Nacional

Domingo, 09 de Agosto de 2020, 08h:39 | Atualizado: 09/08/2020, 08h:45

Risco de morrer por Covid aumenta quando a quantidade de vírus é maior no organismo, apontam estudos


Do G1

NIAID-RML/AP

Coronavirus

Duas pesquisas divulgadas nesta quinta (6) apontam que há uma relação entre a carga viral (quantidade) do novo coronavírus em pacientes hospitalizados e a mortalidade por Covid-19. Uma forte presença de material genético do Sars CoV-2 pode representar uma maior chance de morte, de acordo com os autores.

Um dos estudos é uma pesquisa brasileira, ainda em análise para publicação de revistas científicas, liderado por uma equipe da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Os autores observaram dados do Hospital São Paulo entre os 14 de março e 17 de junho de 2020. Como funcionou:

Foram incluídos 875 pacientes, que fizeram o teste RT-PCR e tiveram resultado positivo para o Sars CoV-2;
Entre eles, 50,1% tiveram versão leve da doença, 30,4% a moderada e 19,5% a Covid-19 grave;

A idade média do grupo foi de 48 anos (de 2 a 97 anos), sendo que 50,9% eram mulheres.

O estudo mostrou que a taxa de mortalidade foi de 46% em pacientes com carga viral maior, contra 22% para os pacientes com uma menor quantidade do vírus. Além disso, as pessoas que estavam no início da infecção mostraram uma maior quantidade do vírus.

"O que a gente mostrou é que você tem uma carga viral aumentada de pacientes hospitalizados que morrem em relação aos hospitalizados que não morrem. E você tem também uma carga viral alta no início da infecção", disse a coautora e infectologista Nancy Bellei.

A pesquisadora disse que saber a influência entre a carga viral e a mortalidade pode contribuir para quando a ciência identificar um medicamento viável. "Conhecendo a dinâmica da carga viral, seria interessante você estratificar esses pacientes. De repente, na hora que tiver droga, saber o momento certo de tratar e se é necessário tomar algumas precauções".

Pesquisa americana

Seis cientistas analisaram dados de pacientes da Icahn School of Medicine at Mount Sinai, em Nova York. A coleta das informações ocorreu entre 13 de março e 4 de maio.

Participaram 1.145 pessoas infectadas com o Sars CoV-2;

A média de idade foi de 65,6 anos, sendo que 56,9% eram homens;

O método escolhido para determinar alta e baixa carga viral foi a quantidade de cópias do vírus por mililitro.

Neste estudo, os autores demostram que também existe uma taxa de mortalidade maior entre pacientes com carga viral alta - uma chance 7% maior a cada cópia do vírus detectada.

Assim como os pesquisadores brasileiros, os americanos dizem que o estudo pode ajudar a estratificar melhor os pacientes, com estratégias de acordo com o risco de morte.

“A transformação do teste qualitativo em uma medida quantitativa da carga viral ajudará os médicos a estratificar os pacientes e a escolher entre as terapias e ensaios disponíveis. A carga viral também pode afetar as medidas de isolamento com base na infecciosidade”, escreveram os cientistas.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Marcio | Domingo, 09 de Agosto de 2020, 20h44
    1
    0

    Uma alta carga vira estaria relacionada ao fato da pessoa ter uma pré-disposição genética por ter os genes receptores para a replicação viral ou seria já adquirida no momento do contagio? Investiguem isso!!

PTB tem 25 e deve eleger 2 à Câmara

misael galvao 400 curtinha   O PTB lançou 25 nomes a vereador em Cuiabá. E a tendência é de eleger entre um e dois. As maiores apostas são os seus próprios vereadores: Misael Galvão (foto) e Adevair Cabral, respectivamente, presidente e primeiro-secretário da Mesa Diretora da Câmara....

Retorno à Câmara após 6 mandatos

fulo 400 curtinha   Figura bastante popular, especialmente na região da Vila Operária, Lourisvaldo Manoel de Oliveira, o Fulô (MDB), que foi vereador de Rondonópolis por seis mandatos, está de volta. Hoje suplente, ele assume provisoriamente nesta segunda a cadeira do titular Thiago Muniz, que pediu licença...

Bolsonaro nem aí para políticos de MT

nelson barbudo 400 curtinha   O cerimonial da Presidência da República deu de ombros para os políticos, inclusive para a bancada federal mato-grossense, na visita de Bolsonaro, sexta, em Sinop e Sorriso. Alguns tentaram, de forma insistente, tirar foto com o presidente. E até conseguiram. Mas o capitão preferiu...

Tião com Flávio e "pau" nos Campos

tiao da zaeli 400 curtinha   A maior bronca dos Campos em Várzea Grande hoje é com o ex-prefeito Tião da Zaeli (foto), que motivou o amigo e empresário Flávio Vargas, dono do frigorífico Frical, a entrar na disputa à sucessão municipal. E Flávio conseguiu construir um amplo arco de...

A única dos maiores fora da reeleição

rosana martinelli 400 curtinha   Seis dos 10 prefeitos dos maiores municípios de MT poderiam disputar a reeleição neste ano por estarem no primeiro mandato ou já tendo exercido outros não consecutivos. E, destes, somente Rosana Martinelli (foto), de Sinop, não se recandidatou. Percebeu dificuldades...

Poconé tem 4 no páreo; Euclides dança

euclides santos 400 curtinha   Em Poconé, o ex-prefeito Euclides Santos (foto) nadou e morreu na praia. Numa queda de braço dentro do PSDB, Euclides, que havia se mudado para Cuiabá e tem o filho na disputa para vereador, perdeu espaço e autonomia para a ex-prefeita Meire Adauto, presidente municipal da legenda tucana e...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você acha que o efeito-Bolsonaro terá impacto no resultado das eleições de novembro em MT?

sim - onda Bolsonaro continua

não - efeito não influencia mais

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.