Judiciário

Terça-Feira, 19 de Janeiro de 2010, 15h:24 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

PAC

Ussiel acredita que prefeitura conseguirá "derrubar" empresas

Ussiel Tavares   O procurador-geral da Prefeitura de Cuiabá, advogado Ussiel Tavares, acredita que terá nesta semana uma decisão favorável ao Executivo para agilizar as obras do PAC. O desembargador Rubens de Oliveira, da 3ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça, aprecia o pedido de liminar da prefeitura para afastar as empresas que compõem o Consórcio Cuiabano dos serviços. Investigações da Polícia Federal e Ministério Público Federal, que culminaram na Operação Pacenas, apontam supostas fraudes nas licitações.

   Conforme Ussiel, o recurso que estava nas mãos do desembargador Evandro Stábile foi redistribuído para Rubens de Oliveira, que já concedeu uma liminar favorável ao Palácio Alencastro em matéria semelhante. A partir do despacho do magistrado, o Consórcio LGL Engenharia em Saneamento (Lage Engenharia e Pavimentação, Geosolo e Lince Construtora e Incorporadora), foi afastado da execução das obras do lote 7, referente ao esgoto.

   Agora, com os mesmos argumentos, Ussiel acredita que conseguirá impedir, ao menos liminarmente, que as empresas do Consórcio Cuiabano retomem as obras. “Como a matéria é muito semelhante, não há porque haver uma decisão diferente”, avalia o procurador.

   Depois da apreciação da liminar, os membros do Tribunal de Justiça vão avaliar o mérito da matéria. A partir daí, com a decisão favorável do TJ em mãos, Ussiel fica desobrigado a dar a ordem de serviço às empresas do Consórcio Cuiabano e da LGL Engenharia, que venceram as licitações iniciais. “Dependendo da decisão do mérito, vamos realizar um novo processo licitatório, o que dará à prefeitura mais segurança jurídica”, explica.

   Ele ressalta que, apesar das interceptações telefônicas terem sido anuladas do rol de provas, há outras investigações contra as empresas envolvidas na Operação Pacenas, inclusive na Corregedoria-Geral da União, o que dificulta a liberação dos recursos do PAC pelo Ministério das Cidades. “As escutas telefônicas constituíam apenas uma parte das investigações, mas existem outras que podem atrapalhar a prefeitura mais lá na frente, daí a necessidade de afastar estas empresas”, analisa.

   No final do ano passado, após ser afastada das obras mediante decreto do prefeito Wilson Santos (PSDB), as empresas do Consórcio Cuiabano conseguiram liminar no Tribunal de Justiça, que apontou a ilegalidade do despacho proferido pelo tucano e determinou o retorno das empresas à execução das obras. Em 7 de janeiro, Ussiel ingressou com os recursos, mas, até o momento, apenas o referente à LGL foi apreciado. Entre obras de ampliação da rede de esgoto e água, a Prefeitura de Cuiabá deverá receber R$ 238 milhões por meio do PAC.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Alexandre do Espírito Santo Almeida | Quarta-Feira, 20 de Janeiro de 2010, 12h11
    0
    0

    É,enquanto focam brigando o tempo esta passando,e pelo que estamos vendo nada de solução.Ja vi que confusão qualquer um sabe fazer,agora resolver o problema,hum,isso é bem mais dificil....

  • Rosangela | Terça-Feira, 19 de Janeiro de 2010, 20h36
    0
    0

    Parabens Dr. Ussiel pela maneira com o Dr. tem conduzido os trabalhos na Procuradoria Geral do Municipio. Nada como um vasto conhecimento na área jurídica para combater estes corruptos que assolam a administração pública. Só tome cuidado Dr. Ussiel com pessoas que gostam de boicotar os seus serviços. Tem assessores que vieram da administração anterior que volta e meia alfineta o seu desempenho frente a procuradoria. Na frente é uma coisa e por detraz cobra cascavel. Aceite um conselho, nomeie pessoas de confiança do sr. e afaste este individuo que além de não colocar ordem no seu setor no mínimo quer ficar com o seu cargo .

Políticos e prisões nos últimos 2 anos

gaspar lazzari 400 curtinha   Vários políticos, que exerceram mandatos eletivos, como de vereador, prefeito, deputado e de governador, foram em cana nos últimos dois anos em MT. Eis alguns deles com passagem pelo cárcere: ex-governador Silval Barbosa, ex-deputados José Riva, Mauro Savi e Gilmar Fabris e o hoje...

Contratos da MTI vão ser suspensos

kleber geraldino mti curtinha 400   O governador Mauro Mendes vai determinar que o presidente Kleber Geraldino Ramos dos Santos (foto) suspenda todos os contratos da Empresa Mato-Grossense de Tecnologia da Informação (MTI - ex-Centro de Processamento de Dados do Estado), após ser informado de irregularidades em pelo menos dois...

Diretor define contratos emergenciais

alexandre beloto 400 curtinha diretor hospital   O diretor-geral da Empresa Cuiabana de Saúde Pública, Alexandre Beloto Magalhães (foto), tem feito compras emergenciais de materiais hospitalares para surprir demandas, especialmente do São Benedito e do Hospital Municipal de Cuiabá (HMC), que detém uma...

Bancada garante R$ 10 mi para IFMT

neri 400 curtinha   O deputado Neri Geller (foto), coordenador da bancada federal mato-grossense, anunciou destinação de R$ 10 milhões em emendas para o Instituto Federal de Mato Grosso no orçamento de 2020. Dirigentes do IFMT promoveram duas reuniões para debater projetos para melhorar a estrutura física...

Juca e aval do prefeito a projeto social

juca do guaran� curtinha 400   Juca do Guaraná Filho (foto), do Avante, conseguiu sensibilizar o prefeito Emanuel Pinheiro a apresentar uma mensagem à Câmara isentando do pagamento de IPTU os portadores de câncer e HIV. O  projeto foi apresentado originalmente na Câmara Municipal da...

Supremo enterra pedido contra Maluf

maluf_400   A 1ª Turma do STF enterrou de vez um pedido do advogado Waldir Caldas (Novo), ex-candidato ao Senado, que tentava revogar os atos que conduziram o ex-deputado Guilherme Maluf (foto) a uma cadeira no Tribunal de Contas. Caldas queria, ele próprio, ter a chance de ser indicado ao cargo, que era de prerrogativa da Assembleia. O...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

O que você acha das denúncias, principalmente sobre pagamento de propina, feitas pelo ex-presidente da AL José Riva, que tenta fechar delação?

São verdadeiras

Nem tudo é verdade

Acho que ele está mentindo

Não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.