Legislativo

Segunda-Feira, 09 de Setembro de 2019, 17h:02 | Atualizado: 09/09/2019, 17h:07

PALANQUE

Editor do The Intercept desafia Medeiros a provar acusação de "compra de mandato"

Reprodução

Leandro Demori

Post do jornalista Leandro Demori, editor do site The Intercept no Twitter, em que desafia do deputado José Medeiros

O jornalista Leandro Demori, editor do site The Intercept Brasil, desafiou o deputado federal José Medeiros (Podemos)  a mostrar as provas de que o veículo tenha sido usado para “comprar o  mandato”  do psolista Jean Wyllys.  Isso porque, nesta terça (10), vai participar de debate na Câmara dos Deputados sobre as reportagens da Vaza Jato que denunciam o suposto conluio entre o ex-juiz Sérgio Moro e os procuradores da força-tarefa Lava jato, coordenada por Deltan Dallagnol, para prender o ex-presidente Lula (PT).

Ocorre que em junho, Medeiros enviou ofício para a Procuradoria Geral da República (PGR) e para a Polícia Federal (PF) solicitando investigação sobre uma possível “venda de mandato” do ex-deputado federal Jean Wyllys para o então suplente David Miranda, ambos do PSOL do Rio de Janeiro.

A justificativa de Medeiros seriam as reportagens do site The Intercept sobre a Vaza Jato. Para o parlamentar, o fato de o editor do site Glenn Greenwald ser casado com David Miranda, não seria “coincidência do destino”.

Medeiros diz que Greenwald teria conseguido as informações por meio de um hacker e que o Brasil pode estar sendo vítima de espionagem internacional.

Em janeiro, Wyllys renunciou o mandato como deputado federal pelo Rio de Janeiro e deixou o país alegando sofrer ameaças de morte. Em seu lugar, assumiu o suplente, David Miranda.

Além de Medeiros, Leandro Demori estendeu o desafio para outros bolsonaristas que atacaram o The Intercept. A lista inclui Joice Hasselmann (PSL-SP), líder do governo Jair Bolsonaro (PSL),  Felipe Barros (PSL-PR), Carla Zambelli (PSL-SP). Entre outras coisas, os parlamentares defenderam a prisão da equipe do site e até mesmo a deportação de Glenn Greenwald, que é norte-americano.

Ao , Medeiros declarou que não vai comparecer ao debate. Segundo ele, Leandro Demori é suspeito de comenter crimes e tem a estratégia de usar a Câmara como palanque. "O chefe dele [Glenn Greenwald] já esteve aqui e não respondeu nada. Não vou dar palanque para suspeito de comenter crimes. Estou fora", declarou.

Postar um novo comentário

Comentários (8)

  • Elias | Quarta-Feira, 11 de Setembro de 2019, 13h38
    0
    0

    Va trabahar

  • Jurema Lima | Terça-Feira, 10 de Setembro de 2019, 12h20
    1
    4

    Esse Medeiros é um puxa saco e fanfarão

  • Xai | Terça-Feira, 10 de Setembro de 2019, 10h12
    1
    4

    O ônus da prova é de quem acusa, senão é calúnia!

  • Jair | Terça-Feira, 10 de Setembro de 2019, 10h06
    1
    0

    FRAUDAR ATA TBM NAO SERIA UM CRIME NOBRE DEPUTADO..?

  • Paulo Menezes | Terça-Feira, 10 de Setembro de 2019, 09h11
    5
    3

    Comportamento normal dessa turma, falam o que querem, mas na hora de ficar cara a cara correm. Não passam de covardes.

  • Eleitor | Segunda-Feira, 09 de Setembro de 2019, 21h00
    11
    9

    O cara escreveu que o deputado pediu investigação, e aí pede provas, ora quem pede investigação não tem provas tem suspeita se tivesse provas pedia a prisão não investigação. Eita Brasil tão querendo fazê-lo um país sem lei em nome Duma dita liberdade de expressão e de imprensa ou sigilo da fonte.

  • Joaquim Alves | Segunda-Feira, 09 de Setembro de 2019, 20h12
    15
    12

    Para ser deputado devia ter que fazer exame de sanidade mental. Assim, evitaria envergonhar a população...

  • ronaldo araujo | Segunda-Feira, 09 de Setembro de 2019, 17h39
    15
    11

    Esta com medo deputadinho de ocasião ou tem receio de ser perguntado da ata fraudada?

Matéria(s) relacionada(s):

De fora da disputa em Rondonópolis

percival muniz 400   O pecuarista Percival Muniz (foto), hoje "mergulhado" nas duas fazendas na região do Xingu, adianta que não será candidato a prefeito de Rondonópolis, posto já ocupado por ele por três vezes. Mesmo com recall junto à população de bom gestor e popular, ele é...

Conselheira e o faturamento familiar

jaqueline jacobsen curtinha 400   Está repercutindo muito mal para a conselheira substituta do TCE-MT Jaqueline Jacobsen (foto) a notícia publicada pelo site O Livre, nesta sexta, de que a sua irmã, advogada Camila Jacobsen, em sociedade com Eveline Guerra, filha da conselheira, são sócias da "Jacobsen &...

Selma vê maior conforto no Podemos

selma curtinha 400   No grupo de WhatsApp "PSL Mulher MT", Selma Arruda (foto) escreveu um texto de despedida do partido. Disse estar chateada "com tudo isso", mas que não perdeu a fé e que o Governo Bolsonaro vai dar certo. Afirma sair do PSL com "coração partido" e que continua com os mesmos ideais no Podemos, onde...

Podemos esperando Selma se salvar

alvarodias_curtinhas   Na busca para ampliar a bancada do Podemos no Senado, o senador Alvaro Dias, derrotado à presidência no ano passado, só correu atrás de Selma, no sentido de convencê-la a se filiar no partido, depois que foi informado que ela tem chances reais de derrubar no TSE a cassação por...

Fávaro e esperança em assumir vaga

carlosfavaro_curtinha   O representante do escritório de MT em Brasília Carlos Fávaro (PSD) está convicto de que a senadora Selma não só será cassada de vez pelo TSE nos próximos meses, como a decisão da Corte lhe permitirá assumir a vaga enquanto não for eleito um novo...

Maturidade e nova visão sobre o TCE

janaina_riva_curtinha   No segundo mandato e sentindo-se mais madura politicamente, apesar de ainda bem jovem – completou 30 anos em 21 de janeiro – a deputada Janaína Riva revela que pensa diferente sobre a indicação de políticos ao cargo de conselheiro do TCE. Ao autorizar os colegas a derrubar a...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Na sua opinião, como está indo o Governo Mauro Mendes?

excelente

bom

regular

ruim

péssimo

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.