Legislativo

Terça-Feira, 25 de Junho de 2019, 09h:34 | Atualizado: 25/06/2019, 09h:40

Polêmica

Moro tem obrigação de se explicar, diz Emanuelzinho sobre diálogos "vazados"

 O deputado federal Emanuel Pinheiro Neto, o Emanuelzinho (PTB), afirmou que não há necessidade de criar desgaste entre a Câmara Federal e o governo federal por conta do adiamento do comparecimento do ministro da Justiça e Segurança Pública Sérgio Moro para prestar esclarecimentos sobre o vazamento das conversas colocam em xeque a imparcialidade da Operação Lava Jato em relação ao ex-presidente Lula. Entretanto, o petebista ressalta que a “confiança nas instituições” está abalada” e, por isso,  Moro tem obrigação de se explicar.  

Rodinei Crescêncio

Deputado federal Emanuelzinho

Deputado federal Emanuelzinho ressalta que Moro deve se explicar, mas que não se pode condenar por antecipação

“Se a audiência com o ministro Moro for confirmada para semana que vem, não tem porque criar constrangimento ou desgaste desnecessário entre governo e Congresso. As coisas podem caminhar de maneira mais harmônica. Agora, as  mensagens vazadas  são sérias, comprometedoras e requerem explicações. Mas, tem que dar oportunidade para o ministro se defender. Ninguém pode condenar por antecipação”, declarou Emanuelzinho durante a entrega da Balsa Ecológica para limpeza do Rio Cuiabá, na manhã desta segunda (24).

Segundo Emanuelzinho, a troca de mensagens entre Moro, o procurador da República Deltan Deltan Dallangnol e demais integrantes da Força Tarefa da Lava Jato mostram uma espécie de conluio entre juízo e acusação. Para o parlamentar, a situação precisa ser esclarecida o mais rápido possível para o bem das próprias instituições democráticas.

 “É o conjunto do direito constitucional brasileiro que está em jogo, a segurança e confiança das instituições, especialmente o Poder Judiciário. Por isso, o ministro Sérgio Moro tem a obrigação de se explicar. Estamos prontos para ouvir atentamente, sem pré-julgamento, o que ele tem a dizer”, completou.

Justificativa

  Moro  anunciou que, devido a sua viagem aos Estados Unidos, não comparecerá à audiência pública que as comissões de Trabalho, Administração e Serviço Público e de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados realizarão nesta quarta (26), em Brasília. O ministro já se colocou à disposição para participar da audiência em outra data a ser definida.

Moro viajou para os Estados Unidos no último fim de semana e só deve retornar ao Brasil na quarta. Em nota divulgada na sexta (21), a assessoria do ministério explicou que a missão oficial inclui uma série de visitas a órgãos de segurança e inteligência norte-americanos, como a Divisão de Operações Especiais da DEA (Drug Enforcement Administration – Administração de Repressão às Drogas, em tradução livre) e ao Centro de Operações de Narcoterrorismo. Moro ainda conhecerá as instalações da patrulha de fronteira entre EUA e México e o centro de inteligência de El Paso, cidade fronteiriça localizada no estado norte-americano do Texas.

Proposto pelos deputados Marcio Jerry (PCdoB-MA) e Rogério Correia (PT-MG), vice-líderes dos respectivos partidos de oposição, o convite a Moro tinha o objetivo de obter esclarecimentos sobre as notícias que vêm sendo publicadas pelo site The Intercept Brasil, em parceria com o jornal Folha de S.Paulo e do programa O É Da Coisa, transmitido pela rádio BandNews FM.

Desde o início do mês, o The Intercept vem divulgando trechos de supostas conversas que Moro teria mantido com integrantes da força-tarefa da Lava Jato quando ainda era juiz da 13ª Vara da Justiça Federal, em Curitiba, onde é julgada parte dos processos da Lava Jato.

O ministro tem afirmado, repetidas vezes, que as mensagens veiculadas pela imprensa foram tiradas de contexto e podem ter sido adulteradas. Moro afirma que usava o aplicativo de mensagens Telegram para “agilizar” os contatos com procuradores da Força Tarefa da Lava Jato necessários à execução de procedimentos legais e que suas conversas não revelam nenhuma ilegalidade, tendo sido obtidas “criminosamente” por hackers que interceptaram as comunicações de autoridades.

Já o The Intercept afirma ter recebido de uma fonte anônima um imenso arquivo contendo mensagens em texto e áudio. A equipe de jornalistas garante ter apurado a veracidade das informações. Para eles, as conversas indicam que Moro infringiu o código da magistratura ao ajudar os procuradores da República a instruirem o processo penal, sugerindo a ordem de deflagração de operações policiais da Lava Jato e indicando testemunhas a serem ouvidas pela acusação. O site diz que não revelará a origem das mensagens. A Constituição Federal reserva a todo jornalista o direito de não revelar suas fontes de informações.

Na semana passada, Moro passou mais de oito horas falando sobre o assunto aos membros da Comissão de Constituição e Justiça do Senado. O ministro disse várias vezes que não se recordava das mensagens, colocando em dúvida a autenticidade delas. Ele disse ainda não ter apego ao cargo e que, se que houver qualquer irregularidade comprovada, ele deixará a função. (Com informações da Agência Brasil)

Postar um novo comentário

Comentários (29)

  • Roberto | Segunda-Feira, 01 de Julho de 2019, 19h52
    1
    0

    Vai cobrar explicações do seu pai, o PALETÓ. É o melhor que vc faz seu zero a esquerda que beira a mongolice.

  • O ATALAIA | Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019, 11h13
    1
    0

    Ao ficar fazendo julgamentos sem demonstrar quais são os seus propósitos e sua missao na politica esse deputado revela rumo indefinido e carater imprudente, fatores que o colocam na contra-mão da prosperidade na carreira...m

  • Edvaldo | Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019, 10h34
    0
    0

    Edvaldo, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • daniel sartor | Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019, 10h26
    0
    0

    daniel sartor, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Edilson | Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019, 09h31
    5
    0

    Vc e sua familia não tem 1/10 da moral do Moro vai trabalhar para justificar o seu salario, pois so nós que o pagamos.

  • Eleitor indignado | Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019, 08h35
    10
    0

    Esse Emanuelzinho já trabalhou alguma vez? ou terá como profissão ser político. Há uma casta de inócuos que não sabem o que fala, por isso, quando abrem a boca, sabe-se que lá vem merda.

  • Paulo | Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019, 07h16
    12
    1

    É deputado passou vergonha com essa declaração excelência. Podia ter ficado calado. O Moro não precisa explicar nada. Até agora do que a imprensa publicou das conversas vazadas não incrimina ele em nada. Olhando pra dentro de sua casa tem político em situação bem pior que até agora não explicou nada devido a morosidade da nossa justiça.

  • Luiz Carlos | Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019, 06h45
    0
    1

    Luiz Carlos , Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • José Herculano da Silva | Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019, 06h43
    12
    1

    É o fim ouvir deste político sobre confiança abalada, e que o Ministro Moro deve explicações. Porque ele não exige o mesmo do seu pai, que até hoje não deu explicações a população sobre o dinheiro no paleto. Venhamos e convenhamos, cada sujeito que aparece.

  • Casa prado | Terça-Feira, 25 de Junho de 2019, 21h03
    1
    1

    Casa prado, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

Matéria(s) relacionada(s):

DEM consulta sobre regras ao Senado

julio campos 400 curtinha   Atendendo orientação da Nacional do DEM, na luta para ampliar bancada no Congresso, o diretório regional do partido vai apostar todas as fichas na disputa suplementar ao Senado. E, antes de avançar na definição de nome, o partido decidiu encaminhar consulta ao TSE para saber se...

Expediente suspenso e posse no TCE

guilherme maluf 400 curtinha   O expediente no TCE-MT será suspenso na segunda, a partir das 12 horas. É que às 15 horas acontece a sessão especial na Escola Superior de Contas, marcando a posse de Guilherme Maluf (foto) na presidência do órgão fiscalizador. O hoje presidente Domingos Neto passa ao...

Túlio, desgaste e disputa em Cáceres

tulio 400 caceres   Derrotado a deputado estadual duas vezes, a última em 2018, Túlio Fontes (foto) não sustenta mais o que declarou há três meses, quando anunciou que ficaria de fora da corrida à Prefeitura de Cáceres. Mesmo tendo abandonado o município por um bom tempo, desde quando concluiu...

Disputa em Sinop e vaga na Câmara

juarez costa 400 curtinha   O deputado federal Juarez Costa (foto) tem espalhado que será candidato a prefeito de Sinop, posto já ocupado por ele por dois mandatos. No fundo, o emedebista espera que Rosana Martinelli (PL), que foi sua vice e depois se elegeu prefeita nas urnas de 2016, desista do projeto de reeleição...

Francis forçando a barra ao Senado

francis maris 400 curtinha   Francis Maris (foto), empresário e prefeito de Cáceres, é mesmo corajoso. Ele anunciou que vai reunir colegas prefeitos da região Oeste para discutir a ideia de entrar na disputa ao Senado, na eleição suplementar para a vaga de Selma, cassada esta semana. Francis se acha "o...

Sindal repudia postura de "indicado"

O presidente do Sindal Jovanildo da Silva se diz traído por Osmar Capilé, representante dos segurados da AL e que exerce cargo de diretor dos Aposentados, que votou favorável a nova alíquota de 14% no Conselho da Previdência. O apoio ao aumento da cobrança gerou revolta entre os servidores do Legislativo, que partiram para cima de Jovanildo cobrando explicações. Em nota de repúdio, o sindicato, que o indicou como representante no...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Como você avalia a decisão do Supremo de suspender prisão imediata após julgamento em segunda instância?

Concordo

Discordo

Tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.