Legislativo

Domingo, 24 de Novembro de 2019, 12h:11 | Atualizado: 25/11/2019, 14h:15

MEIO AMBIENTE

Projeto da AL reduz para valores ínfimos as taxas pagas pelo consumo de madeira

Rodinei Crescêncio/Arte/Rdnews

Quadro Projeto AL Madeira

Quadro detalha volumes para reposição florestal de acordo com a quantidade de hectares desmatados em MT

Um projeto de lei complementar em discussão na Assembleia reduz drasticamente os valores da Taxa Florestal, paga por pessoas físicas e jurídicas que desmatam legalmente no Estado. O texto também estabelece volumes para reposição florestal de acordo com a quantidade de hectares desmatados.

Dados do Inpe indicam que Mato Grosso foi o segundo Estado da Amazônia Legal que mais contribuiu com o desmatamento entre julho de 2018 e agosto deste ano. Foram 1,6 mil km quadrados derrubados no período, 13% a mais que no período anterior.

O projeto visa alterar a Lei Complementar nº 233, de 21 de dezembro de 2005, que rege a Política Florestal do Estado.

Hoje, por exemplo, a indústria paga uma UPF por metro cúbico de madeira em tora a ser calculada sobre o consumo utilizado e/ou supressão de vegetação realizada. Na proposta, a taxa é reduzida para 0,10 UPF. Na prática, o valor sai de R$ 144,41 para R$ 14,4, pela UPF de novembro.

No caso do consumo de lenha, o valor cai de R$ 108,3 (0,75 UPF) para R$ 2,8 (0,02 UPF) por metro cúbico. Para o uso do carvão, a taxa cai de R$ 216,6 (1,5 UPF) para R$ 4,3 (0,03 UPF) por metro cúbico. No caso da cabeça explorada de palmito, a queda é de R$ 21,6 (0,15 UPF) para R$ 4,3 (0,03 UPF) por metro cúbico.

O projeto ainda propõe excluir das sanções administrativas por infringir a legislação a possibilidade de reposição florestal “correspondente à matéria-prima florestal irregularmente extraída”.

O texto é um substitutivo integral de “lideranças partidárias” a outro proposto pelo deputado Dilmar Dal Bosco (DEM). Na justificativa do projeto, os deputados afirmam que as alterações buscam “reduzir o alto custo da reposição que inviabiliza o aproveitamento do material lenhoso”.

O texto cita “estudos”, sem dizer a fonte, que indicam que cada hectare desmatado gera cerca de 300 metros cúbicos de lenha. Segundo o documento, atualmente os produtores queimam a lenha a céu aberto, causando impacto ambiental e poluição.

“Os benefícios da redução dos valores da reposição florestal e da taxa florestal são inúmeros, garantindo o aproveitamento do material legalmente disponível, sem gerar qualquer impacto financeiro negativo ao Estado que na verdade deixa de arrecadar, posto que o valor incompatível da UPF/MT tornou os valores exorbitantes, impossibilitando seu recolhimento”, justificam.

Os produtores utilizam o artigo 55 da lei atual, comprando crédito no registro de reposição para reduzir os custos com as taxas. O projeto defende que haverá aumento na arrecadação e “desenvolvimento sustentável”, inclusive com a utilização da queima de lenha como fonte de energia.

Volumes de reflorestamento

Em 22 de outubro, a Assembleia aprovou em 2ª votação uma lei que aumentou o limite a partir do qual fica obrigado o reflorestamento no Estado. O novo projeto estabelece os volumes para reposição. No caso da madeira para processamento industrial, em tora, são 30 metros cúbicos por hectare derrubado. Para o carvão, 50 metros cúbicos por hectare no Cerrado e 30 metros cúbicos em outras áreas.

“Os volumes de matéria prima florestal que excederem o disposto nos incisos I, II e III, de acordo com inventário florestal apresentado, ficarão isentos do cumprimento da reposição florestal”, diz ainda o texto.

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • Suelene | Segunda-Feira, 25 de Novembro de 2019, 10h10
    2
    0

    POR ISSO QUE MEU PAI SEMPRE FALAVA QUE A FISCALIZAÇÃO E A IDENTIFICAÇÃO DE MADEIRAS SEMPRE INCOMODOU E INCOMODA OS POLÍTICOS E AQUELAS MADEIREIRAS QUE QUEREM ANDAR NA ILEGALIDADE.

  • elias | Segunda-Feira, 25 de Novembro de 2019, 09h44
    2
    1

    SO retrocessos esses governos de direita

  • Tonho Pedroso | Segunda-Feira, 25 de Novembro de 2019, 09h15
    1
    1

    Fazendeiros na Amazônia compram grandes áreas, desmatam, vendem a madeira faturando alto. Mas aliado a esse crime está sua influência política, junto ao sistema executivo e judiciário no Brasil. O fogo habitual que é conhecido de todos, deve-se a esse fato.

  • Uilson | Segunda-Feira, 25 de Novembro de 2019, 07h36
    5
    0

    CADÊ OS MPE e MPF, PORQUE A MAIORIA DESSES DEPUTADOS SÃO MADEIREIROS E COM ISSO ELES VIVEM LEGISLANDO A FAVOR DA CAUSA PRÓPRIA, REVOGANDO E CRIANDO LEIS PARA AFROUXAR A FISCALIZAÇÃO DE DEFESA DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS DA MADEIRA E TAMBÉM AMPLIANDO O LIMITE PARA DESMATAR E TANTOS OUTROS PROJETOS QUE PREJUDICA O MEIO AMBIENTE , TUDO ESSAS MANOBRAS É RETROCESSO.

  • João da roça | Domingo, 24 de Novembro de 2019, 20h24
    0
    1

    João da roça , Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Cuiabano | Domingo, 24 de Novembro de 2019, 18h30
    6
    0

    O MINISTÉRIO PUBLICO FEDERAL TEM QUE FICAR MUITO ATENTO AS LEIS QUE TEM SIDO APROVADAS NA ASSEMBLEIA PORQUE O GOVERNO TEM COMO LÍDER UM DEPUTADO QUE É MADEIREIRO E REPRESENTA OS INTERESSES DELE E DO SETOR MADEIREIRO. DEPOIS O GOVERNADOR FALA QUE QUER REDUZIR O DESMATAMENTO COM LEIS QUE SÓ FAVORECEM O DESMATAMENTO. E, ESTAMOS FALANDO DE FLORESTAS NATIVAS (AQUELA QUE DEUS DEIXOU PRA TODOS). COM A PALAVRA O MPE E MPF......

Matéria(s) relacionada(s):

Apto, ex-prefeito vai disputar Chapada

gilberto mello 400 curtinha   O ex-prefeito de Chapada dos Guimarães, Gilberto de Mello (foto), contesta registro no Curtinhas, citando que ele estaria inelegível por responder a alguns processos e ter amargado condenações pela Justiça - saiba mais aqui. Filiado ao PL e disposto a ir à...

PT-Cuiabá sugere disputa ao Senado

bob pt 400 curtinha   Em resolução do diretório de Cuiabá, aprovada nesta quinta após discussões ampliadas, o PT municipal, presidido por Bob Almeida (foto), decidiu recomendar à Executiva Estadual o projeto de candidatura própria ao Senado. O documento dispara críticas tanto ao Governo...

Prefeituras agora pagam 27% de TIP

neurilan fraga 400 curtinha   A reforma tributária do governo estadual, aprovada pelos deputados, incluiu 27% de taxa de iluminação pública. Antes eram isentos. Com a cobrança do tributo, a conta de energia das prefeituras vai às alturas. A fatura de Cuiabá vencida em 28 de dezembro, por exemplo, foi...

Vereadores, Tapurah, reajuste e férias

odair tapurah vereador curtinha 400   Em Tapurah, no Nortão, com menos de 15 mil habitantes, seus nove vereadores iniciam o 2020 com salário reajustado em 4,48%, seguindo a tabela do INPC. Mesmo ainda em férias, eles vão receber já na folha de janeiro R$ 5,8 mil cada. No caso do presidente Odair César Nunes...

Vereador, reunião e apoio a músicos

diego guimaraes curtinha 400   Músicos e representantes da Prefeitura de Cuiabá sentaram à mesa nesta quinta, na Câmara Municipal, para tentar resolver impasse sobre horário de funcionamento e volume do som nos estabelecimentos e também estudar ajustes na lei do Disk-Silêncio. O presidente da...

Antes, durante e depois de Bolsonaro

wilson kero-kero 400 curtinha   O vereador pela Capital, Wilson Kero-Kero (foto), que era do SD e se filiou ao PSL em 2015, muito antes da chegada do hoje presidente Bolsonaro, vai aproveitar a janela de março e pular para o Podemos. Isso não quer dizer que ele deixará de defender o governo do capitão. Assegura que...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

O governador Mauro Mendes acaba de encerrar o 1º dos quatro anos de mandato. Na sua opinião, como está indo a administração?

ótima

boa

regular

ruim

péssima

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.