MIMOSO E RONDON

Sexta-Feira, 24 de Janeiro de 2014, 08h:06 | Atualizado: 14/02/2014, 01h:22

No meio do Pantanal, Memorial está entregue ao abandono há 10 anos

Projeto no distrito de Mimoso do que deveria ser um edifício em homenagem ao mato-grossense e patrono das telecomunicações está com obras inacabadas e sofre com falta de manutenção


Enviada Especial a Mimoso

Em janeiro, período de chuvas no Pantanal, a vegetação é exuberante. Em meio a natureza, em Mimoso, distrito de Santo Antônio do Leverger (a 70 kms de Cuiabá), está erguido o Memorial Rondon. Em verdade, ali está apenas a parte estrutural do que deveria ser o edifício em homenagem ao patrono das comunicações e um dos mato-grossenses mais conhecidos no país. Estagnada, a obra não vê operários da construção há 8 anos. A última etapa se deu em 2006, no governo Blairo Maggi, quando foi colocado o assoalho da armação de ferro e que nem constava do projeto original.

Iara Rezende/Rdnews

memorial dados rdnews

O projeto de se construir o Memorial Rondon, no distrito de Mimoso, em Santo Antônio do Leverger, partiu do ex-governador Dante de Oliveira e estava orçado em R$ 3,8 milhões. Hoje, 10 anos depois e atravessando o terceiro governo, só existe uma armação metálica no meio do mato; comunidade se revolta com o descaso

A iniciativa do Memorial veio do então governador Dante de Oliveira (já falecido). O projeto foi dos arquitetos José Afonso Portocarrero e Paulo César Molina. Em 2002, Dante deixou o cargo e recursos federais foram repassados. O alicerce foi construído. Na gestão Maggi, em 2004, veio a reforma do assoalho. Foram gastos cerca de R$ 780 mil no total e desde então não há nenhuma movimentação. No ano passado, o governador Silval Barbosa pediu que o projeto do Memorial Rondon fosse incluído nas obras da Copa do Mundo e prometeu concluí-lo antes do seu mandato terminar. Restam 10 meses para o peemedebista deixar o comando administrativo do Estado.

A primeira impressão que se tem ao chegar no Memorial Rondon é que a ferrugem e a natureza estão reivindicando o seu lugar. Tanto no chão quanto nas vigas e na ponte que liga terra e construção é possível ver as manchas de cores amarronzadas que significam que o tempo passou e nenhuma manutenção foi feita. A água das chuvas ficou parada no piso, formando enormes poças e logo faz escorregar quem tenta passar por lá. Ao redor, o mato cresce misturado a um pouco de lixo. Em algumas áreas, as plantas chegam a “escalar” o monumento.

Como o Memorial Rondon não foi concluído, não há placas de identificação ou de informações. Nem ao menos dados sobre a obra para que as pessoas que vêm de outros locais saibam do que se trata a estrutura metálica no meio do Pantanal. As únicas palavras escritas por ali são pichações com nomes, declarações de amor, alguns palavrões e desenhos feitos a lápis e caneta nas colunas. Antes de ser retomado pelo governo, aquilo que está pronto precisa de manutenção e consertos, o que eleva ainda mais os custos. Se no projeto original consta orçamento de R$ 3,8 milhões para executá-lo, a tendência é que, ao final, não saia por menos de R$ 4,2 milhões.

Galeria de Fotos

Credito: Iara Rezende
Credito: Iara Rezende/Rdnews
Credito: Iara Rezende
Credito:
Credito: Iara Rezende/Rdnews
Credito: Iara Rezende
Credito: Iara Rezende
Credito: Iara Rezende/Rdnews
Credito: Iara Rezende/Rdnews

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Benildo fco Oliveira | Sexta-Feira, 10 de Outubro de 2014, 22h36
    2
    0

    RS 780.000.00 Por um assoalho! Quanta mutreta.

  • Sebastian | Sexta-Feira, 24 de Janeiro de 2014, 20h43
    1
    0

    Gostaria de corrigir a matéria, informando-os que Mimoso fica a cerca de 100 km da capital Cuiabá e não 70 como mencionado, a não ser que estejam fazendo a contagem a partir de Santo Antônio do Leverger.

  • João maldaner | Sexta-Feira, 24 de Janeiro de 2014, 20h07
    2
    0

    E só andar mais 5 km para se deparar com outra irresponsabilidade dessa e da adm passada de MT a ponte sobre o rio Mutum, a desculpa será qual. O ministério público onde anda você

Matéria(s) relacionada(s):

Máquinas para reciclar garrafas pets

maquina 400 curtinha   Sob iniciativa da secretaria de Inovação e Comunicação da Capital, dentro dos projetos que buscam a sustentabilidade, a prefeitura vai colocar máquinas de reciclagem de garrafas pets em 15 pontos da cidade e com possibilidade de ampliar os locais de recolhimento. Em troca, o cidadão...

4 fora da reeleição em Rondonópolis

jailton 400 vereador curtinha   Em Rondonópolis, quatro dos 21 vereadores não devem ir à reeleição, sendo eles Thiago Muniz (DEM), Rodrigo da Zaeli (PSDB), Hélio Pichioni (PSD) e Jailton do Pesque e Pague (foto), do PSDB. Thiago e Rodrigo têm esperanças de concorrer a...

Prefeito apoia vice à briga em Cáceres

eliene liberato 400 curtinha   Francis Maris vai mesmo declarar apoio oficial à pré-candidatura da empresária Eliene Liberato à sucessão em Cáceres. Em público, o prefeito faz mistério para não contrariar outros pretensos candidatos do grupo e que têm esperanças de receber...

Preparando um dos aliados a federal

mauro carvalho 400 curtinha   Embora não comente publicamente, o governador Mauro Mendes está "costurando" acordos políticos com líderes mais próximos, visando não só o pleito de 2020, mas também às eleições gerais de 2022. Em época de busca de projetos e de...

Salvando 1º ano de mandato no cargo

selma arruda 400 curtinha   Embora "sangrando" e com a imagem arranhada, a juíza aposentada e senadora cassada pelo TRE-MT Selma Arruda, que trocou o PSL pelo Podemos, consegue concluir este primeiro de oito anos de mandato. E vai se licenciar nos próximos dias para ceder espaço aquele que financiou a sua campanha,...

Barbudo é menos empreguista de MT

nelson barbudo 400 curtinha   Dos oito deputados federais de MT, o estreante Nelson Barbudo (foto) é o menos "empreguista". Nestes 10 primeiros meses de mandato, ele nomeou no gabinete em Brasília e no escritório político em Cuiabá apenas 15 assessores. Cada gabinete pode ter até 25 secretários...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Como você avalia a decisão do Supremo de suspender prisão imediata após julgamento em segunda instância?

Concordo

Discordo

Tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.