Legislativo

Quinta-Feira, 20 de Fevereiro de 2020, 09h:56 | Atualizado: 20/02/2020, 13h:52

ESTUDO

Wellington: relicitação da BR-163 vai encarecer pedágio e tornar MT "inviável"

Beto Barata

Wellington Fagundes

O senador Wellington Fagundes durante discurso no Senado, em que condenou eventual cancelamento do contrato de concessão da BR-163

Um estudo elaborado pela consultoria GO Associados alerta para o risco de Mato Grosso se tornar "estado inviável", do ponto de vista econômico, a partir de uma decisão a ser tomada pelo Governo Federal. Esse risco está na possibilidade de cancelamento do contrato de concessão da BR-163, a cargo da empresa Rota do Oeste, para fins de relicitação da malha viária. Os dados do estudo foram apresentados pelo senador Wellington Fagundes (PL), presidente da Frente Parlamentar de Logística e Infraestrutura (Frenlogi), durante pronunciamento nesta terça (19).

Seguindo os parâmetros definidos pela Lei 13.448, regulamentada pelo decreto 9.957, de 6 de agosto de 2019, o estudo liderado pelo professor Gesner Oliveira, recomenda a troca do controle acionário da Rota do Oeste para que se promova um novo plano de investimentos ao longo dos 850 quilômetros de concessão da rodovia em Mato Grosso. Atualmente, são mínimos os valores empregados na rodovia, que se limita à prestação de serviços e manutenção.

“Relicitar novamente a concessão da BR-163 não é vantajoso para a população mato-grossense e muito menos para o corredor de transportes da BR 163”, disse Wellington, ao manifestar preocupação com o caso e pedir atenção do presidente Jair Bolsonaro e do ministro de Infraestrutura Tarcísio de Freitas.

Com base no trabalho da GO Associados, Wellington destacou que se, de fato, o Governo buscar o caminho da relicitação, é possível que a retomada das obras de duplicação na rodovia, entre outros investimentos, só volte a ocorrer “dentro de cinco anos, no mínimo”. Ele citou como exemplo de medida similar a situação da Concessão Anápolis-Palmas, que integra o eixo da Belém-Brasília.

Relicitar novamente a concessão da BR-163 não é vantajoso para a população mato-grossense e muito menos para o corredor de transportes da BR 163

Wellington Fagundes

Além disso, o estudo aponta que a relicitação irá “impactar de maneira elevada no custo do pedágio”. Os cálculos apontam para um aumento que vai de 90 a 165%, dependendo da modelagem a ser utilizada. A BR-163 foi licitada pelo menor custo tarifário, já que seu plano de investimento era sustentado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Hoje o pedágio na BR 163 é de R$ 45,00 a cada 100 quilômetros para um caminhão de 9 eixos. Ao todo, são nove praças de cobrança ao longo da rodovia. Ou seja, um caminhoneiro paga atualmente R$ 405,00 reais para cruzar o corredor da BR 163 em Mato Grosso. Mas, segundo o estudo do professor Gesner Oliveira, esse valor poderá subir para R$ 810,00, totalizando R$ 1.620,00 para ir e voltar.

“Isso é depor contra qualquer iniciativa de desenvolvimento econômico e social. Transportar em Mato Grosso se tornaria algo inviável”, declara.

A análise das alternativas para retomada dos investimentos da concessão da BR-163 em Mato Grosso, por outro lado, aponta consideráveis ganhos econômicos e sociais com a troca do controle acionário. Entre outros, estima-se R$ 7,7 bilhões a mais na produção agrícola do Estado, com geração de 148 mil empregos. A abertura de novas vagas representaria um incremento de R$ 1,3 bilhão na renda dos trabalhadores.

Outro dado fundamental destacado pelo senador diz respeito ao incremento na ordem de R$ 502 milhões em tributos a serem recolhidos pela concessão a partir do funcionamento pleno do contrato, beneficiando Estado e municípios, "que vivem grandes dificuldades, sem condições para executar os serviços que a população tanto espera e deseja”. A concessionária da BR-163 informou que recolheu no ano passado, em Imposto Sobre Serviços (ISS) gerado pela arrecadação das nove praças de pedágio, um total de R$ 24 milhões repassado às 19 prefeituras com área de abrangência na rodovia.

A reestruturação contratual a partir da substituição do maior acionista da Rota do Oeste permite apontar, de acordo com o estudo da consultoria GO Associados, que já em 2021 às obras de duplicação e melhorias na BR-163 seriam retomadas em ritmo acelerado. A concessionária deve duplicar 444 quilômetros da rodovia. Calcula-se que nos próximos três anos seriam aplicados algo em torno de R$ 2,5 bilhões na rodovia. “É isto que todos os que defendem a logística querem”.

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • Mario Kouto | Sexta-Feira, 21 de Fevereiro de 2020, 08h16
    0
    0

    Atenção Senador, estamos na era da informação digital, não tente nos convencer do inconvencível. Sua tentativa de manobra é ridícula, tudo em prol da concessionária q não vendo cumprindo o contrato de concessão e surrupia toda a grana arrecadada. O mísero valor investido pela concessionária se dá somente no trecho Rondonópolis/Cuiabá, justamente único trecho q mto de vez enquando o Senador transita. Já nos demais trechos nem pintam a rodovia, mto menos tampam os buracos. Vergonha Senador.

  • Contribuite | Sexta-Feira, 21 de Fevereiro de 2020, 06h34
    0
    0

    Se a arrecadação fosse revertida na rodovia que hoje deve ser algo no mínimo em torno de 1.5 milhões ao dia, com certeza é possível ter uma rodovia em perfeitas condições, é só comparar as concessões das parcerias com associações aqui no Estado, arrecadação não representa 20% do que arrecada a Rota do Oeste, isso levando se em conta extensão de trecho é tudo mais, e na verdade nem temos uma rodovia devidamente regular, principalmente o trecho de Sinop a Cuiabá, muito mal conservada e cheia de buracos, parece que toda a grana que se arrecada com a tarifa pouco se aplica na manutenção da rodovia, isso sim é que deve ser checado e que não tem transparência.

  • Amaral de souza | Sexta-Feira, 21 de Fevereiro de 2020, 03h38
    0
    0

    Senador esperto dos tempos da odebrech

  • Fernando | Quinta-Feira, 20 de Fevereiro de 2020, 20h55
    1
    0

    Escreveu esse texto gigantesco e não conseguiu explicar pq um vai encarecer e o outro não. Alguma coisa não tá certa nessa história...

  • REGINALDO PINHEIRO | Quinta-Feira, 20 de Fevereiro de 2020, 15h03
    2
    0

    Muito estranho Wellington defender que a BR 163 não seja relicitada,essa licitaçõa ocorreu no governo do PT e foi vencida pela Odebrecht que é quem controla a Rota Oeste...Precisa dizer o que mais? O governo federal tem que relicitar sim, para isso ele tem um ministro muito competente, Tarciso Freitas. Se Wellington é contra é por que é bom para Mato grosso, se Wellington é a favor é por que é ruim para Mato Grosso.

Pode recebe 2 já derrotados em BG

sandro saggin curtinha 400   O Podemos conseguiu juntar em Barra do Garças o grupo de dois já derrotados à prefeitura, Daltinho, que também foi deputado e em 2018 teve votação pífia na tentativa de reeleição, e Sandro Saggin (foto), um "eterno" candidato. Entregue ao ostracismo,...

Câmara de Barra devolve R$ 100 mil

joao rodrigues 400 presidente c�mara barra do gar�as   A Câmara Municipal de Barra do Garças devolveu à prefeitura R$ 100 mil para serem investidos em medidas de combate ao novo coronavírus. O presidente do Legislativo, vereador João Rodrigues de Souza, o doutor...

Auditor assume Secretaria de Controle

demilson nogueira 400   O auditor Newton Gomes Evangelista, servidor de carreira, é o novo secretário de Controle Interno da Assembleia. Ele já respondeu também pela Auditoria-Geral da Casa. Newton assumiu a Controladoria Interna no lugar do ex-prefeito de Ponte Branca, Demilson Nogueira (foto), que deixou o posto...

Cuiabá é a unica com tudo fechado

emanuel pinheiro curtinha   A pressão sobre o prefeito Emanuel Pinheiro (foto) fica agora mais forte para flexibilizar logo o decreto restrito por causa do coronavírus. Ele é o único dos gestores das maiores cidades mato-grossenses que ainda mantém decisão de fechar praticamente tudo na Capital, com...

Deputado põe aliado no lugar do irmão

ronaldo taveira 400 curtinha   Coube ao próprio deputado Wilson Santos indicar um nome para o lugar do irmão Elias Santos, que na última sexta (3) deixou a secretaria de Gestão de Pessoas da Assembleia para concorrer a vereador em Cuiabá. E o ex-prefeito emplacou no cargo que rende R$ 19,9 mil mensais o velho...

Sem alarde, vereador muda de partido

viniciys clovito curtinha   De última hora e sem alarde, o vereador pela Capital Vinicyus Hugueney (foto) resolveu deixar o PP e se filiou ao Solidariedade. Com isso, o PP não se torna o único com a maior bancada. Está com três vereadores, assim como o PV e o PSDB. No SD, Vinicyus vai concorrer internamente com...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você concorda com a decisão de prefeitos, que começam a decretar estado de emergência, fechando comércio, serviços públicos e o transporte coletivo?

sim

não

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.