Nacional

Sexta-Feira, 31 de Julho de 2020, 11h:22 | Atualizado: 31/07/2020, 11h:30

Empresário Luciano Hang agora diz, em entrevista, que não é bolsonarista - veja


Metrópoles

Reprodução

Luciano Hang

Hang disse que não conversa com o presidente há 15 dias e durante a posse de André Mendonça como ministro da Justiça, se encontrou empresários

O empresário dono da rede de lojas Havan, Luciano Hang, negou proximidade com o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), apesar de os dois já terem assumido apoio mútuo publicamente. Em entrevista à revista Veja, ele afirmou não ser bolsonarista, mas um “ativista econômico que tem pavor da esquerda”.

“Naquilo que o governo fizer certo, vou defendê-lo. Naquilo que fizer errado, vou criticá-lo”, pontuou. “Eu me envolvi para mudar isso e ajudar a reduzir a burocracia para não ficarmos à mercê de um burocrata. Sou um ativista, um patriota, querendo um país livre e com economia mais liberal”, defendeu.

Hang disse que não conversa com o presidente há 15 dias e, na última vez que esteve em Brasília, durante a posse de André Mendonça como ministro da Justiça, se encontrou empresários. “Eu não falo com o presidente há 15 quinze dias. Estive em Brasília há três meses, na posse do ministro da Justiça. Fui com outros empresários. Não sou bolsonarista como dizem”, alegou.

O empresário foi um dos convidados a integrar a base de apoio do Aliança pelo Brasil, partido político de Bolsonaro. Apesar de ter comparecido ao lançamento da sigla, ele garantiu que estava lá apenas para “dar um abraço” em colegas e negou qualquer intenção de se filiar. “Eu estive em Brasília na época do lançamento do partido. Fui dar um abraço nas pessoas que lá estavam. Mas eu não me filiei e não vou me filiar. Não quero perder a independência de falar o que quiser”, justificou.

“Quem vive num dia a dia de uma empresa é muito difícil se envolver com política. Quem trabalha numa empresa trabalha muito com meritocracia, com metas e uma transparência muito grande”, esclareceu, ao ressaltar a falta de motivação de se lançar como candidato a qualquer cargo.

Hang é suspeito de financiar uma milícia digital que estaria a serviço de Bolsonaro desde a campanha de 2018. Ele nega e afirma que os negócios da Havan não precisam de parceria com o governo. “Por qual motivo eu teria de gastar, como dizem, 12 milhões numa campanha política se não compro nem vendo para o governo, se não tenho interesse em cargo político? Nem dinheiro emprestado tenho com o governo. Nessa pandemia, fiz questão de não pegar nenhum valor de bancos públicos, para não vincularem meu nome ao governo“, defendeu.

O empresário também é alvo de inquérito contra fake news, que corre no Supremo Tribunal Federal (STF). Nessa quinta-feira (30/07), o relator, ministro Alexandre de Moraes, ordenou o bloqueio das redes sociais dos investigados fora do país, uma vez que já estavam impedidos de utilizar em território brasileiro. Sobre o caso, o empresário disse que preferia ser acusado de “difamação, calúnia, danos morais” a ter as redes bloqueadas.

“Fiquei decepcionado. Tenho 8,5 milhões de seguidores. No Código Penal, há diversas formas de você punir alguém que faz alguma coisa errada. Tem calúnia, difamação, danos morais. Eu sou muito atacado por blogs, sites e jornais de esquerda, que falam mentiras sobre mim. E aí processamos cada um. É assim que tem que ser. Não tinha por que fazer esse bloqueio. Não faço fake news. Estou sendo cerceado no direito de ter as minhas redes sociais”, argumentou.

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Raul | Sexta-Feira, 31 de Julho de 2020, 20h26
    2
    2

    Este cara deveria pagar os impostos sonegados e os empréstimos que fez junto ao BNDES, que renegociou com prestações desse tamanhinho a se perder de vista. Se diz patriota, mas com este ódio no coração é algo parecido com os milicianos, bolsonaristas, fascistas.É muita cara-de-pau desse mercenário.

  • Renato | Sexta-Feira, 31 de Julho de 2020, 16h36
    2
    2

    Tem pavor da esquerda mas nos anos PT pegou vários financiamentos do BNDES. Que loja de badulaques cresce tanto assim. É o novo Eike Batista. Em tempo, não sou petista, muito menos bolsonarista.

  • ENILTON | Sexta-Feira, 31 de Julho de 2020, 11h34
    5
    4

    Me admiro muito ver esse cidadao se dizer patriota e usar como simbolo de suas lojas uma estatua americana ...

Túlio, inabilidade política e frustração

tulio fontes 400 curtinha   Túlio Fontes (foto), que ainda faz mistério sobre disputa à sucessão em Cáceres, ficará mesmo fora do embate das urnas. Ex-prefeito e derrotado duas vezes para deputado estadual, ele não moveu uma palha para fortalecer o seu nanico PV. Conclusão: o partido só...

Pátio, vice, o MDB e ex-secretário

adonias fernandes 400 curtinha   Em Rondonópolis, o prefeito Zé do Pátio não desistiu de vez do seu antigo partido, o MDB, no qual militou por mais de duas décadas. Embora em rota de colisão com alguns líderes emedebistas, Pátio ainda tem bom contato com o ex-padrinho político, o...

Prefeito de Sapezal e aditivo com 15%

valdecir casagrande 400 curtinha sapezal prefeito   O prefeito de Sapezal, Valcir Casagrande (foto), autorizou o quarto aditivo de um contrato sem licitação, firmado em 2019 entre o município e a Casa de Saúde Santa Marcelina. Chamam atenção o valor e o aumento. A continuidade do atendimento aos...

Partidos acirram disputa a vice de Léo

leonardo 400 curtinha   Em Primavera do Leste, o prefeito emedebista Léo Bortolin (foto), um dos mais bem avaliados gestores mato-grossenses, convive com uma disputa acirrada de pretendentes ao cargo de vice-prefeito de sua chapa. A corrida por novo mandato está tão confortável que Léo praticamente não tem...

MDB e PRB devem se juntar em ROO

luizao 400 curtinha   Ao menos dois blocos de oposição em Rondonópolis estão levando a sério a observação do ex-governador e ex-senador Blairo Maggi, para quem Zé do Pátio ganharia a reeleição numa boa se o município tiver várias candidaturas. Ou seja, quanto...

Parlamentares numa disputa cômoda

thiago silva 400 curtinha   Parlamentares que estão se aventurando na disputa a prefeito nada têm a perder. Não precisam nem se afastar dos mandatos para concorrer ao pleito. Em caso de derrota nas urnas de novembro, continuam com suas cadeiras garantidas até 2022 (situação de estadual e federal) e...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

O Governo de MT estuda retomada das atividades escolares presenciais possivelmente em agosto ou setembro. O que você acha?

Estou de acordo

Não - aulas não podem voltar por agora

tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.