Nacional

Quinta-Feira, 12 de Dezembro de 2019, 15h:06 | Atualizado: 12/12/2019, 15h:14

Plenário do STF decidirá sobre pedido de impeachment contra Ricardo Salles

Rodinei Crescêncio

Ricardo Salles

Senadores da Rede pedem abertura de impeachment contra o ministro Ricardo Salles

O ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), liberou para o plenário analisar um recurso de senadores da Rede que pede a abertura de processo de impeachment contra o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

Em decisão individual no fim de outubro, Fachin já havia rejeitado o pedido de Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e Fabiano Contarato (Rede-ES) por considerar que cabe ao Ministério Público Federal (MPF) a decisão de acusar um ministro de crime de responsabilidade.

Para o ministro, os senadores não têm legitimidade para isso.

Os parlamentares recorreram para que a decisão seja do plenário, e Fachin liberou o tema para a corte decidir. Como a pauta de julgamentos deste ano já está definida e só há mais duas sessões antes do recesso do Judiciário, a questão só será analisada no ano que vem.

Cabe ao presidente do STF, Dias Toffoli, definir uma data para o julgamento.

Na ação, os parlamentares alegam que o ministro descumpriu dever funcional e ordenou atos contrários à Constituição mudando órgãos da área ambiental e não tomando providências necessárias para áreas de proteção.

Os senadores argumentam ainda que, segundo a Constituição, ministros de Estado devem responder no Supremo por crime de responsabilidade. Pela lei 1079 de 1950, se comprovado crime de responsabilidade a pena é a perda do cargo.

A Procuradoria Geral da República (PGR) opinou contra o pedido dos senadores e considerou que os atos apontados mostram o "inconformismo" dos senadores com a política ambiental, mas não se trata de crime de responsabilidade.

"Portanto, os relatos analisados não apresentam verossimilhança e plausibilidade necessárias à adoção de medidas apuratórias no âmbito desse Supremo Tribunal Federal, evitando-se a submissão do agente político representado a um processo de responsabilização destituído de densidade fático probatória. (...) É certo que não há justa causa para a deflagração de processo de crimes de responsabilidade", disse a PGR.

Fachin entendeu que cabe ao Ministério Público decidir se denuncia ou não ministro por crime de responsabilidade. "Prevalece nessa hipótese, a natureza criminal do processo, cuja apuração judicial está sujeita à ação penal pública da competência exclusiva do MPF", afirmou.

"É do Ministério Público – e não de particulares – a legitimidade ativa para denúncia por crime de responsabilidade. Como se depreende desses precedentes, os requerentes não detêm legitimidade para fazer instaurar o procedimento de apuração de crime de responsabilidade", completou o ministro, que decidiu pelo arquivamento.

O recurso a ser analisado pelo plenário contesta o arquivamento e afirma que os parlamentares também podem acusar o ministro.

A PGR já opinou contra o recurso.

"No caso dos autos, os requerentes imputam ao Ministro de Estado do Meio Ambiente, Ricardo de Aquino Salles uma conduta autônoma, não conexa com infração político-administrativa da mesma natureza praticada pelo Presidente da República. Dessa feita, a legitimidade ativa para denúncia é do Ministério Público. Assim, por todos os ângulos, inexiste argumento hábil a desconstituir a decisão recorrida, que merece ser integralmente mantida por seus próprios fundamentos", afirmou o vice-procurador-geral da República, José Bonifácio de Andrada.

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Amarildo | Sexta-Feira, 13 de Dezembro de 2019, 09h58
    1
    0

    interessante né...pedido de impeachment contra os Ministros do Supremo ficam engavetados...agora contras ministros do governo Bolsonaro corre como carros de formula 01...esse Senador Randolf não passa de mais falador...

  • alexandre | Quinta-Feira, 12 de Dezembro de 2019, 19h45
    2
    0

    Rede insustentabilidade ? partido linha auxiliar do PT...

  • CHIRRÃO | Quinta-Feira, 12 de Dezembro de 2019, 15h33
    1
    3

    FA. FÉ, FI..FORA!!!

Matéria(s) relacionada(s):

PDT quer França, mas não pra suplente

allan kardec 400   Embora o deputado e secretário de Cultura do Estado, Allan Kardec (foto), presidente regional do PDT, tenha flertado com Roberto França, tentando atraí-lo para o partido e com expectativa de candidatura, não há nenhum convite para este ser um dos suplentes ao Senado na chapa de Pivetta. A ideia...

Uma candidatura jovem na chapa

otaviano pivetta 400 curtinha   Otaviano Pivetta (foto) assegurou neste domingo que não definiu ainda os dois suplentes de sua futura chapa ao Senado. Sobre Sachetti, observou que trata-se de um parceiro e amigo e que está pronto para ajudar no projeto, sem fazer imposição para assumir suplência, assim como o...

Rei da soja incentiva Fávaro ao Senado

erai maggi 400 curtinha   O ex-vice-governador Carlos Fávaro não mantém o silêncio à toa. Embora tenha sido o terceiro mais votado em 2018 - por pouco não fica com a vaga ocupada hoje pelo senador Jayme Campos -, Fávaro está enfrentando uma série de dificuldades para se viabilizar de...

Professor terá desempenho avaliado

marioneide 400 curtinha   Professores da rede pública estadual agora vão passar por avaliação de desempenho tanto para fins de progressão funcional quanto para atender a uma série de novas exigências. A secretária de Educação, professora Marioneide Kliemaschewsk (foto), já...

O pinóquio de antes, o aliado de hoje

wilson santos 400 curtinha   Wilson Santos (foto), hoje deputado pelo quarto mandato, está levando porrete de todo lado pela decisão de entrar na base do Governo Mauro Mendes, seu então adversário político dos últimos 15 anos. Ambos, que se enfrentaram nas urnas duas vezes, uma a prefeito e outra para...

França, convite do Pode e suspense

roberto franca 400 curtinha   Roberto França (foto), que exerceu vários mandatos eletivos, entre eles de vereador e de prefeito de Cuiabá, ficou empolgado com o convite para se filiar ao Podemos, inclusive com abertura para concorrer novamente ao Palácio Alencastro. Para evitar conflitos, antes de fazê-lo, o...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Sobre a senadora Selma Arruda, que teve mandato cassado por caixa 2 e abuso de poder econômico, você acha que ela foi...

ingênua

corrupta

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.