Nacional

Quinta-Feira, 12 de Setembro de 2019, 11h:56 | Atualizado: 12/09/2019, 12h:03

Pantanal registra 334% mais focos de queimadas em 2019, ano com menos chuvas e intensa onda de calor na região

Mayke Toscano

Queimadas

Bombeiros atuam no Pantanal de MT contra o fogo que avançam rápido

O número de focos de queimadas no Pantanal de 1º janeiro a 11 de setembro de 2019 já é 334% maior do que o registrado no mesmo período em 2018; e 43,6% acima da média registrada nos mesmos dias dos últimos 21 anos (de 1998 a 2018). Os dados são do Programa Queimadas, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Apesar de conhecido por ser uma das maiores extensões úmidas do mundo, o Pantanal nem sempre está coberto por água. As inundações começam em outubro e vão até maio. Depois, a água regride e o ambiente fica seco.
É neste contexto que o bioma enfrenta um ano com menos chuva, agravado pela intensa onda de calor, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Os fortes ventos ajudam a propagar as chamas, que têm origem na ação humana, seja intencional ou não, de acordo com a organização SOS Pantanal.

A situação levou os governos de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, em parte cobertos pelo Pantanal, a decretarem situação de emergência devido à estiagem e às queimadas. A Defesa Civil de Mato Grosso do Sul pediu o apoio de um avião C-130 Hércules, da Força Aérea, para combater os incêndios florestais no estado.

Ao todo, já são 4.515 focos no Pantanal em 2019, contra 1.039 em 2018 (de janeiro a 11 de setembro). A média histórica de 1998 a 2018 é de 3.086 focos – o pico foi em 2005, quando foram registrados 9.881 focos de queimadas no bioma neste período.

Entre todos os municípios do país, Corumbá – conhecida como "capital do Pantanal" – foi o que mais registrou focos de incêndio em 2019: foram 3.138 focos entre 1º de janeiro e 11 de setembro.

Menos chuva, mais calor

De janeiro a agosto de 2019 choveu 25% a menos no Pantanal, em especial nos meses de janeiro e março, que são os mais chuvosos, afirma Francisco de Assis Diniz, chefe da previsão do tempo do Inmet. A baixa precipitação no início do ano foi sentida agora, nos meses mais secos.

"O Pantanal teve déficit dos meses chuvosos, e isso reflete no clima de agora, mesmo que nos meses secos a precipitação esteja dentro do normal", afirma.

Além da chuva, Diniz afirma que o Pantanal enfrenta há uma semana uma onda de calor que deixa as temperaturas de 4°C a 6°C acima do normal. O bioma registra média de 38°C a 40°C, quando deveria ter de 33°C a 34°C.

Ação humana e ventos fortes

O diretor-executivo da organização SOS Pantanal, Felipe Augusto Dias, afirma que os incêndios têm origem na ação humana, seja intencional ou não, e que os ventos fortes ajudam a levar as chamas a distâncias acima de 10 km.

Ele cita uma área de reserva ambiental que passou pelo combate às chamas durante três dias e, depois, o fogo reapareceu. "A área fica às margens da BR-162. O fogo pode ter sido provocado intencionalmente ou ter ocorrido por causa de uma bituca de cigarro ou um objeto jogado que, pelo reflexo, cria calor e fogo na palha seca", afirma.

Outro problema são os ventos, que reavivam focos quase extintos e levam as chamas para áreas distantes. "Você controla o incêndio e, no finalzinho, bate um vento forte e o fogo recomeça. Outro ponto é que, às vezes, o fogo começou a 10 ou 15 km de distância e vem migrando com o vento", explica.

Queimadas por bioma

Na comparação com outros biomas, a Amazônia segue na liderança dos focos de incêndio do país de janeiro a 11 de setembro de 2019.

Ao todo, 49,6% dos focos do período foram registrados na Amazônia. Em segundo lugar vem o Cerrado, com 33%; seguido por Mata Atlântica, com 9,7%; Pantanal, com 4,1%; Caatinga, com 2,8%; e Pampa, com 0,9%.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Matéria(s) relacionada(s):

R$ 71 mi já estão reservados para 13º

rogerio gallo 400 curtinha   Após os primeiros meses de "choradeira", pintando cenário do caos financeiro e administrativo, o governo estadual consegue, pela primeira vez neste 2019, fechar o mês com recurso provisionado para pagar o 13º dos cerca de 100 mil servidores. O secretário de Fazenda, Rogerio Gallo (foto),...

Jackson, enfim, nomeado ao TRE-MT

jackson 400 curtinha tre   O presidente Bolsonaro, enfim, escolheu, de uma lista tríplice, quem passa a compor o Pleno do TRE-MT no cargo de juiz titular, na categoria jurista, para dois mandatos de mandato. Trata-se de Jackson Francisco Coutinho (foto), que desde o ano passado já atua como juiz-membro substituto no Tribunal. Nos...

Com mais de 60 prefeitos e esposas

mauro mendes virginia 400   Acompanhado do governador e esposo Mauro, a primeira-dama Virginia Mendes recebeu para um jantar no Palácio Paiaguás, na segunda, mais de 60 primeiras-damas, além de prefeitos e outras autoridades. O governador, que promoveu o encontro, aproveitou para expor números, ações e...

UPA do Verdão vai ser entregue - veja

emanuel pinheiro 400 curtinha   O prefeito Emanuel Pinheiro programa inaugurar na primeira quinzena de dezembro a UPA do Verdão (próximo à Arena Pantanal), uma nova e moderna estrutura que terá capacidade de atendimento de cerca de 12 mil pessoas por mês - veja aqui o vídeo que mostra a obra em fase...

Capital transmite final da Copa Verde

O Cuiabá Esporte Clube enfrenta o Paysandu hoje, às 20h, pela final da Copa Verde, no estádio Mangueirão. O Dourado precisa vencer por dois gols de diferença para ficar com o título. Caso a vitória seja por um gol de diferença, a decisão vai para os pênaltis. A Capital FM 101.9, que acompanha o futebol regional desde início do ano, será a única rádio de Cuiabá que fará a...

Um dos cuiabanos na final Fla x River

leonardo campos curtinha 400   O presidente da OAB-MT, Leonardo Campos, o Leo Capataz, é um dos flamenguistas de Cuiabá que já estão em Lima ou que ainda vão embarcar rumo à capital do Peru para assistir a final da Copa Libertadores entre Flamengo e o argentino River Plate. O confronto será...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Como você avalia a decisão do Supremo de suspender prisão imediata após julgamento em segunda instância?

Concordo

Discordo

Tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.