pelo secretário de Estado de Governo,...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você concorda com a decisão de prefeitos, que começam a decretar estado de emergência, fechando comércio, serviços públicos e o transporte coletivo?

sim

não

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.