Nacional

Segunda-Feira, 08 de Março de 2021, 13h:52 | Atualizado: 08/03/2021, 13h:53

Ministro Pazuello altera de novo dado e prevê menos vacinados contra a Covid-19

O ministro da saúde, Eduardo Pazuello, afirmou nesta segunda-feira (8) que o Brasil deve ter até o fim de março entre 25 e 28 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19.

Tomaz Silva/Agência Brasil

Eduardo Pazuello

Na semana passada, Ministério da Saúde já tinha diminuído em 35% a previsão de doses da vacina contra o novo coronavírus disponíveis em março de 2020

A previsão de doses no período já foi alterada várias vezes anteriormente:

46 milhões - previsão feita em fevereiro

38 milhões - previsão do início de março

30 milhões - previsão de sábado (6)

25 a 28 milhões - nesta segunda (8)

"Nosso objetivo é ter em março, próximo aí a 25 milhões, 28 milhões de doses já realmente entregues para que a gente cumpra o Plano Nacional de Imunização", disse Pazuello nesta segunda, em cerimônia na Fiocruz.

Na semana passada, enquanto aumentavam as mortes e o contágio de brasileiros por Covid-19, o Ministério da Saúde já tinha diminuído em 35% a previsão de doses de vacina disponíveis em março.

A estimativa inicial de 46 milhões de doses caiu para 38 milhões, depois 37 milhões. Neste sábado (6), o ministério cortou a previsão para 30 milhões de doses.

Nesta segunda, Pazuello explicou os ajustes na previsão e afirmou que o laboratório Serum, da Índia, vem atrasando a entrega.

"Não foi entregue o quantitativo de IFA contratado para a produção de 15 milhões de doses em janeiro.

Então a Astrazeneca nos forneceu a entrega de 12 milhões de doses prontas, que seriam do laboratório indiano Serum. E esse laboratório vem fazendo uma postergação da entrega. Então, até agora vieram quatro milhões - ainda faltam oito. Nessa negociação, vamos ter que fazer uma pressão política, diplomática e até pessoal nossa com a Astrazeneca cobre do Laboratório Serum, para que ele cumpra a entrega dos oito milhões que faltam".

"Neste momento, a Índia, como país, dificultou o processo porque ela proibiu a exportação", acrescentou.

"Vamos ter que fazer uma pressão política, diplomática e até pessoal nossa para que a Astrazeneca cobre do Laboratório Serum, para que ele cumpra a entrega dos oito milhões que faltam. Os país no mundo estão variando com suas posições diplomáticas e posições comerciais porque o troço ele realmente é instável", disse o ministro.

"Então, é por isso que nós estamos falando de produção nacional, porque se nós não tivermos uma produção nacional como temos hoje no Butantan e na Fiocruz, nós não vamos ter condição de vacinar em massa o nosso país".

Produção em larga escala

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) anunciou nesta segunda-feira (8) o início da produção em larga escala, em solo brasileiro, da vacina de Oxford/AstraZeneca. A informação foi antecipada pela colunista Mônica Bergamo, da “Folha de S.Paulo”.

O imunizante fabricado com insumos importados (IFAs) da China passou nos testes de estabilidade e de consistência. Com isso, devem ser entregues 3,8 milhões de doses ao Ministério da Saúde até o fim de março.

Também nesta segunda, o assessor especial do Ministério da Saúde, Airton Soligo, disse que até junho o Brasil deverá ter 14 milhões de doses de vacina da Pfizer.

"O que que o presidente da Pfizer garantiu ao presidente Bolsonaro hoje? A antecipação de 5 milhões do segundo semestre para maio e junho. Ou seja, dos nove milhões que nós tínhamos previstos, se incorporarão mais cinco milhões de doses, passando para 14 milhões", disse o assessor especial da Saúde.

A Pfizer é a única vacina que, até o momento, possui o registro definitivo da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Lacração deu defeito

A primeira remessa dessas doses deveria ser distribuída nos próximos dias, mas foi adiada para pelo menos 24 de março. A Fiocruz explicou que o atraso foi por causa de uma falha técnica em uma máquina de lacre da embalagem.

Segundo a fundação, o defeito já foi solucionado na semana passada.

Pelo calendário ajustado, um total de 30 milhões de doses deve ser disponibilizado até abril, e 100 milhões até meados do ano. Elas serão usadas no Programa Nacional de Imunização (PNI), coordenado pelo governo federal.

'Uma guerra', diz vice

Nos testes, a Fiocruz analisa uma possível contaminação no frasco e se o volume preciso foi depositado corretamente em cada vidro.

Segundo a “Folha”, três produções seguidas e independentes têm que ser finalizadas. Caso haja qualquer falha em uma delas, a produção é abortada e tem de recomeçar do zero.

“Vários parâmetros têm que ser minuciosamente observados. Normalmente é necessário perder mesmo muito tempo com tudo isso. É uma guerra. Mas que foi finalizada”, disse à “Folha” Marco Krieger, vice-presidente de produção e inovação em saúde da Fiocruz.

O primeiro lote de um milhão, justamente o que passou nos testes principais, já pode, portanto, ser comercializado. E a fábrica deve entregar no total os 3,8 milhões de doses até o fim de março.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Barra recebe R$ 1,9 mi pra bancar UTIs

adison gon�alves 400   Em Barra do Garças, com 61 mil habitantes e 5.929 casos confirmados de Covid-19, inclusive com 207 mortes, incluindo 26 óbitos de indígenas em consequência da doença, o prefeito Adilson Gonçalves (foto) abriu crédito suplementar no orçamento de R$ 1,9...

De MT para USP; governo comemora

gabriel usp ribeiraozinho 400   O governador Mauro Mendes comemorou o fato do estudante Gabriel Rodrigues Ribeiro (foto), de 18 anos, morador de Ribeirãozinho, município mato-grossense com menos de três mil habitantes, ter conseguido ingresso no curso de medicina da USP, considerada a melhor universidade do país. Aos 18...

ICMS e R$ 150 mi a mais a municípios

rogerio gallo 400 curtinha   O secretário Rogério Gallo (foto), da Fazenda, assegura que o governo estadual já enviou para os municípios, no primeiro trimestre deste ano, R$ 150 milhões somente em ICMS arrecadado a mais do que estava previso na lei orçamentária. O valor é 8 vezes...

Fúrio, última ação no MPE e morte

celio furio 400   Célio Joubert Fúrio (foto), que morreu nesta sexta, aos 56 anos, vítima da Covid-19, foi um incansável combatente de atos de improbidade administrativa em MT e na defesa do patrimônio público. Integrava aos quadros do Ministério Público Estadual havia 29 anos. Ele atuou...

Uma petista das causas bolsonaristas

edna sampaio 400   A emblemática vereadora petista Edna Sampaio (foto) se mostra a cada dia defensora das pautas bolsonaristas. Na Câmara de Cuiabá se aliou e vota combinado com os direitistas e conservadores tenente Paccola (Cidadania) e Michelly (DEM). No episódio em que a colega parlamentar fez uma "sarrada"...

Esperança do Procon por candidatura

gisela simona 400   Quem pensa que Gisela Simona (foto), aquela que perdeu para prefeita de Cuiabá e se queimou politicamente ao se aliar a Abílio no segundo turno, não se movimenta politicamente com interesse nas eleições de 2022 está redondamente enganado. Ela tenta, por tudo, reassumir a...