Legislativo

Sexta-Feira, 28 de Fevereiro de 2020, 15h:18 | Atualizado: 28/02/2020, 23h:21

TENSÃO COM O CONGRESSO

Leitão critica radicalismo ideológico no país: tem gente se achando no Governo

Rodinei Crescêncio

Nilson Leit�o

Pré-candidato ao Senado Nilson Leitão, em entrevista exclusiva na sede do Rdnews, nesta sexta, quando falou da relação do Executivo e Legislativo

O radicalismo da Direita dentro do Governo Federal e do Congresso preocupa o pré-candidato ao Senado Nilson Leitão (PSDB). Em entrevista ao , o tucano falou sobre a polêmica protagonizada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que tem travado embates com o Congresso.  

Leitão, que pretende disputar a vaga da senadora cassada Selma de Arruda (Podemos), afirma que defende as instituições democráticas e pretende lutar por isso ainda que não seja eleito senador por Mato Grosso.

“Não é fechar o Congresso que vai resolver a crise, se a população está insatisfeita com seus representantes, deve trocar quem está lá e não destruir as instituições democráticas

Nilson Leitão

Para ele, não é só a esquerda que tem seus radicais, a direita também não fica de fora. “Teve uma mudança ideológica radical e tem muita gente se achando no Governo Bolsonaro”, disse. O pré-candidato criticou a postura do ministro do Gabinete de Segurança Institucional, General Heleno e dos defensores de um “novo AI-5”.

“Não é fechar o Congresso que vai resolver a crise, se a população está insatisfeita com seus representantes, deve trocar quem está lá e não destruir as instituições democráticas”, concluiu.

Crise nacional

O estranhamento entre Governo e Congresso teve início em dezembro de 2019 quando Bolsonaro decidiu vetar um trecho da Lei de Diretrizes Orçamentárias, a LDO. O orçamento total do Governo para 2020 é de R$ 1,5 trilhão, mas somente R$ 80 bilhões podem ser gastos livremente, todo o restante já tem destinação e não pode ser alterado.

O trecho vetado pelo presidente deixava nas mãos do congresso o manejo de 30 dos R$ 80 bilhões que ele poderia gastar como entendesse. Contudo, o Congresso não aceitou o veto e pretende usar com emendas parlamentares.

A crise ficou ainda mais grave quando um dos homens mais próximos do presidente, o ministro do GSI, general Heleno, falou em uma live no Facebook, sem saber que estava sendo transmitida ao vivo, que senadores e deputados estão fazendo chantagem.

A reação dos grupos conservadores à possível chantagem que o presidente estaria sofrendo foi marcar um protesto para o dia 15 pedindo o fim do Parlamento e o retorno dos militares ao Poder.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), e do Senado Davi Alcolumbre (DEM) lamentaram a fala do ministro General Heleno e afirmaram a necessidade de harmonia entre os Poderes.

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • Amaral de souza | Sábado, 29 de Fevereiro de 2020, 08h40
    5
    1

    Leitao é do velho estilo e permanece agarrado às mamas estatais. Nao serve de exemplo e nem como integrante do congresso. Basta disso.

  • Everton | Sexta-Feira, 28 de Fevereiro de 2020, 17h33
    3
    3

    Márcio Sá! Muuuuuuuuuu

  • marta | Sexta-Feira, 28 de Fevereiro de 2020, 16h46
    6
    4

    a realidade, que democracia no brasil não sabem usar, falam em voto, mas se vc não gostar do candidato a 2 anos, tem que esperar mais 2 pra tirar ele, o brasileiro vive de migalhas, não sabe votar, querendo ou não os militares são melhores, e agora os tempos são outros....

  • Reginaldo Pinheiro | Sexta-Feira, 28 de Fevereiro de 2020, 16h15
    6
    3

    Sr Leitão, o sr há de convir que, nesse modelo de representação, uma troca não é simples assim, apenas os caciques tem chance de triunfar nas eleições, é tão anormal esse sistema pseudo representativo que na última eleição para a presidência da câmara foi eleito um sujeito co 70 mil votos e no senado uma disputa entre Macapá e Alagoas, com todo respeito a esses estados, mas, se o sistema representativo fosse justo, estados como São Paulo o mais rico ou Mato Grosso com o maior PIB agrícola deveria estar na disputa pelo senado ou câmara.

  • alexandre | Sexta-Feira, 28 de Fevereiro de 2020, 15h46
    14
    4

    Tem gente se achando no congresso, o regime é presidencialista, não ao parlamentarismo branco, o povo rejeitou....no plesbicito

  • Márcio Sá | Sexta-Feira, 28 de Fevereiro de 2020, 15h46
    10
    10

    Por esse tipo de posicionamento que o Deputado José Medeiros terá o meu voto!

Sem alarde, vereador muda de partido

viniciys clovito curtinha   De última hora e sem alarde, o vereador pela Capital Vinicyus Hugueney (foto) resolveu deixar o PP e se filiou ao Solidariedade. Com isso, o PP não se torna o único com a maior bancada. Está com três vereadores, assim como o PV e o PSDB. No SD, Vinicyus vai concorrer internamente com...

Irmão de Thelma na lista dos traidores

ronaldo pimentel 400 curtinha   Na carta aberta assinada por Ricardo Saad, que preside o PSDB cuiabano, ele reclama de dívidas milionárias herdadas de antecessores, inclusive dos R$ 4 milhões de pendências somente do pleito de 2016, e menciona, entre outras coisas, que "(...) há correligionários, que estavam...

A bronca de Saad com Wilson Santos

ricardo saad curtinha 400   O vereador Ricardo Saad (foto), presidente do PSDB da Capital, resolveu disparar a metralhadora verbal contra colegas tucanos. Sobre o ex-prefeito e hoje deputado Wilson Santos, considera que este nada fez para ajudar o partido a se reestruturar, visando as eleições de outubro. Mesmo sendo vice-presidente...

Janela tira muitos políticos do calvário

gilberto figueiredo curtinhas   O fechamento da janela partidária, que encerrou-se no último sábado, dia 4, marcou o fim de um longo calvário aos partidos, que tiveram que suportar em seus quadros políticos que não estavam mais de “alma”, mas somente de “corpo”. Na Câmara...

Só 2 vereadores não vão à reeleição

felipe wellaton curtinha 400   Apenas dois entre os 25 parlamentares cuiabanos não vão buscar a reeleição. O licenciado Gilberto Figueiredo, que trocou o PSB pelo DEM, quer concorrer a prefeito, assim como Felipe Wellaton (foto), que até trocou de partido, saindo do PV e agora no Cidadania. Pretende disputar...

4 fora da reeleição em Rondonópolis

thiago muniz 400 curtinha   Dos 21 vereadores de Rondonópolis, somente quatro não vão à reeleição, sendo eles Thiago Muniz (foto), agora no DEM, Hélio Pichioni (PSD), Jailson do Pesque-Pague e Rodrigo da Zaeli (ambos do PSDB). Eles garantem se tratar de um caminho sem volta. Destes, dois tentam...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você concorda com a decisão de prefeitos, que começam a decretar estado de emergência, fechando comércio, serviços públicos e o transporte coletivo?

sim

não

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.