Nacional

Domingo, 16 de Fevereiro de 2020, 12h:25 | Atualizado: 16/02/2020, 12h:37

ESPORTE

Mengo é campeão da Supercopa do Brasil

Alexandre Vidal/Flamengo

flamengo supercopa

Bruno Henrique e Gabigol comemoram boa atuação do Flamengo que conquistou primeiro título da Supercopa do Brasil neste domingo no Mané Garrincha

Com uma grande atuação, o Flamengo conquistou o primeiro título da Supercopa do Brasil neste domingo, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF). Na decisão da nova taça criada pela CBF, o campeão Brasileiro fez 3 a 0 sobre o Athletico Paranaense, campeão da Copa do Brasil e levantou o caneco.

Bruno Henrique e Gabigol marcaram para o Rubro-Negro carioca na primeira etapa. Arrascaeta fechou o placar no segundo tempo.

 Com o primeiro título do ano no "bolso", o Flamengo vai decidir no próximo sábado o título da Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca. A partida será no Maracanã contra o vencedor de Boavista e Volta Redonda, que se enfrentam às 16 horas deste domingo.

O Jogo

O Flamengo iniciou a partida marcando a saída de bola do Athletico e imprimindo um jogo de alta intensidade. A equipe paranaense optou pela cautela nos primeiros minutos, se manteve fechada e tentava bolas em profundidade.

O campeão brasileiro assustou logo aos 2 minutos. William Arão tabelou com Gabigol na direita da área, recebeu de volta e tentou cruzar. A bola desviou na marcação e foi em direção ao gol, mas Santos, bem colocado, espalmou para escanteio.

A equipe de Jorge Jesus comandava as ações em campo com passes rápidos e não demorou a abrir o placar no Mané Garrincha. Aos 14, Arrascaeta dominou na entrada da área pela direita e abriu para Gabigol. O camisa nove cruzou pelo alto e Bruno Henrique se enfiou pelo meio dos zagueiros e devisou de cabeça para fazer 1 a 0.

O Flamengo não tirou o pé e ampliou aos 28, numa bobeira da defesa do Athletico. Filipe Luís avançou pela esquerda sem marcação, se aproximou da área e cruzou. A bola ficou fácil para a defesa e o lateral-esquerdo Márcio Azevedo tentou atrasar para o goleiro com um toque de peito. Oportunista, Gabigol interceptou o lance e bateu para o gol.

Com 2 a 0, o Flamengo tirou um pouco o pé do acelerador e o Athletico começou a aparecer no ataque, explorando a linha alta da defesa carioca.

Aos 33, os paranaenses chegaram com perigo pela primeira vez. Rony é derrubado na entrada da área e a falta foi marcada. Marquinhos Gabriel cobrou por cobertura e mandou por cima do gol de Diego Alves, mas a bola passou perto.

O Athletico chegou novamente aos 40. Chutão da defesa e Marquinhos Gabriel recebe próximo da área pela esquerda. Marcado por Rodrigo Caio e Gustavo Henrique, ele consegue penetrar e bate cruzado. Diego Alves salva o Flamengo e cede o escanteio.

Dois minutos depois, Rony é lançado na esquerda. Marcado por Rafinha, o atacante cortou para trás e cruzou rasteiro na pequena área. Erick aparece no meio da zaga e desvia, mas pega mal e a bola vai para fora. Foi a melhor chance do Athletico no primeiro tempo.

O técnico Dorival Júnior decidiu mexer na equipe no intervalo e o Atlhetico retornou para o segundo tempo com duas alterações. O jovem Abner Vinícius substituiu Márcio Azevedo na lateral-esquerda e o meia Fernando Canesin entrou no lugar de Khellven na lateral-direita.

Escaldado pela reação do Fluminense no clássico da última quarta-feira pelo Campeonato Carioca, e temendo o desgaste físico, o Flamengo voltou para a etapa final com um novo ajuste. A intensidade na marcação da saída de bola do adversário deu lugar à uma postura mais recuada. Sem abrir mão do controle do jogo, a luta pela bola se deslocou para o meio de campo.

A recuperação da bola e o contra-ataque em velocidade passaram a ser o caminho para o gol. Aos 15, quase o terceiro esteve perto. Gabigol puxou o contra-ataque pela direita desde antes da linha média e, na intermediária, enfiou para Bruno Henrique na área. O camisa 27 entrou por trás da defesa, ficou cara a cara com Santos e tentou tirar do goleiro, mas o camisa 1 do Furacão conseguiu tocar na bola e evitou o gol.

Aos 23, entretanto, não houve jeito de evitar. Após um bate rebate próximo da linha média pela esquerda, Arão lançou Bruno Henrique, que disparou em direção à área, penetrou e tentou o toque para Gabigol do outro lado. Santos interceptou o passe mas largou para o meio. Arrascaeta aproveitou a sobra e bateu de primeira para o fundo da rede.

Com três de vantagem, Jorge Jesus fez alterações na equipe. Michael foi o primeiro a entrar na vaga de Arrascaeta, aos 27.

O Athletico conseguia chegar esporadicamente. Aos 29, levou perigo numa jogada de Nikão pela esquerda da área. Ele foi à linha de fundo e cruzou. Bissoli tentou de letra, a bola bateu em Rodrigo Caio e retornou para ele, que encheu o pé e a bola acertou o travessão.

Aos 39, Bissoli arriscou da entrada da área e bateu forte. Diego Alves se esticou e defendeu.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 3 X 0 ATHLETICO PARANAENSE

Local: Estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF)
Data: 16 de fevereiro de 2020 (Domingo)
Horário: 11h(de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Fifa-GO)
Assistentes: Fabrício Vilarinho da Silva (Fifa-GO) e Bruno Raphael Pires (Fifa-GO)
Renda: R$ 7.423.760,00
Público: 48.009 pessoas
Cartões amarelos: Erick, Nikão (Athletico); Gabigol (Fla)

Gols:
FLAMENGO: Bruno Henrique, aos 14, Gabigol, aos 28 min do 1° tempo; Arrascaeta, aos 23 min do 2° tempo

FLAMENGO: Diego Alves, Rafinha, Rodrigo Caio, Gustavo Henrique e Filipe Luís (Renê); Willian Arão, Gerson, Everton Ribeiro (Diego), e De Arrascaeta (Michael); Bruno Henrique e Gabigol
Técnico: Jorge Jesus

ATHLETICO: Santos, Khellven (Fernando Canesin), Thiago Heleno, Lucas Halter e Márcio Azevedo (Abner Vinícius); Wellington, Erick, Léo Cittadini (Guilherme Bissoli) e Marquinhos Gabriel Nikão e Rony
Técnico: Dorival Júnior

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Contrato para tocar eventos do TCE

O presidente do Tribunal de Contas do Estado, conselheiro Guilherme Maluf, fechou um contrato anual com a Infortouch Agência e Comunicação, Eventos e Produtos Alimentícios, aproveitando ata de registro de preços  do Tribunal de Justiça de MT, com adesão-carona num processo de 2019. A empresa vai faturar R$ 376,9 mil para atender demandas do TCE em toda logística de eventos, envolvendo as etapas de planejamento,...

Ação de promotor e volta de restrições

Adalberto Ferreira   O promotor de Justiça Adalberto Ferreira garante que prefeito de Juscimeira Moisés dos Santos não havia editado nenhum decreto endurecendo as regras de restrições à pandemia do coronavírus antes do MPE propor ação na Justiça. Ao falar sobre nota publicada...

Oséas agora está nas mãos de Abílio

oseas machado 400 curtinha   Oséas Machado (foto) conseguiu derrubar Abílio Júnior, a quem denunciou por quebra de decoro parlamentar, e assumiu a cadeira deste na Câmara da Capital. Agora, o cassado se articula para dar o troco. O problema é que ambos estão no PSC. Oséas quer buscar a...

Decreto "anula" o MPE em Juscimeira

moises 400 juscimeira curtinha   Em Juscimeira, o promotor de Justiça Adalberto Ferreira recorreu à Justiça de forma desnecessária. Pleiteou e conseguiu uma liminar para suspender um decreto do prefeito Moisés dos Santos que, segundo a ação, havia reduzido as medidas de isolamento social, permitindo...

Kero-Kero quer levar Abílio para Pode

wilson kero kero 400 curtinha   Na contagam regressiva do prazo para o troca-troca partidário - vence em 3 de abril para quem pretende ser candidato em outubro deste ano -, o vereador Wilson Kero-Kero (foto), do PSL e um dos opositores à gestão Emanuel Pinheiro em Cuiabá, está fortalecendo o Podemos. E se...

ECSP explica confusão com Marcrean

marcrean 400 curtinha   A Empresa Cuiabana de Saúde Pública (ECSP) emitiu nota sobre a suposta “carteirada” do vereador Marcrean Santos (foto) no HMC. Ele foi pivô de confusão e um vídeo viralizou nas redes sociais. Segundo a ECSP, o parlamentar foi até o local pedir informações...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você concorda com a decisão de prefeitos, que começam a decretar estado de emergência, fechando comércio, serviços públicos e o transporte coletivo?

sim

não

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.