Legislativo

Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, 16h:18 | Atualizado: 21/01/2020, 16h:26

MEDIDAS DO EXECUTIVO

Wellington critica carga tributária em MT e afirma que reforma deve ser prioridade

Edilson Rodrigues

Wellington Fagundes

Wellington Fagundes diz que reforma gerou graves distorções que afetam os municípios

O senador Wellington Fagundes (PL) critica a reforma tributária realizada em Mato Grosso em meados de 2019, cujos efeitos estão sendo sentidos agora pelos setores econômicos, principalmente, comércio e varejo de materiais para construção. Para Wellington a reforma gerou graves distorções que afetam também os municípios, e que essas situações podem ser corrigidas pela reforma tributária nacional.

Wellington explica que existem muitas propostas para reformar o sistema tributário brasileiro, mas as propostas com discussões mais avançadas são a PEC 45 de 2019, que tramita na Câmara dos Deputados, e a PEC 110 também do ano passado, que está no Senado.

“A reforma tributária que queremos é aquela que privilegie, acima de tudo, o consumo, de forma a permitir que o comércio e a indústria funcionem a pleno, gerando emprego e oportunidades. E também, que facilite a vida de quem quer empreender, acabando com a burocracia, reduzindo essa enorme quantidade de tributos”.

O senador aponta ainda que a reforma tributária corrigirá outro problema que é a não dependência de transferências da União, que não estão sendo feitas, como é o caso do FEX. Em 2019, o presidente Jair Bolsonaro (sem) partido e o ministro Paulo Guedes (Economia) prometeram repassar R$ 1 bilhão a Mato Grosso, mas não cumpriu a promessa.

“É fundamental que o Congresso Nacional aprove a reforma tributária, urgentemente. Desde o ano passado, nos debates da reforma da Previdência, eu venho dizendo que a mais importante de todas as reformas e a tributária. Até para evitar situações como essa de não pagamento da compensação das transferências das exportações” – disse o senador Wellington Fagundes (PL-MT).

Reforma em MT 

Reiteradamente o governador Mauro Mendes (DEM) tem defendido a reinstituição dos incentivos fiscais e mini reforma tributária que realizou em Mato Grosso em 2019. O democrata ressalta que a Lei Complementar 631, teve como principal objetivo combater as desigualdades tributárias, corrigir as disparidades das cargas do ICMS que eram praticadas de forma desigual sobre os empresas de um mesmo segmento, e ainda, dissipar incentivos que foram concedidos de forma criminosa em governo passado, resultado de negociações ilegais e que alimentaram um possível esquema de corrupção.

O Governo também diz estar atento aos possíveis aumentos de preço que possam surgir como justificativa após alteração no modelo de recolhimento de impostos do comércio, que agora está sob o regime da conta gráfica, que é o recolhimento do ICMS após a venda do produto e, não mais sob a presunção de preço, como ocorria até 2019. 

Com a reforma no Estado, também foi criada a modalidade ICMS por substituição tributária, regime opitativo, que englobou uma série de produtos, cujo recolhimento do imposto foi atribuido às indústrias e não ao comércio. As alterações passaram a valer em 1º deste mês (Com Assessoria).

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Matéria(s) relacionada(s):

Pivetta promete permanecer no PDT

allan kardec 400 curtinha   O empresário Otaviano Pivetta, que se tornou o mais badalado nesta fase de pré-campanha ao Senado por causa da grande logística em torno do seu nome, se encontra numa saia-justa. Para líderes do Podemos com os quais passou a ter afinidade política, como os senadores Álvaro Dias e...

Ao Senado, 2 partidos e apoio para EP

elizeu nascimento 400 curtinha   Elizeu Nascimento (foto), terceiro-sargento PM licenciado, não é nada bobo. Ex-vereador pela Capital e no mandato de deputado estadual, Elizeu hoje controla o DC-MT e ainda levou aliados de confiança para o PSL-MT, partido que ainda está ligado ao presidente Bolsonaro e que só de...

Digital de Selma no apoio para Pivetta

olga lustosa curtinha 400   Mesmo com laços antigos de amizade com Otaviano Pivetta, Olga Lustosa, que está se desligando do cargo de assessora do gabinete da senadora cassada Selma Arruda em Brasília, causou aquele climão dentro do Podemos quando apareceu no encontro do PDT, neste sábado. O ato marcou o...

Fritado ao Senado, Galvan deixará PDT

antonio galvan 400 curtinha   Como já esperado, o presidente da Aprosoja, Antonio Galvan (foto), foi mesmo patrolado dentro do PDT estadual na tentativa de concorrer ao Senado na suplementar de abril. Com a decisão oficial do partido de lançar o vice-governador Otaviano Pivetta à disputa, Galvan agora pensa em sair da...

Contratos suspensos de 7 prefeituras

domingos neto 400 curtinha   O conselheiro do TCE-MT, Domingos Neto, determinou, até julgamento do mérito, a suspensão de pagamento por sete prefeituras à Oscip Tupã. Ele é relator de uma representação feita pelo Ministério Público de Contas contra as prefeituras de Vera,...

Contrariando estatística do governador

silvano amaral 400 curtinha   Mais um secretário de Estado contraria a estatística do governador Mauro, que no ano passado se orgulhou de anunciar que nenhum dos integrantes do primeiro escalão respondia por condenação judicial. O emedebista Silvano Amaral (foto), ex-deputado, ex-secretário de...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Na sua opinião, como está indo o Governo Bolsonaro...

excelente

bom

razoável

ruim

péssimo

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.