Nacional

Sábado, 09 de Fevereiro de 2019, 16h:42 | Atualizado: 09/02/2019, 17h:06

Bancada feminina precisa ocupar espaço

Agência Senado

senadoras bancada feminina

Bancada feminina do Senado tem, entre outras, a ex-juíza Selma Arruda, de Mato Grosso

A bancada feminina no Senado terá 12 senadoras nesta Legislatura. Isso corresponde a 14,8% do total de 81 cadeiras, percentual bem abaixo da proporção de mulheres na população brasileira, em que elas são mais da metade. A Agência Senado conversou com algumas senadoras para saber quais são as prioridades da pauta feminina e como é possível garantir a participação, mesmo com número reduzido. O caminho, de acordo com algumas parlamentares, é a ocupação de lugares de destaque e a atuação em temas muitas vezes atribuídos somente aos homens.

Para Eliziane Gama (PPS-MA), é preciso lembrar que na Câmara dos Deputados o percentual de mulheres foi ampliado de 9% para 15%, um sinal de que é possível caminhar para uma maior participação feminina na política. A senadora disse que, mesmo com número menor, é preciso buscar uma participação mais efetiva em postos importantes da Casa.

— É importante agora esse sentimento de ampliação, de fazer funcionar as estruturas que nós temos de participação das mulheres, por exemplo, em lideranças, em comissões especiais, em comissões ordinárias, em comissões permanentes. Isso é fundamental para que a gente possa imprimir a marca da mulher — afirmou a senadora.

Para ela, é preciso avançar em pautas como a criação de cotas nas candidaturas ao Senado, tema de projeto apresentado por ela quando era deputada federal. Outros temas que a senadora destacou como prioritários foram o combate à violência contra a mulher e a igualdade no mercado de trabalho.

Persistência

Zenaide Maia (Pros-RN) disse que as 12 senadoras em exercício não podem se omitir na defesa da mulher. Além das pautas tradicionalmente ligadas aos direitos femininos, a senadora concorda que é preciso ampliar a participação feminina em comissões e em discussões sobre economia, tributação e reformas como a da Previdência.

— Mulher é para saber disso tudo. Quando eu digo que gente precisa se empoderar, não é só o empoderamento econômico que é importantíssimo, mas também o conhecimento, a participação em temas que insistem em deixar como se fossem só dos homens — argumentou.

Para Daniella Ribeiro (PP-PB), primeira senadora eleita pela Paraíba, as mulheres já exercem a política em várias instâncias, só precisam se conscientizar dessa capacidade de atuar na vida pública.

— Que as mulheres possam despertar para importância primeira desse incentivo. Elas já são essencialmente políticas dentro de casa, elas já fazem a política de decisão nas comunidades, nos seus bairros, nas suas cidades. A mulher interfere e faz essa política. Então eu acredito muito na discussão das próprias mulheres, de explicar por que há essa dificuldade — explicou a senadora.

União

Para Leila Barros (PSB-DF), primeira mulher eleita senadora pelo Distrito Federal, as bancadas femininas no Senado e na Câmara precisam se unir para garantir uma maior representação das mulheres na política e para garantir avanços em outras áreas, como o combate à violência.

— Vou trabalhar para que a bancada feminina do Senado atue em conjunto com a da Câmara dos Deputados para que possamos aprovar pautas e desenvolver ações que resultem em políticas públicas fortalecedoras da emancipação da mulher e do seu empoderamento — garantiu.

A senadora informou ter apresentado projeto para ampliar a proteção às mulheres torcedoras e profissionais do esporte contra atos de violência em estádios, ginásios e outros equipamentos destinados à prática esportiva. Ela também pretende propor alterações na Lei Maria da Penha (Lei 11.340, de 2006) para garantir medidas mais rígidas e de proteção às mulheres que sofrem violência doméstica.

Advogada na área de direito de família, a senadora Soraya Thronicke (PSL-MS) disse conhecer de perto a realidade de mulheres que sofrem violência doméstica. Para ela, as leis brasileiras garantem a proteção, mas muitas vezes não há efetividade na aplicação, especialmente das medidas protetivas.

Além das senadoras já citadas, todas no início dos mandatos, tomaram posse em 2019 no Senado Mara Gabrilli (PSDB-SP) e Selma Arruda (PSL-MT). Continuam nos mandatos iniciados em 2015 Simone Tebet (MDB-MS), Kátia Abreu (PDT-TO), Rose de Freitas (Pode-ES)  e Maria do Carmo Alves (DEM-SE). Já a senadora Mailza Gomes (PP-AC) assumiu a vaga deixada por Gladson Cameli, eleito governador do Acre em 2018.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Matéria(s) relacionada(s):

2 familiares de Geller em cargos DAS

milton geller   O ex-ministro da Agricultura e deputado federal Neri Geller emplacou dois familiares em cargos comissionados nos últimos dias. O irmão Milton Geller (foto), ex-prefeito de Tapurah, se tornou assessor do deputado Nininho. Lotado na Assembleia, ganha R$ 6,4 mil. O sobrinho de Neri, Murilo Geller, passou a trabalhar...

Maluf reforça gestão eficaz do TCE-MT

guilherme maluf curtinha   O novo conselheiro Guilherme Maluf participou nesta quinta da abertura do programa de capacitação do TCE, Gestão Eficaz, representando o presidente Domingo Neto. Fez um extenso elogio ao programa que considerou ser o maior sucesso do Tribunal, por orientar os gestores a obter maior eficiência,...

MTI, extinção, pressão e cargos DAS

Servidores da MTI (antigo Cepromat) demonstram, na prática, serem os mais organizados no movimento contra a extinção de empresas no Estado. Monitoram de perto os passos do Governo Mauro. Uns resistem, à proposta de acabar com a empresa, como se estivessem numa guerra. Outros concordam com o fim da empresa. O fato é que 172 ja aderiram ao PDV, o que projeta uma redução de 42% na folha salarial. A empresa, em nota, assegura que ainda não...

Selma, artifícios de ontem e de hoje

selma arruda curtinha   Tida como “Sérgio Moro de saias” e juíza linha dura, a senadora Selma Arruda (PSL) sempre foi incisiva contra políticos julgados por ela na 7ª Vara Criminal. Agora, no banco dos réus no TRE-MT, usa o mesmo trunfo tão criticado. À época com o poder da caneta,...

Condenados por "brincar" com giroflex

valdecio_domaquino_curtinha   Agentes públicos parecem não ter noção da responsabilidade e compromisso que têm com a sociedade. Em Dom Aquino, o prefeito Valdécio da Costa (PSDB) e o vereador Fabrício Ribeiro (SD) foram condenados por retirar o giroflex de uma ambulância para colocar em um carro...

Ex-prefeito ganha salário de R$ 6,4 mil

nininho curtinhas   O agricultor e ex-prefeito de Tapurah, Milton Geller, irmão do ex-ministro e federal Neri, virou assessor parlamentar do estadual Nininho (foto). Ganha, em cargo comissionado na AL, R$ 6,4 mil. Cargo como esse nem sempre exige do nomeado o cumprimento do horário de expediente. No fundo, Nininho, que tem base...

Mauro decreta primeiras promoções

Prestes a fechar três meses de mandato, o governador Mauro Mendes assina as primeiras promoções na carreira militar. O oficial bombeiro, tenente-coronel Hector Péricles de Castro, recebeu promoção para a mais alta patente por "requerimento". Isso quer dizer que ele será transferido para a reserva remunerada, com vencimento acima de R$ 30 mil, a partir de 12 de abril. Também já ganhou promoção à patente de coronel...

Sinfra e o emergencial do transporte

luiz henrique curtinha   O conselheiro interino do TCE Luiz Henrique Lima (foto) deu 4 dias para o secretário de Logística e Infraestrutura do Estado, Marcelo Padeiro, se explicar sobre questionamentos levantados a respeito do chamamento público para fazer contrato emergencial para exploração do serviço...

5 vereadores por trás de manifestação

felipe wellaton curtinha   Cinco vereadores de oposição estão instigando um pequeno grupo que se apresenta como motoristas dos aplicativos de transporte de passageiros Uber e 99 Pop a fazer manifestação contra a prefeitura por causa da taxação do serviço na Capital, como o ato desta...

MAIS LIDAS