Judiciário

Terça-Feira, 19 de Janeiro de 2010, 15h:24 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

PAC

Ussiel acredita que prefeitura conseguirá "derrubar" empresas

Ussiel Tavares   O procurador-geral da Prefeitura de Cuiabá, advogado Ussiel Tavares, acredita que terá nesta semana uma decisão favorável ao Executivo para agilizar as obras do PAC. O desembargador Rubens de Oliveira, da 3ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça, aprecia o pedido de liminar da prefeitura para afastar as empresas que compõem o Consórcio Cuiabano dos serviços. Investigações da Polícia Federal e Ministério Público Federal, que culminaram na Operação Pacenas, apontam supostas fraudes nas licitações.

   Conforme Ussiel, o recurso que estava nas mãos do desembargador Evandro Stábile foi redistribuído para Rubens de Oliveira, que já concedeu uma liminar favorável ao Palácio Alencastro em matéria semelhante. A partir do despacho do magistrado, o Consórcio LGL Engenharia em Saneamento (Lage Engenharia e Pavimentação, Geosolo e Lince Construtora e Incorporadora), foi afastado da execução das obras do lote 7, referente ao esgoto.

   Agora, com os mesmos argumentos, Ussiel acredita que conseguirá impedir, ao menos liminarmente, que as empresas do Consórcio Cuiabano retomem as obras. “Como a matéria é muito semelhante, não há porque haver uma decisão diferente”, avalia o procurador.

   Depois da apreciação da liminar, os membros do Tribunal de Justiça vão avaliar o mérito da matéria. A partir daí, com a decisão favorável do TJ em mãos, Ussiel fica desobrigado a dar a ordem de serviço às empresas do Consórcio Cuiabano e da LGL Engenharia, que venceram as licitações iniciais. “Dependendo da decisão do mérito, vamos realizar um novo processo licitatório, o que dará à prefeitura mais segurança jurídica”, explica.

   Ele ressalta que, apesar das interceptações telefônicas terem sido anuladas do rol de provas, há outras investigações contra as empresas envolvidas na Operação Pacenas, inclusive na Corregedoria-Geral da União, o que dificulta a liberação dos recursos do PAC pelo Ministério das Cidades. “As escutas telefônicas constituíam apenas uma parte das investigações, mas existem outras que podem atrapalhar a prefeitura mais lá na frente, daí a necessidade de afastar estas empresas”, analisa.

   No final do ano passado, após ser afastada das obras mediante decreto do prefeito Wilson Santos (PSDB), as empresas do Consórcio Cuiabano conseguiram liminar no Tribunal de Justiça, que apontou a ilegalidade do despacho proferido pelo tucano e determinou o retorno das empresas à execução das obras. Em 7 de janeiro, Ussiel ingressou com os recursos, mas, até o momento, apenas o referente à LGL foi apreciado. Entre obras de ampliação da rede de esgoto e água, a Prefeitura de Cuiabá deverá receber R$ 238 milhões por meio do PAC.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Alexandre do Espírito Santo Almeida | Quarta-Feira, 20 de Janeiro de 2010, 12h11
    0
    0

    É,enquanto focam brigando o tempo esta passando,e pelo que estamos vendo nada de solução.Ja vi que confusão qualquer um sabe fazer,agora resolver o problema,hum,isso é bem mais dificil....

  • Rosangela | Terça-Feira, 19 de Janeiro de 2010, 20h36
    0
    0

    Parabens Dr. Ussiel pela maneira com o Dr. tem conduzido os trabalhos na Procuradoria Geral do Municipio. Nada como um vasto conhecimento na área jurídica para combater estes corruptos que assolam a administração pública. Só tome cuidado Dr. Ussiel com pessoas que gostam de boicotar os seus serviços. Tem assessores que vieram da administração anterior que volta e meia alfineta o seu desempenho frente a procuradoria. Na frente é uma coisa e por detraz cobra cascavel. Aceite um conselho, nomeie pessoas de confiança do sr. e afaste este individuo que além de não colocar ordem no seu setor no mínimo quer ficar com o seu cargo .

Servidores sem pagar os empréstimos

adevair cabral curtinha 400   A Câmara de Cuiabá rejeitou o veto total do prefeito Emanuel e promulgou a Lei 6.547, que suspende por 90 dias o pagamento de parcelas de contrato de crédito consignados tanto dos servidores públicos ativos e inativos da prefeitura quanto da própria Câmara Municipal. A...

Eleição ao Senado junto com municipal

carlos favaro 400 curtinha   A eleição suplementar para uma vaga ao Senado deve ocorrer em MT junto com o pleito municipal, em 15 de novembro. A definição oficial partirá do TSE até o final deste mês. Em princípio, a suplementar estava marcada para abril, mas, por causa da pandemia, foi...

Wellington tem 47 lotados no Senado

wellington 400 curtinha   Com dois meses e meio na cadeira de senador, Carlos Fávaro tem hoje 18 assessores lotados no gabinete, muito aquém do quadro dos colegas Jayme Campos e Wellington Fagundes. O chefe de gabinete de Fávaro é o advogado Irajá Rezende de Lacerda, filho do primeiro-suplente Zé Lacerda....

Cáceres, lockdown e frases de alerta

francis maris 400 curtinha   Em Cáceres, o prefeito Francis Maris (foto) decretou lockdown desde a última segunda, dia 29, como forma de forçar os moradores a permanecer em casa para conter o avanço da Covid-19. Mas as medidas restritivas não estão surtindo tanto efeito na prática. Muitos continuam...

4 prefeitos de MT com coronavírus

luiz binotti 400 curtinha   Pelo menos quatro prefeitos em Mato Grosso já foram diagnosticados com Covid-19. O caso mais recente envolve Luiz Binotti (foto), de Lucas do Rio Verde. Ele aguarda resultado de exames, mas já se encontra em isolamento domiciliar. Com sintomas do novo coronavírus, Binotti decidiu ficar em casa. De um...

Forçando cuiabanos a ficar em casa

emanuel pinheiro 400 curtinha   Acuado por causa do avanço dos casos de Covid-19, o que tem provocado colapso na rede pública de saúde, principalmente em Cuiabá, o prefeito Emanuel Pinheiro (foto) decidiu adotar medidas mais restritivas para conter circulação e aglomerações de pessoas,...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Em Cuiabá, o prefeito suspendeu a decisão de implantar rodízio de veículos entre placas pares e ímpares devido à Covid-19. Mas quer debater a ideia. Você concorda com rodízio?

concordo

discordo

tanto faz

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.