Legislativo

Terça-Feira, 21 de Maio de 2019, 17h:23 | Atualizado: 21/05/2019, 17h:32

DISCUSSÃO ESTADUAL

Nova previdência pode trazer prejuízos de R$ 13 tri ao país, diz ex-ministro em MT

Fablicio Rodrigues

Carlos Gabas

Ex-ministro da Previdência social Carlos Gabas participa do debate na AL sobre a proposta da Reforma da Previdência, em tramitação no Congresso

Críticas a PEC que modifica o sistema de previdência social, estabelece regras de transição e disposições transitórias, mexendo com a aposentadoria dos brasileiros, marcaram a audiência pública “Brasil e a Seguridade Social” realizada nessa segunda  (20), na Assembleia. No cerne das discussões, argumentos sobre a sustentabilidade do atual sistema que se contrapõe a proposta do Governo Jair Bolsonaro (PSL).

A PEC da Previdência está tramitando na Câmara dos Deputados e aguarda parecer do relator na Comissão Especial. Ela estabelece mudança do regime solidário, onde a arrecadação para garantia das aposentadorias e pensões está baseada nas contribuições sobre o salário do trabalhador, para um sistema de capitalização individual, onde o empregado fará depósitos mensais em um banco privado para garantir recursos após o período laboral.

O ex-ministro da Previdência social, Carlos Gabas, participou do debate. Em sua palestra, explicou que o atual sistema previdenciário, chamado de Proteção Básica, está previsto no artigo 194 da Constituição e traz garantias ao trabalhador e à previdência.

“O atual sistema é solidário rateando os custos da previdência entre empregado, patrão e governo. Quem ganha mais paga mais, num percentual que vai de 5% a 20%. As empresas contribuem com a contribuição patronal (20%) e o governo retira dos impostos o restante para complementar aposentadoria. Trata-se de um sistema totalmente sustentável, desde que o governo garanta políticas de geração de emprego e renda no país”, disse.

Bolsonaro quer economizar R$ 1,2 trilhão com essa Reforma da Previdência. Mas seu ministro Paulo Guedes não explica qual o custo dessa transição de sistema

Carlos Gabas

Gabas disse que o novo sistema proposto pelo governo federal beneficia apenas instituições financeiras. “Bolsonaro quer economizar R$ 1,2 trilhão com essa Reforma da Previdência. Mas seu ministro Paulo Guedes não explica qual o custo dessa transição de sistema e porque, segundo a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) da ONU, o custo será de dois PIB, ou seja, R$ 13,6 trilhões. Tem lógica querer economizar R$ 1 trilhão abrindo um rombo de R$ 13 trilhões?”, questionou. 

Segundo o ex-ministro, na maioria dos países europeus o sistema de previdência é solidário e em apenas 35 países do mundo foi implantado o regime de capitalização individual. “Desses 35, um total de 18 já voltaram atrás porque a capitalização gera exclusão social, concentração de renda e empobrecimento dos idosos. já que não garante o benefício para o qual o trabalhador contribuiu ao longo da vida. Este sistema permite que bancos e financeiras invistam os recursos arrecadados da maneira que quiserem e não garante que no final do plano contratado haverá pagamento de aposentadoria integral. É o que ocorre no Chile, onde de cada 10 aposentados 9 recebem apenas 40% da média de salários de quando estava na ativa”.

População é contra

Uma pesquisa encomendada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) ao Instituto Vox Populi, realizada entre os dias 1º e 3 de abril, em 1985 municípios brasileiros, mostrou que 65% dos trabalhadores são contra a reforma da previdência. Os quatro pontos mais rejeitados são a obrigatoriedade da idade mínima de 65 anos para os homens e 62 anos para as mulheres; aumento do tempo mínimo de contribuição de 15 para 20 anos e a obrigatoriedade de 40 anos de contribuição para que o trabalhador receba 100% do benefício.

“A nova previdência é uma maldade contra o povo brasileiro, pois impedirá o acesso a aposentadoria e diminuirá o valor dos benefícios. Esse aumento de cinco anos no tempo de contribuição mínima excluirá 64% dos trabalhadores do atual sistema que não conseguirá contribuir pelo tempo exigido em função dos períodos de desemprego”, completou Gabas.

A deputada federal Rosa Neide (PT), disse que Bolsonaro não pode destruir um sistema previdenciário solidário construído ao longo de décadas sem discussão com a sociedade. Para a parlamentar, “a população precisa saber das perdas que serão provocadas caso a PEC seja aprovada”.

“Sou contra essa reforma. Ela acaba com a proteção social que o atual sistema previdenciário garante ao cidadão brasileiro na sua velhice. Não podemos importar um modelo de exclusão que deu errado em outros países e que jogará nossos idosos na miséria”, disse Rosa Neide.

O deputado estadual Valdir Barranco (PT) lembrou que a PEC diminui direitos da grande massa de trabalhadores e beneficia algumas categorias, o que considera injusto.

“As novas regras praticamente tiram dos trabalhadores o direito à aposentadoria integral, um verdadeiro absurdo. Além disso, privilegiam categorias profissionais com sistemas diferenciados. Queremos um sistema único e justo para todos os trabalhadores onde nenhum direito seja suprimido. Não aceitamos a importação de um sistema falido, rejeitado por outros países, e que deprecia os direitos trabalhistas”, disse o deputado Valdir Barranco.

As críticas e propostas apresentadas durante a audiência pública serão encaminhadas à bancada federal de Mato Grosso para que possam ser discutidas na Câmara e no Senado antes da votação da PEC da Previdência (Com Assessoria).

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • José Roberto Jacob | Sexta-Feira, 31 de Maio de 2019, 14h10
    0
    0

    Vamos só calcular se Temer morresse hoje, sua viúva de 34 anos e vivendo até os 84: 50.000,00 sal x 12 x 50 anos=30.000.000,00. Quem aguenta pagar tamanhas conta para esses privilegiados? Teto do INSS para todos, inclusive retroativo.

  • Luxas | Quarta-Feira, 22 de Maio de 2019, 16h59
    1
    0

    Graças a Deus, alguém falou a realidade desse projeto q nada mais é o enriquecimentos dos banqueiros e a morte dos papa capim

  • Thiago alves | Quarta-Feira, 22 de Maio de 2019, 07h13
    7
    1

    "Uma pesquisa encomendada pela CUT ao VOX POPULI" só eu que ri disso ?

  • MARCOS ELENILDO FERREIRA | Terça-Feira, 21 de Maio de 2019, 22h08
    8
    2

    Ex ministro ... pois quando foi fez a mesma coisa... abaixou a cabeça pros milionários e encheu o bolso ... vagabundo !!

  • Dr.STF | Terça-Feira, 21 de Maio de 2019, 19h11
    8
    3

    Não sei porque ainda dão moral para esses piões do Pete e puxadinhos.

  • alexandre | Terça-Feira, 21 de Maio de 2019, 18h30
    8
    3

    CUT, a pesquisa foi na sede do PT.....

Matéria(s) relacionada(s):

Lúdio e incógnita sobre quem apoiar

ludio cabral 400 curtinha   Em 2010, com PT rachado, o hoje deputado estadual Lúdio Cabral (foto) não apoiou Carlos Abicalil, do seu partido, para o Senado. Preferiu virar cabo eleitoral de Pedro Taques, que se elegeu. Agora, para este pleito suplementar ao Senado marcado para 26 de abril, para preencher a vacância devido...

Cotado à cadeira de desembargador

francisco faiad 400 curtinha   É forte o movimento nos bastidores entre os juristas, dentro e fora da OAB/MT, pela indicação do nome de Francisco Faiad (foto) pela classe Quinto Constitucional à cadeira de desembargador. Bem articulado e com bom conceito no meio jurídico, Faiad foi presidente da OAB/MT por dois...

Pivetta promete permanecer no PDT

allan kardec 400 curtinha   O empresário Otaviano Pivetta, que se tornou o mais badalado nesta fase de pré-campanha ao Senado por causa da grande logística em torno do seu nome, se encontra numa saia-justa. Para líderes do Podemos com os quais passou a ter afinidade política, como os senadores Álvaro Dias e...

Ao Senado, 2 partidos e apoio para EP

elizeu nascimento 400 curtinha   Elizeu Nascimento (foto), terceiro-sargento PM licenciado, não é nada bobo. Ex-vereador pela Capital e no mandato de deputado estadual, Elizeu hoje controla o DC-MT e ainda levou aliados de confiança para o PSL-MT, partido que ainda está ligado ao presidente Bolsonaro e que só de...

Digital de Selma no apoio para Pivetta

olga lustosa curtinha 400   Mesmo com laços antigos de amizade com Otaviano Pivetta, Olga Lustosa, que está se desligando do cargo de assessora do gabinete da senadora cassada Selma Arruda em Brasília, causou aquele climão dentro do Podemos quando apareceu no encontro do PDT, neste sábado. O ato marcou o...

Fritado ao Senado, Galvan deixará PDT

antonio galvan 400 curtinha   Como já esperado, o presidente da Aprosoja, Antonio Galvan (foto), foi mesmo patrolado dentro do PDT estadual na tentativa de concorrer ao Senado na suplementar de abril. Com a decisão oficial do partido de lançar o vice-governador Otaviano Pivetta à disputa, Galvan agora pensa em sair da...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Na sua opinião, como está indo o Governo Bolsonaro...

excelente

bom

razoável

ruim

péssimo

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.