Legislativo

Domingo, 04 de Março de 2018, 14h:20 | Atualizado: 04/03/2018, 14h:26

Deputado diz que MT Saúde está com dias contados e defende gestão por servidores

O médico e deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB) afirma que o plano de saúde dos servidores, o MT Saúde, está com os dias contados. Em sua opinião,  somente uma reestruturação da forma de administrar a autarquia pode salvá-la.

“Não acredito mais no MT Saúde da forma que está sendo operado, tanto é que tenho empresa (grupo Santa Rosa) que não participa mais do sistema MT Saúde. Se pensa nova modelagem desse plano para servidor ou tenho certeza que vai acabar”, sustenta o tucano durante visita à sede do .

Gilberto Leite

Deputado estadual Guilherme Maluf

Deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB), que é médico, defende  a reestruturação do MT Saúde para salvar o plano que benificia  servidores do Estado

Com uma carteira de 26 mil credenciados, o MT Saúde possui uma superior R$ 38 milhões desde quando foi criado em julho de 2003. O déficit foi construído ao longo dos últimos quatro anos e se deve também ao fato do plano ser dependente dos repasses do governo estadual, que hoje estão atrasados.

Maluf afirma que uma das alternativas é repassar o plano para os servidores administrarem com a criação de uma caixa de assistência, como é o modelo feito em Mato Grosso do Sul. “Se efetivamente o Estado não tem condições de fazer a estrutura então que delegue aos servidores para tomarem o caminho. Não pode ficar nesse meio termo de vai ou não vai”, completa.

A receita do plano é formada pela parte paga pelos beneficiários, que gira em torno de R$ 5,5 milhões por mês, e o repasse do Estado, que resulta em um montante de R$ 9,6 milhões.

Para Maluf, uma das alternativas é propor uma gestão que chama Capitation, onde os prestadores recebem um valor fixo por mês, por pessoa coberta, o qual remunera todos os serviços de saúde ao longo de um período. O valor pode ser ajustado conforme necessidades específicas.

Nesse sentido, o deputado acrescenta que para diminuir o custo pode fazer plano com pouca rede. “Então tem várias modelagens para ressuscitar o plano”, declara o parlamenta que faz parte da Comissão de Saúde da Assembleia.

Ao longo desses anos nenhum desses governos, Blairo Maggi e Silval Barbosa, cuidaram disso, dispara Maluf

Os valores do plano são cobrados de acordo com a faixa etária de cada beneficiário. Os menores valores são da faixa etária de 0 a 18 anos, que custam R$ 73,06 o tipo padrão e R$ 90,94 o tipo especial. Já a maior tarifa é cobrada da faixa etária de 59 anos ou mais, sendo R$ 352,21 o padrão e R$ 438,40 o especial.

Saúde

Crítico da gestão da saúde, Maluf defende que é preciso discutir mais ampla do que apenas cuidar de hospitais, apesar de considerá-los importantes. “Eu tenho dito que precisamos cuidar também da assistência farmacêutica, que é a distribuição de medicamentos, das unidades de reabilitação dos municípios que estão sucateadas.  Ao longo desses anos nenhum desses governos, Blairo Maggi e Silval Barbosa,  cuidaram disso”, justifica.

Para tentar virar a chave na saúde, o deputado afirma que é preciso a contribuição de todos, principalmente, nesse tempo de crise. Defende que o Fethab pode ser utilizado para o setor e não só para estradas. “Temos que criar fatores de geração de recurso para ajudar na saúde. Então, existem formas de ampliar os recursos para saúde”, concluiu.

Postar um novo comentário

Comentários (7)

  • Tchapa e Cruz | Segunda-Feira, 05 de Março de 2018, 07h39
    2
    0

    O nobre deputado como gestor integrante do grupo santa rosa, poderia criar um plano de saúde nos molde dos mt saúde, para os servidores do estado, com preços dentro dos que são praticados hoje. Acredito que seria de grande valia para todos. Porque depender desse governo atual, nunca nos servidores sairemos dessa cova.

  • Angelo | Domingo, 04 de Março de 2018, 23h58
    3
    0

    Se estivéssemos em um país sério, esse senhor não teria tempo para emitir o seu "parecer" de sobre como gerir o MT Saúde pois já estaria preso !

  • cristovão | Domingo, 04 de Março de 2018, 22h27
    6
    0

    Este é o problema deste Governo, não toma posição, deixa correr frouxo. É indeciso, ainda bem que está acabando. Quando assumiu o Governo criou os Gabinetes sem necessidade, aumentando a maquina, posteriormente teve oportunidade de fazer uma Reforma Administrativa em 2016 e 2017, porém, NADA fez . Lamentável.

  • Ilze | Domingo, 04 de Março de 2018, 18h34
    6
    0

    Eu lembro de quando criaram esse MT Saude, alguns colegas migraram para o mesmo deixando outros panos com bons serviços que hoje em dia não são mais oferecidos. Ficaram eufóricos porque era bem mais barato que os demais. Então eu pensei comigo mesmo e e conclui que não deveria correr esse risco. Ocorre que me veio a mente o seguinte: essas coisa criadas pelo governo não são lá muito confiáveis, porque logo entra a politicagem na gerência e mela o negócio. E eis que, um dos primeiros diretores a exercer o comando de do MT Saúde, saiu sob acusação de prática de desvios e outras malfeitorias. Hoje o resultado está posto bem visível à todos, com todo o Ônus para quem entrou nessa aventura, achando que era coisa séria. Nem se eu fosse Mãe Dinah, teria cantado essa pedra com tanta presteza. E não é que?

  • Antonio | Domingo, 04 de Março de 2018, 18h14
    12
    0

    Uma pena para o servidor que perde mais esta conquista, tempos difíceis , quem já teve amigos e parentes que precisaram e não foram assistidos entendem a real situação , tomara que os próximos gestores viabilizem o plano pois essa demanda com toda certeza lotará ainda mais a rede pública.

  • Carlos Nunes | Domingo, 04 de Março de 2018, 16h49
    13
    2

    Puxa vida! Esse Governo já tá na reta final, tiveram 4 anos pra reestruturar o MT Saúde e não fizeram nada. Por que não entregam o MT Saúde pros servidores, que o sustentam, pra administrar. Na certa na mão dos donos o negócio, os servidores públicos, o negócio rende...na mão do Governo o negócio faliu, mesmo o dinheiro sendo descontado na Folha de pagamento. Quem sabe o novo Governador adote essa idéia...quem vai gerir o MT Saúde serão os servidores. Aí, a gente aproveita e convence o futuro presidente da república, Bolsonaro, a deixar OS APOSENTADOS gerirem A Previdência ...ai, nunca mais nenhum aposentado será humilhado. Cada um administrando a parte que mais interessa...o negócio vai render a beça. No fundo é só o Governo que atrapalha o negócio. Os Governos passam, as Instituições permanecem.

  • Carlos | Domingo, 04 de Março de 2018, 15h06
    11
    1

    Uma perguntinha, o mt saúde é plano assistencial ou um plano de saúde como os oferecidos pela unimed, bradesco, sulamérica, etc.

Matéria(s) relacionada(s):

Vereadores de Acorizal agora com VI

A Câmara Municipal de Acorizal resolveu seguir as demais e instituir verba indenizatória não apenas para os seus nove vereadores. Incluiu também no benefício financeiro ocupantes de diversos cargos. Agora, além do salário, cada parlamentar terá direito a R$ 1,5 mil mensal. E quem ocupa a presidência da Mesa receberá R$ 2 mil. Os vereadores alegam que essa verba tem caráter ressarcitório do exercício da...

Prefeito "estoura" limite da lei fiscal

asiel alt floresta   O prefeito de Alta Floresta, Asiel Bezerra (foto), do MDB, recebeu alerta do conselheiro Guilherme Maluf sobre descontrole dos gastos, principalmente com a folha de pessoal. Debruçada nos relatórios, a Secretaria de Controle Externo de Receitas de Governo do TCE constatou que as despesas com pessoal atingiram...

Trâmites para alugar carros à Câmara

misael galvao curtinha   Diferente dos antecessores, que omitiam informações, principalmente em relação a medidas consideradas impopulares, o presidente da Câmara de Cuiabá Misael Galvão (foto), numa demonstração de transparência e de coragem para enfrentar críticas,...

Silval é chamado de ladrão no Fórum

silval_curtinha   O ex-governador Silval Barbosa, que hoje ganhou o direito ao regime semiaberto, foi hostilizado por populares no Fórum de Cuiabá. Um homem, que estava no corredor, que dá acesso às salas onde acontecem às audiências, gritou: “Silval, ladrão”. Jornalistas chegaram a...

Jayme é simpático à reeleição de EP

jayme campos curtinha   Jayme Campos (foto) vai comprar briga interna no DEM em defesa da reeleição do prefeito Emanuel Pinheiro. Mas o núcleo ligado ao governador Mauro Mendes não é muito simpático a essa ideia. Numa reunião recente, com participação de Mauro Carvalho,...

Busca de brecha para demitir efetivos

A briga do governador Mauro Mendes com servidores, especialmente da Educação, que cruzam os braços na próxima segunda, tende não só se acirrar, como trazer consequências quase inimagináveis. O Executivo já anunciou que vai exugar 20% dos cargos comissionados e que, se necessário, pode demitir até efetivos, o que hoje seria impossível por causa de leis que asseguram estabilidade no serviço público....

MAIS LIDAS

ENQUETE

Tramita na Câmara Federal o projeto 832/2019, do deputado José Medeiros, requentando uma proposta de 2007 do então deputado Jair Bolsonaro, propondo extinguir o Exame da Ordem como exigência para inscrição na OAB e, assim, poder exercer a profissão. O que você acha disso?

Concordo - esse Exame tem de acabar

Discordo - bacharel precisa, sim, se submeter ao Exame

Sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.