Nacional

Terça-Feira, 14 de Julho de 2020, 12h:04 | Atualizado: 14/07/2020, 12h:03

Gilmar Mendes: "Militares na Saúde extrapolam missão das Forças Armadas"


Metrópoles

Rafaela Felicciano

Gilmar Mendes

O ministro Gilmar afirmou que nenhum especialista atento à situação do Brasil teria como deixar de se preocupar com o rumo das políticas públicas na área

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes esclareceu, em nota publicada nesta terça-feira (14/7), que não atingiu a honra das Forças Armadas ao dizer, no último sábado (11/7), que os militares estão se associando a um genocídio.

“Estamos vivendo uma crise aguda no número de mortes pela Covid-19, que já soma mais de 72 mil. Em um contexto como esse, a substituição de técnicos por militares nos postos-chave do Ministério da Saúde deixa de ser um apelo à excepcionalidade e extrapola a missão institucional das Forças Armadas”, finalizou.

“Reforço, mais uma vez, que não atingi a honra do Exército, da Marinha ou da Aeronáutica. Aliás, as duas últimas sequer foram por mim mencionadas”, escreveu o ministro do STF. “Apenas refutei e novamente refuto a decisão de se recrutarem militares para a formulação e execução de uma política de saúde que não tem se mostrado eficaz para evitar a morte de milhares de brasileiros”, complementou Gilmar Mendes.

O ministro da Suprema Corte afirmou que nenhum especialista atento à situação do Brasil teria como deixar de se preocupar com o rumo das políticas públicas na área. O Ministério da Saúde é comandado interinamente, há quase dois meses, pelo general Eduardo Pazuello.

Desde a saída do ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tem nomeado uma série de integrantes das Forças Armadas para a pasta, que, segundo levantamento do Metrópoles, nunca esteve tão “verde-oliva”, nem mesmo durante a ditadura militar.

Após a fala de Gilmar Mendes, o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, e os comandantes da Marinha, Exército e Aeronáutica divulgaram nota na qual “repudiam veementemente” a declaração. A pasta informou que encaminhará representação ao procurador-geral da República, Augusto Aras, para adoção de “medidas cabíveis”.

“Comentários dessa natureza, completamente afastados dos fatos, causam indignação. Trata-se de uma acusação grave, além de infundada, irresponsável e sobretudo leviana. O ataque gratuito a instituições de Estado não fortalece a democracia”, informou.

O vice-presidente Hamilton Mourão disse nessa segunda-feira (13/7) que Gilmar Mendes “ultrapassou o limite da crítica”. “Ele não foi feliz. Eu vou usar uma linguagem do jogo de polo: ele cruzou a linha da bola”, disse o general.

Confira a íntegra da nota:

“Ao tempo em que reafirmo o respeito às Forças Armadas brasileiras, conclamo que se faça uma interpretação cautelosa do momento atual. Vivemos um ponto de inflexão na nossa história republicana em que, além do espírito de solidariedade, devemos nos cercar de um juízo crítico sobre o papel atribuído às instituições de Estado no enfrentamento da maior crise sanitária e social do nosso tempo.

Em manifestação recente, destaquei que as Forças Armadas estão, ainda que involuntariamente, sendo chamadas a cumprir missão avessa ao seu importante papel enquanto instituição permanente de Estado.

Nenhum analista atento da situação atual do Brasil teria como deixar de se preocupar com o rumo das nossas políticas públicas de saúde. Estamos vivendo uma crise aguda no número de mortes pela Covid-19, que já somam mais de 72 mil. Em um contexto como esse, a substituição de técnicos por militares nos postos-chave do Ministério da Saúde deixa de ser um apelo à excepcionalidade e extrapola a missão institucional das Forças Armadas.

Reforço, mais uma vez, que não atingi a honra do Exército, da Marinha ou da Aeronáutica. Aliás, as duas últimas nem sequer foram por mim mencionadas. Apenas refutei e novamente refuto a decisão de se recrutarem militares para a formulação e execução de uma política de saúde que não tem se mostrado eficaz para evitar a morte de milhares de brasileiros.”

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • Leonildo | Terça-Feira, 14 de Julho de 2020, 22h44
    3
    2

    Estão reclamando de quê? Alguém falou umas verdades para este desgoverno? Então, trate de fazer as coisas certas. As Forças Armadas tem outra função. Cuidar da saúde é para os profissionais da saúde! Parabéns , GM! Põe quente neste cabaré que virou o governo Bozonero.

  • naldo | Terça-Feira, 14 de Julho de 2020, 21h49
    3
    2

    Parabéns, ministro. Nunca fui seu fã, mas desta vez colocou o dedo na ferida. É um absurdo esta situação no Ministério da Saúde, sem um ministro competente para o cargo. Mas o Bozo quer inflar o MS de militares, que rezem a cartilha do Bozo, ou seja, do Miliciano.

  • Francisco beltrão | Terça-Feira, 14 de Julho de 2020, 19h31
    4
    2

    Esse cidadão tem que se preocupar com as mazelas que o STF está fazendo. Olhar pelo vidro dos outros é fácil e comodo. Qual idéia ele formulou até agora? NENHUMA!! só falando mal dos outros sem olhar para si mesmo: cara arrogante, desprezível e pau mandado de FHC,

  • Walter liz | Terça-Feira, 14 de Julho de 2020, 12h51
    7
    2

    Em vez de se preocupar com um general tocando o Ministério da saúde, vá se preocupar com os corruptos e ladrões do dinheiro da saúde, estes sim , são genocidas

  • Neto | Terça-Feira, 14 de Julho de 2020, 12h37
    5
    1

    Não da pra expressar aqui o sentimento que tenho por esse Sr ''Gilmar Mendes".

Túlio, inabilidade política e frustração

tulio fontes 400 curtinha   Túlio Fontes (foto), que ainda faz mistério sobre disputa à sucessão em Cáceres, ficará mesmo fora do embate das urnas. Ex-prefeito e derrotado duas vezes para deputado estadual, ele não moveu uma palha para fortalecer o seu nanico PV. Conclusão: o partido só...

Pátio, vice, o MDB e ex-secretário

adonias fernandes 400 curtinha   Em Rondonópolis, o prefeito Zé do Pátio não desistiu de vez do seu antigo partido, o MDB, no qual militou por mais de duas décadas. Embora em rota de colisão com alguns líderes emedebistas, Pátio ainda tem bom contato com o ex-padrinho político, o...

Prefeito de Sapezal e aditivo com 15%

valdecir casagrande 400 curtinha sapezal prefeito   O prefeito de Sapezal, Valcir Casagrande (foto), autorizou o quarto aditivo de um contrato sem licitação, firmado em 2019 entre o município e a Casa de Saúde Santa Marcelina. Chamam atenção o valor e o aumento. A continuidade do atendimento aos...

Partidos acirram disputa a vice de Léo

leonardo 400 curtinha   Em Primavera do Leste, o prefeito emedebista Léo Bortolin (foto), um dos mais bem avaliados gestores mato-grossenses, convive com uma disputa acirrada de pretendentes ao cargo de vice-prefeito de sua chapa. A corrida por novo mandato está tão confortável que Léo praticamente não tem...

MDB e PRB devem se juntar em ROO

luizao 400 curtinha   Ao menos dois blocos de oposição em Rondonópolis estão levando a sério a observação do ex-governador e ex-senador Blairo Maggi, para quem Zé do Pátio ganharia a reeleição numa boa se o município tiver várias candidaturas. Ou seja, quanto...

Parlamentares numa disputa cômoda

thiago silva 400 curtinha   Parlamentares que estão se aventurando na disputa a prefeito nada têm a perder. Não precisam nem se afastar dos mandatos para concorrer ao pleito. Em caso de derrota nas urnas de novembro, continuam com suas cadeiras garantidas até 2022 (situação de estadual e federal) e...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

O Governo de MT estuda retomada das atividades escolares presenciais possivelmente em agosto ou setembro. O que você acha?

Estou de acordo

Não - aulas não podem voltar por agora

tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.