Nacional

Quinta-Feira, 06 de Dezembro de 2018, 15h:06 | Atualizado: 06/12/2018, 15h:12

Michel Temer diz ser positiva política de privatização defendida por Paulo Guedes

Marcelo Camargo/Ag Brasil

Michel Temer

Presidente Michel Temer elogiou a política de privatizações defendida por Paulo Guedes

O presidente Michel Temer avaliou como positiva a política de privatizações defendida pelo futuro ministro da Economia do governo Bolsonaro, Paulo Guedes. Temer disse fez isso em sua gestão ao lançar editais para concessão, por exemplo, de aeroportos, portos e rodovias. Para Temer, as únicas áreas que devem continuar sob a tutela do Estado brasileiro são segurança, educação e saúde.

“Privatização é algo que deu certo no Brasil, portanto, quanto mais privatizar eu acho melhor, sem mexer muito nesses setores fundamentais”, disse em entrevista nesta quinta-feira (6) a correspondentes internacionais, no Palácio da Alvorada, em Brasília. O presidente acrescentou que o Poder Público não tem condições de acolher todas as atividades do país.

Reforma da Previdência

Sobre a reforma da Presidência, Temer disse que se Jair Bolsonaro tem pressa na aprovação da idade mínima, o melhor caminho seria aproveitar a proposta apresentada pelo seu governo e que já está Congresso. “Eu sugiro que se possa aprovar a nossa proposta. Já está prevista lá, seria muito útil. Tem a vantagem que já tramitou, seria só aprovar na Câmara e no Senado, em dois turnos”, defendeu.

A hipótese não está fora dos planos de Bolsonaro que, ontem (5), disse que pretende votar a reforma em partes e o primeiro ponto será a idade mínima. O presidente eleito também não descartou adotar o texto que tramita no Congresso.

A proposta do governo Temer institui a idade mínima gradativamente, ao longo de 20 anos, até chegar a 62 anos para mulheres e 65 para homens, o que facilitaria a aprovação das mudanças pela sociedade.

Perguntado sobre o que não conseguiu fazer em seu governo, Michel Temer citou a reforma. Ele atribui o fracasso aos áudios da conversa entre ele e o empresário do grupo JBS, Joesley Batista. “Nós tínhamos até data e computados mais de 316 votos para aprovar a reforma da Previdência quando houve aquela questão da gravação, que depois eu percebi que se tratava de uma trama muito bem urdida para evitar a aprovação da reforma da Previdência e para [impedir] aprovar outros tantos gestos que eu iria praticar em relação a certos setores da atividade pública”, ressaltou. Ainda segundo Temer, no episódio, seus detratores receberam a “devida corregenda”. “Criaram problema de natureza moral para o presidente, mas um problema de natureza institucional para o país, porque paralisaram o país”, afirmou.

A gravação foi divulgada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) depois que o ministro Edson Fachin retirou parcialmente o sigilo da delação premiada do empresário. Na conversa, Temer e Batista conversam sobre o cenário político, os avanços na economia e também citam a situação de Cunha (PMDB-RJ), que está preso em Curitiba. O entendimento do governo é que a frase dita por Temer “tem que manter isso, viu?” diz respeito à manutenção do bom relacionamento entre Cunha e Batista, e não a um suposto pagamento de mesada pelo silêncio do ex-deputado.

Processos

Na mesma entrevista Michel Temer reafirmou que depois que deixar a Presidência da República vai se dedicar à área jurídica. Sobre denúncias de corrupção que possa responder, Temer disse que não tem "a menor preocupação com as denúncias". "Qualquer mente jurídica mais apurada vai ver que são pífias”. O presidente admitiu ainda que, moralmente, se sente “injustiçado”, mas que politicamente não, por estar acostumado.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Matéria(s) relacionada(s):

Damares, TRE e dinheiro de campanha

damarescurtinha   Damares do PSDB, que se lançou candidata a estadual e desistiu da disputa na última hora devido problemas pessoais, será convocada pela Justiça Eleitoral a dar explicações. Corre o risco de ser obrigada a devolver dinheiro, a ter problemas na sua prestação de contas ou...

Vigilância maior sobre vaga no TCE

Nem o presidente Domingos Neto, que em processo inusitado entrou no lugar do pai Ary Leite de Campos, numa transferência de cadeira vitalícia familiar, sangrou tanto quanto Guilherme Maluf. Talvez seja reflexo de novos tempos, em que os Poderes e setores da sociedade estão mais exigentes quanto a idoneidade dos servidores públicos. Bastou Maluf se tornar réu, ou seja, ainda não é condenado, para órgãos fiscalizadores, especialmente o...

Suplente ganha 4 anos de mandato

carlos avalone curtinha   Carlos Avalone (PSDB) está com sorriso largo porque, pela primeira vez, depois de ficar como suplente em todas as vezes que disputou o cargo de deputado, ele tem a oportunidade de assumir mandato na AL por 4 anos. Indicado ao TCE pelos colegas, Maluf deixa o Parlamento um mês após ser empossado para o...

Maluf vai sangrando para o Tribunal

guilherme maluf curtinha   Com 11 votos no Colégio de Líderes e depois 13 na sabatina, em plenário nesta quinta, Guilherme Maluf teve o nome chancelado para ocupar o cobiçado cargo vitalício de conselheiro do TCE. Chega ao órgão fiscalizador sangrando. Aguentou porrete de toda forma, fora as...

Prega voto aberto, mas faz o contrário

paulo araujo curtinha   Deslumbrado com a chegada ao poder, o deputado populista e carimbado por muitos como demagogo Paulo Araújo (PP), escalado pela Mesa Diretora para presidir provisoriamente a Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia, foi um dos que saíram desmoralizados do processo que resultou...

Medeiros será vice-líder de Bolsonaro

jose medeiros curtinha   José Medeiros (Podemos) estreitou ainda mais a relação com o Governo Bolsonaro (PSL), tanto que foi indicado como vice-líder da gestão na Câmara Federal. A escolha do Planalto aconteceu nesta 4ª (20). Caberá a ele ajudar na interlocução da...

Ex-prefeito se torna assessor na AL

josair lopes curtinha   Ele renunciou ao cargo de prefeito de Dom Aquino, no ano passado, apostando que seria eleito deputado federal. Mas chegou apenas a 18.897 votos, amargando a 5ª suplência de uma aliança de quatro partidos (PSDB, PPS, PSB e SD), que elegeu Leonardo Albuquerque. Após a campanha frustrada, desempregado e...

Mais um ex-deputado na folha da AL

airton portugu�s   Depois de Zé Domingos, mais um ex-deputado entra para a folha de servidores da AL nesta nova legislatura. Airton Rondina Luiz, o Português (PSD), que nas urnas de 2014 tentou a reeleição, mas foi derrotado, passa a ocupar o cargo de assessor da Primeira-Secretaria, sob...

Bancada define Neri novo coordenador

neri geller curtinha   O ex-ministro da Agricultura Neri Geller (foto), que está de volta à Câmara, desta vez como titular - em 2007, então suplente, assumiu por quatro meses no lugar de Thelma -, foi eleito nesta quarta à noite, por unanimidade, o novo líder da bancada federal mato-grossense. Todos os 8...