Legislativo

Quarta-Feira, 14 de Agosto de 2019, 19h:17 | Atualizado: 14/08/2019, 19h:34

PENITENCIÁRIA CENTRAL

João Batista nega abuso durante operação e justifica que a "PCE não é playground"

JLSiqueira

Jo�o Batista

Deputado João Batista durante sessão na AL; ele foi eleito com forte apoio dos servidores do sistema penitenciário

Ex-presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Estado (Sindspen) e líder da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia, o deputado João Batista (Pros) negou que haja irregularidades na operação deflagrada pela secretaria estadual de Segurança Pública Estadual (Sesp) na Penitenciária Central do Estado (PCE). Ele afirmou que a medida é fundamental para evitar futuras tragédias na unidade prisional.

A Operação Agente Elisson Douglas foi deflagrada na segunda (12). A medida, que tem o principal objetivo de combater o crime organizado na cadeia, deve durar 30 dias. Conforme a pasta, estão sendo feitas mudanças nas celas, pinturas e retirada de itens que estão em desconformidade com o Manual de Procedimento Operacional Padrão do Sistema Penitenciário - como celulares e drogas.

A PCE é a maior penitenciária do Estado. Ela possui capacidade para 900 presos, mas abriga, atualmente, 2,1 mil detentos.

Apesar de a Sesp afirmar que a operação está sendo feita sem problemas, detentos e parentes de presos afirmam que eles estão sofrendo violência por parte de agentes penitenciários e estão sendo obrigados a beber água suja.

O deputado, no entanto, negou que os presos estejam passando por situação degradante durante a operação. “Esses presos estão temendo perder o ilícito que tem lá dentro. Agora vão apelar para a família e para advogados para pedir apoio externo”, declarou ao .

“Algumas pessoas reclamaram do fato de que os presos ficaram de cueca. Mas é uma medida necessária. A gente não está fazendo limpeza em um playground de um jardim de infância. É uma penitenciária com gente de altíssima periculosidade, alto poder aquisitivo e que se não for feito dessa forma, com certeza vão fazer terror com o pessoal lá”, acrescentou.

Ele relatou que esteve na PCE no primeiro dia da operação e não notou nenhum tipo de violência contra os detentos. “Nenhum disparo havia sido efetuado, também não tinha sido usado gás de pimenta ou força física, nem mesmo moderada. De lá pra cá, claro, se houver alguma insurgência, esses recursos podem ser usados”.

Conforme familiares de detentos, incontáveis tiros de borracha foram efetuados na PCE desde o início da operação.

Para o parlamentar, a operação é fundamental para evitar possíveis tragédias como o assassinato em massa de detentos, como tem acontecido em outros estados. “O que estão fazendo na PCE é justamente para evitar o que aconteceu no Amazonas ou no Maranhão, onde os presos se estruturaram, entraram em guerra de facção e fizeram verdadeiro massacre. Se isso não acontece em Mato Grosso, é em virtude da ação dos agentes. Está sendo feita uma operação, sim, mas estão sendo respeitados os direitos dos presos”.

“Salve Geral”

O parlamentar também comentou que os áudios nos quais é anunciado um suposto “salve geral” em Cuiabá, em razão da operação, estão sendo investigados. “Nas ruas, as demais forças de segurança estão mobilizadas. Se eles tentarem, com certeza vão ter resposta”.

Ainda de acordo com o parlamentar, a operação não é focada apenas no sistema penitenciário. Revela que ele já havia conversado com o governador Mauro Mendes (DEM) para que o Estado desse uma resposta mais efetiva em relação à violência e, "principalmente", no sistema penitenciário.

Assessoria

Opera��o PCE

Imagens de dentro da PCE, que desde 2ª é alvo de operação contra crime organizado; itens de presos são retirados das celas e a alimentação segue normal

Sindicato nega falhas em operação

Em nota, o Sindspen afirmou que a operação está ocorrendo dentro do previsto e cumprindo os Procedimentos Operacionais Padrão. O diretor do sindicato, Antônio Júlio Rodrigues, declarou que tem acompanhado o desenrolar da operação e pontuou que tudo está correndo dentro do previsto, legalidade e responsabilidade.

Segundo o diretor, a operação segue da seguinte forma: os agentes penitenciários entram no corredor, retiram os reclusos de uma determinada cela e os colocam na quadra, cada um sai com tudo que tem dentro da cela e quando passa pelo agente é perguntado se tem conhecimento do que é permitido pelo Manual de Procedimento Operacional Padrão.

Dependendo da resposta do preso, conforme o diretor, é informado que os agentes escolherão o que o preso poderá guardar consigo. O que for considerado desnecessário, será retirado, catalogado com o nome dele e posteriormente será encaminhado para que a família leve para casa.

 Conforme o sindicato, a operação durará 30 dias, porque é o período considerado necessário para retirar tudo que é excesso – como ventiladores, freezer, entre outros objetos. No período, também deverá ser feita a reforma interna dos raios. No período da operação, não haverá visitas.

Segundo o Sindspen, já foi retirada uma grande quantidade de materiais. No entanto, o sindicato pontua que ainda falta muita coisa para ser retirada. 

A presidente do Sindspen, Jacira Maria da Costa Silva, frisou que além do sindicato, familiares de detentos e demais autoridades já foram verificar a operação e não há nada que desabone o procedimento dos agentes até o momento.

“Estamos atentos a essa operação, e podemos dizer que até agora não teve necessidade de fazer disparos, não há nenhum morto e os presos estão aceitando, sem grande resistência. A verbalização está bem clara e audível. Vamos continuar acompanhando e informando a sociedade e familiares dos reclusos que os direitos estão sendo mantidos e depois de 30 dias terão um ambiente mais arejado, para visitar seus entes queridos”, declarou.

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • Zora | Quinta-Feira, 15 de Agosto de 2019, 10h57
    0
    0

    Humilhação nunca teve e nunca terá nenhum resultado que preste. Só agrada aos sádicos e aos masoquistas. Esse tipo de ação só serve pra deixar contentes aqueles que têm a ilusão de que pancadaria leva a algum lugar. Até leva: à barbárie, ao fim da civilidade.

  • alex r | Quinta-Feira, 15 de Agosto de 2019, 09h07
    1
    0

    Ainda me pergunto pq não temos parlatório???

  • Valter | Quinta-Feira, 15 de Agosto de 2019, 09h01
    5
    1

    Karen, adota uns 02 e leva para sua casa para tomar de conta dos inocentes.

  • Paulo | Quinta-Feira, 15 de Agosto de 2019, 07h10
    12
    2

    Eu acho que a força está moderada demais. Precisa pegar mais pesado com essa turma de vadios. Não quer sofrer lá dentro, evita ir pra lá, simples assim. Não rouba, não assalta, não vende drogas, não estupra, não mata, tenho certeza que lá dentro todo mundo já cometeu algum desses delitos. E a vítima sofreu em virtude disso.

  • Karen | Quarta-Feira, 14 de Agosto de 2019, 22h38
    3
    20

    A repórter desta matéria e seu fotografo presenciaram junto com os familiares dos detentos os barulhos do tiros e bombas vindo da PCE... presenciaram tbem a saída de 3 detentos os quais relataram tudo oq estavam passando lá dentro, entre tomando água suja, sem energia, sem nada, e ainda represada com spray de pimenta bombas de gás e tiros de borracha. No entanto relatam como a maioria dos outros entrevistadores só oq o sistema penitenciário fala. Hipocrisia, falta de humanidade... espero q vcs nunca errem e vejam a parar em um lugar deste... Pois atiram muitas pedras em quem já errou

  • Caroline | Quarta-Feira, 14 de Agosto de 2019, 21h02
    3
    20

    Ridículo! Espere a próxima eleição. Depois de eleito só aparece pra foto dó Facebook

Matéria(s) relacionada(s):

Licitação irregular em Alto Araguaia

gustavo de melo 400 curtinha   O conselheiro-subtituto do TCE, Luiz Carlos Pereira, determinou que o prefeito de Alto Araguaia, Gustavo de Melo (foto), suspenda de imediato, devido a apontamento de irregularidades, uma licitação para contratar por R$ 2,9 milhões uma empresa com vistas a executar obras de asfaltamento tipo TSD...

Mutirão fiscal prorrogado na Capital

Emanuel Pinheiro curtinha   Levando em consideração o grande número de contribuintes interessados em negociar dívidas com o município, o prefeito Emanuel Pinheiro (foto) decidiu prorrogar o Mutirão de Conciliação Fiscal até 30 de agosto. Os atendimentos foram retomados na terça...

6 deputados podem tentar prefeitura

silvio favero curtinha   Pelo menos seis deputados estaduais ensaiam candidatura à prefeitura. Eles nada têm a perder, pois a legislação não exige renúncia do mandato no Legislativo para disputar vaga no Executivo.  Sílvio Fávero (foto) deve concorrer em Lucas do Rio Verde, numa...

Munhoz agora é adjunto na Sinfra

 Mauricio Munhoz-curtinha-400   O governador Mauro Mendes nomeou o economista e escritor Maurício Munhoz (foto) como secretário adjunto de Gestão e Planejamento da Sinfra, pasta comandada por Marcelo Padeiro. Filiado ao PSD, é representante da Fundação Espaço Democrático em MT, que...

Contribuição com óculos às crianças

virginia mendes 400   Após lançamento de campanhas sociais, como o Aconchego, com distribuição de 100 mil cobertores a famílias em situação de extrema vulnerabilidade, de festas para angariar fundos e ajudar entidades, e do empenho pela reabertura do Hospital Estadual Santa Casa, a primeira-dama do...

Sob efeito das urnas e tiro pela culatra

valtenir pereira 400   Valtenir Pereira (foto), indiciado pela PF por envolvimento em desvio de recursos da União, não conseguiu se reeleger no ano passado. Ficou na primeira-suplência. E culpou o que chamou de traição do prefeito cuiabano Emanuel Pinheiro por este ter lançado o filho Emanuelzinho, que se...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Na sua opinião, como está indo o Governo Mauro Mendes?

excelente

bom

regular

ruim

péssimo

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.