Legislativo

Terça-Feira, 25 de Março de 2014, 13h:13 | Atualizado: 25/03/2014, 14h:54

Não sabia que era irregular empregar filho em outro setor, alega Marcrean

Rodinei Crescêncio

julio_pinheiro.jpg

Júlio Pinheiro garante que não agiu de má fé em contratação

Um dia após o TCE confirmar a existência de investigação de casos de nepotismo na Câmara de Cuiabá, Marcrean dos Santos (PRTB), um dos acusados, disse ao Rdnews que não tinha conhecimento de que o ato era ilegal. Clóvis Hugueney, o Clovito (PTB), por sua vez, está de licença médica. Ontem, ao ser contactado por nossa reportagem, disse estar numa reunião e, depois, não retornou as ligações. O caso veio à tona devido uma representação interna no Tribunal de Contas, que foi apurada por meio de auditoria. O TCE notificou o Legislativo e o caso deve ser apreciado pelo Pleno em 40 dias.

 Já presidente da Câmara, vereador Júlio Pinheiro (PTB), que fez uma das contratações ilegais em sua outra gestão, confessa que ele mesmo convidou a esposa de Clovito, Daniela Ribeiro Cardoso Hugueney, para trabalhar na secretaria de Apoio à Cultura e ao Resgate Histórico, com salário de R$ 8 mil. Apesar disso, justifica que não sabia que esposa também era considerada parente.

Pinheiro pondera desconhecer a existência de jurisprudências na Justiça sobre o parentesco por afinidade. No ano passado, entretanto, o ex-prefeito Manoel Rodrigues de Freitas de Terra Nova do Norte foi condenado por empregar a namorada Patrícia Aparecida da Silva como coordenadora de Programas na Secretaria de Educação e depois como secretária-adjunta de Planejamento e Fazenda. Ele também empregou o irmão Moacir Rodrigues de Freitas como secretário-adjunto de Educação.

O petebista, por sua vez, destaca que a pessoa, quando vai ser contratada pela Câmara ou qualquer órgão público, preenche uma série de requisitos e entrega documentações, dentre eles, um atestado declarando que não possui vínculo empregatício com outro órgão público e que não tem parentesco até terceiro grau com nenhum funcionário da entidade pela qual está sendo contratada.

Mesmo sabendo da relação conjugal de Daniela e Clovito, Pinheiro salienta que não havia qualquer documento dizendo que ela era casada com o parlamentar. Ele salienta ainda que confia na idoneidade das pessoas e que, por isso, nem ele nem o setor de Recursos Humanos checa a veracidade das informações declaradas. “A gente acata o que foi declarado. Não cabe a gente ou o RH fazer uma devassa na vida das pessoas”, enfatiza. Ainda em sua defesa, Júlio Pinheiro garante que não passa a mão na cabeça de ninguém, tanto é que teria determinado a abertura de diversos procedimentos administrativos na Câmara para apurar outras denúncias de nepotismo. 

Marcrean, que empregou o filho Mascwell dos Santos Silva como assessor de Tecnologia da Informação (TI) com vencimento de R$ 1,9 mil, afirmou que não teve má fé. “Se houve falha não foi proposital. Eu achava que não podia empregá-lo apenas em meu gabinete, mas na Câmara achava que não tinha restrição“, garantiu. O parlamentar pontua ainda que, se necessário, está disposto a devolver os salários que o filho recebeu durante os seis meses que trabalhou na Câmara. O rapaz trabalhou no Legislativo até que o Tribunal de Contas notificasse a Mesa Diretora para exonerá-lo.

Essa prática tem sido cometida há anos em órgãos públicos dos três Poderes, inclusive, através do nepotismo cruzado onde os agentes públicos empregam parentes um do outro em seus gabinetes e instituição da qual são gestores com o intuito de mascarar a improbidade. Embora Júlio se isente da responsabilidade da contratação ilegal, e pode responder solidariamente com Clovito pela prática de nepotismo, assim como o ex-presidente João Emanuel (PSD) que contemplou o filho de Marcrean. 

Postar um novo comentário

Comentários (13)

  • Moreira | Quarta-Feira, 26 de Março de 2014, 08h45
    0
    1

    Moreira, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • pedro pedroso | Quarta-Feira, 26 de Março de 2014, 08h33
    1
    0

    Vereador Marcrean, aproveito a oportunidade para lembra-lo da promessa que o senhor fez na final do campeonato amador do Bairro Lixeira, realizado no miniestádio VERDINHO, entre a equipe da LIGA DA JUSTIÇA - (do seu bairro Pedregal, e patrocinado por você também) e a equipe do bairro da Lixeira. O senhor através do microfone nos prometeu vários benefícios para o miniestádio, e até hoje nada do combinado. Temos tudo gravado, heim, estamos esperando. É apenas um lembrete.

  • apolo | Quarta-Feira, 26 de Março de 2014, 08h15
    0
    0

    Não sabia? Me engana que eu gosto!

  • JOSE DA SILVA | Terça-Feira, 25 de Março de 2014, 19h48
    0
    0

    JOSE DA SILVA, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Juca do Pequi | Terça-Feira, 25 de Março de 2014, 17h29
    3
    0

    Esse sujeito exemplifica bem a capacidade e competência dos vereadores de Cuiabá. Se não sabia que era irregular contratar seu filho, o que vai saber de leis? Tenha dó!

  • zé | Terça-Feira, 25 de Março de 2014, 15h31
    2
    0

    Como alguem que trabalha no legislativo não conhece das leis??? E o tempo que seu filho fico empregado atoa na prefeitura de cba??

  • nelson fleury | Terça-Feira, 25 de Março de 2014, 15h17
    5
    0

    ate eu que sou bobo sei, coitado deste vereadores sao tao puros

  • JANUÁRIO | Terça-Feira, 25 de Março de 2014, 15h03
    7
    0

    Ninguém pode alegar o desconhecimento da Lei, principalmente os LEGISLADORES.

  • João Batista Barbosa | Terça-Feira, 25 de Março de 2014, 14h45
    5
    0

    A devolução de verbas salarias não afasta a improbidade administrativa.

  • laura lima | Terça-Feira, 25 de Março de 2014, 14h37
    7
    0

    Engraçado,o senhor Vereador Macream,dizer que NÃO SABIA QUE ERA IRREGULAR EMPREGAR FILHO EM OUTRO GABINETE.Ele não é Vereador? Para que serve o Vereador,não é para fiscalizar?Quanta inocência!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Nós,que não trabalhamos em serviço público,sabemos que não pode.Todo candidato a cargo eletivo tinha que conhecer um pouco da legislação.Agora vai trabalhar na Câmara e faz isto.

Matéria(s) relacionada(s):

Beto decide em maio quem vai apoiar

beto farias 400 curtinha   O prefeito barra-garcense e empresário Beto Farias (foto), que conclui neste ano o segundo mandato consecutivo, não sabe ainda quem apoiar à sucessão municipal. E só tomará uma decisão em maio, já faltando dois meses para as convenções. Até...

Lucas impõe regras pra cortar energia

luiz binotti 400 curtinha   Em Lucas do Rio Verde, a Energisa está proibida de interromper o fornecimento de energia elétrica, mesmo por inadimplência, sem informar ao consumidor, por escrito e com antecedência de 15 dias, sobre a suspensão dos serviços. O projeto aprovado pelos vereadores se transformou na...

Cidinho declina do convite à suplência

cidinho 400 curtinha   O ex-senador e empresário Cidinho Santos (foto), do PL, declinou do convite para compor uma das suplências da chapa ao Senado de Otaviano Pivetta (PDT). Em princípio, ele havia aceitado ser o primeiro-suplente. Mas questões empresariais não permitem que neste ano Cidinho concorra a cargo...

Conselhos, o populismo e a reeleição

ze do patio 400 curtinha   Em Rondonópolis, o prefeito Zé do Pátio (foto), bastante conhecido pelo perfil populista, busca se apegar cada vez mais às massas. Até para inaugurar um posto de saúde, Pátio, estrategicamente, aproveita para criar, ali na comunidade, os chamados conselhos. Busca debater...

Educação Inclusiva no Nilo Póvoas

marioneide 400 curtinha   A Seduc, sob Marioneide Kliemaschewsk (foto), decidiu desativar a tradicional escola estadual Nilo Póvoas, que funcionava há 50 anos no bairro Bandeirantes, em Cuiabá, o que acabou gerando protesto de pais e alunos. O prédio agora vai abrigar o Centro de Referência em...

Partidos com 2 ou mais pré ao Senado

margareth buzetti 400 curtinha   Dirigentes partidários estão passando apurado, nesta fase de pré-campanha, para conduzir o processo de escolha de candidatura ao Senado para a vaga de Selma Arruda, cassada por crimes eleitorais. Mesmo sabendo que as chances são remotíssimas de êxito nas urnas, alguns...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

O governador Mauro Mendes acaba de encerrar o 1º dos quatro anos de mandato. Na sua opinião, como está indo a administração?

ótima

boa

regular

ruim

péssima

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.