Legislativo

Segunda-Feira, 19 de Outubro de 2020, 15h:07 | Atualizado: 19/10/2020, 19h:12

CONSELHO DE ÉTICA

Jayme defende que colega flagrado com R$ 33 mil na cueca se afaste do Senado

Rodinei Crescêncio

Jayme Campos

O senador Jayme Campos, que é presidente do Conselho de Ética do Senado, que deve analisar caso de Chico Rodrigues, pego com dinheiro na cueca

Em reunião com o presidente do Senado Davi Alcolumbre (DEM-AP), o senador Jayme Campos (DEM) defendeu o afastamento do colega Chico Rodrigues (DEM-RR), ex-vice-líder de Jair Bolsonaro (sem partido). Para o presidente do Conselho de Ética, Chico, que foi pego com dinheiro escondido dentro da cueca, deveria se licenciar do mandato para esclarecer o caso. O prazo seria de 121 dias.

"Se eu fosse ele, eu pediria uma licença por 121 dias para não ter nenhuma dúvida de que ele quer, de fato, esclarecer a verdade. E a verdade, com certeza, será na medida em que este inquérito poderá transformar em processo e ele, o que alega na própria representação, poderá certamente tentar coagir do exercício do mandato alguma pessoa ou outra, quem quer que seja, para que naturalmente não seja retratada a verdade", disse Jayme em entrevista ao Jornal Hoje nesta segunda.

O senador informou que a representação dos partidos contra Chico foi encaminhada à Advocacia-Geral do Senado. Contudo, o caso ainda não tem data para ser tratado no Conselho que ainda não retomou as atividades presenciais e tem pautas pendentes de análise.

Flagrado escondendo R$ 33 mil na cueca, Chico alega que o montante não era recurso ilícito. O caso veio à tona após policiais desconfiarem do volume na roupa do político durante uma operação que cumpriu mandados de busca e apreensão na casa do parlamentar. A investigação tratava de possível esquema de desvio de recursos do erário.

Com a grande repercussão, senadores de vários partidos protocolaram representação no Conselho de Ética no Senado pedindo a cassação do mandato do colega. Segundo Jayme, cabe ao plenário decidir sobre a retomada das reuniões presenciais.

"É humanamente impossível, você não pode, em hipótese alguma, votar remotamente uma matéria tão importante como a cassação ou possível cassação ou alguma pena que possa receber o senador Chico Rodrigues", disse o democrata que também se manifestou no mesmo sentido sobre o caso envolvendo o senador Flávio Bolsonaro, que é investigado por suposta prática de “rachadinha” na Assembleia do Rio de Janeiro.

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • Gutemberg Abreu | Quarta-Feira, 21 de Outubro de 2020, 15h06
    0
    0

    esse senador usou uma desculpa esfarrapada, dinheiro na cueca para pagar funcionarios?conta outra! A impunidade impera no senado, se afastou e quem assume? o filho! e o senador Jaime ainda defende um mala desses!

  • Benedita da Silva | Segunda-Feira, 19 de Outubro de 2020, 19h30
    7
    0

    Interessante a justificativa , de não haver sessões presenciais por conta da pandemia. Sessões de Tribunais estão sendo realizadas assim, sessões legislativas também. Ou devemos naturalizar esta conduta, achar que é normal guardar dinheiro na cueca entre as nádegas? Que cédulas de papel moeda, devam ser literalmente borradas e ali guardadas para pagamento dos funcionários? Somos piada mundial, com a repercussão deste caso. O clube dos amiguinhos vai passar pano neste episódio fedorento, escatológico ?

  • lazara | Segunda-Feira, 19 de Outubro de 2020, 18h52
    6
    0

    TEM Q CASSAR MANDATO DESSE Q DIZ SENADOR COM DINHEIRO ESCONDIDO NA CUECA QUEM APOIAR PIOR QUE ELE. BLOQUEAR TODOS OS BENS.

  • rico | Segunda-Feira, 19 de Outubro de 2020, 16h04
    0
    0

    rico, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • pedro | Segunda-Feira, 19 de Outubro de 2020, 15h37
    9
    0

    é djaime quem te viu quem te ve hein rs

Erros estratégicos e fim de mandato

niuan ribeiro 400   Niuan Ribeiro (foto) termina melancolicamente o mandato de vice-prefeito da Capital, marcado pela ambiguidade, erros estratégicos e vacilações. Logo no início da gestão, resolveu romper politicamente com o prefeito Emanuel, a quem passou a criticar, achando que se consolidaria como...

Retorno ao TCE ou cargo no governo

marcelo bussiki 400 curtinha   A partir de 1º de janeiro, com o fim do mandato de vereador pela Capital, Marcelo Bussiki (foto) retorna ao cargo efetivo de auditor do TCE-MT. Mas é possível que ele seja convidado por Mauro Mendes para compor o quadro de principais assessores do chefe do Executivo estadual. Bussiki foi...

DEM, bate-cabeça e plano B frustrado

fabinho garcia 400 curtinha   O ex-deputado federal e empresário Fábio Garcia (foto) acabou deixando o DEM órfão de candidatura a prefeito da Capital. Numa conversa com o governador Mauro, seu padrinho político, Fabinho o assegurou que iria sim disputar o Palácio Alencastro, mesmo pedindo trégua por...

Mauro sofre 2 derrotas para Emanuel

mauro mendes 400 curtinha   Mauro Mendes (foto), principal estrela do DEM em MT, acabou amargando duas derrotas em Cuiabá para o prefeito Emanuel, neste ano, embora não tenha sido candidato nas urnas. Em princípio, buscou candidatura própria com o seu partido, mas todos os nomes possíveis, como de Gilberto, Gallo,...

Três derrotas do marqueteiro Antero

antero de barros curtinha 400   O ex-senador, jornalista e marqueteiro Antero de Barros (foto) não levou sorte nas campanhas eleitorais as quais coordenou nestas eleições. Em Lucas do Rio Verde, empurrou à reeleição o prefeito Luiz Binotti que, mesmo com o poder da máquina, perdeu para o...

Lideranças jogaram duro contra EP

carlos favaro 400 curtinha   Emanuel Pinheiro teve uma reeleição sofrida em Cuiabá. Lutou contra os principais líderes políticos, que se juntaram em torno da candidatura de Abílio, uns publicamente, outros nos bastidores. O governador Mauro Mendes, por exemplo, jogou pesado para tentar derrotá-lo....

MAIS LIDAS