Órgãos

Quarta-Feira, 04 de Junho de 2014, 17h:52 | Atualizado: 05/06/2014, 12h:14

Ararath

Após pedido de afastamento, Prado chama Ong Moral de oportunista

Davi Valle

Paulo Prado

 Paulo Prado desafia a apresentar documentação que compreve o indiciamento

O procurador-geral de Justiça, Paulo Prado, classifica como oportunista e sem qualquer amparo jurídico o requerimento protocolado pela Ong Moral, no qual pede o seu afastamento das funções no Ministério Público. “Eu desafio a Ong Moral a apresentar a certidão que comprove que estou sendo indiciado. Esse pedido falece de qualquer amparo jurídico. É uma verdadeira aberração jurídica”, ressaltou o procurador-geral de Justiça em nota divulgada hoje (04).

Toda a  confusão é em decorrência da Ong ter protocolado, nesta quarta , na sede da Procuradoria Geral de Justiça, um pedido para afastar o procurador-geral, tendo em vista que seu indiciamento como suspeito, durante as investigações da quinta etapa da Operação Araraht, desmantelada pela Polícia Federal, no último dia 20.

No seu requerimento, a Ong Moral garante que  “a permanência do procurador à frente do MP fragiliza a imagem desta instituição, pois não há como o MP ostentar sua função de defesa da ordem jurídica, notadamente de princípios como o da moralidade e da legalidade tendo a frente o senhor Paulo Prado que é uma pessoa suspeita de pratica criminosa”.

A polêmica envolvendo o Ministério Público começou após os nomes de Paulo Prado e do promotor Marcos Regenold, aparecerem no inquérito da Polícia Federal, que investiga indícios de envolvimento em crimes contra administração pública, negociatas e lavagem de dinheiro. Na ocasião, o gabinete de Regenold foi alvo de busca e apreensão e, logo depois, foi afastado dos trabalhos até o término das investigações que são feitas pelo MP.

Na 5a fase da Operação, foi apreendida uma planilha com registros de pagamentos a 47 promotores e procuradores de Justiça a tabela estava na casa do ex-secretário de Estado Eder Moraes, preso em Brasília sob suspeita de operar esquema de lavagem de dinheiro. Prado, contudo, sustenta que não há irregularidades. Argumenta que a lista se refere a pagamentos legais feitos a servidores que tinham direitos trabalhistas.

 Diante das acusações da Ong Moral, cerca de 21 promotores compareceram à sede da Procuradoria Geral de Justiça e fizeram questão de prestar apoio à gestão do procurador-geral Paulo Prado.

confira, abaixo, a lista dos promotores solidários a Prado:

Vivien Thomaz Ility 

Márcio Florestan Berestinas  

Mauro Benedito Pouso Curvo 

Gilberto Gomes  

José Antônio Borges Pereira  

Roberto Aparecido Turim  

Sérgio Silva da Costa  

Célio Joubert Fúrio  

Wagner Cézar Fachone 

Miguel Slhessarenko  

Arnaldo Justino Silva  

Marco Aurélio de Castro 

Samuel Frungilo

Clóvis de Almeida Júnior

Allan Sidney do O souza 

Lindinalva Rodrigues 

Adriano Augusto Streicher Souza

Almir Tadeu Arruda Guimarães 

Luciano Martinez Viruel

Luciano Freiria de Oliveira,

Postar um novo comentário

Comentários (7)

  • Ibrahim Ibrahim | Terça-Feira, 10 de Junho de 2014, 19h14
    0
    0

    Realmente o MPE/MT tem muita satisfação a dar para a população de Mato Grosso, a qual, diga-se desde logo, mediante o pagamento de impostos escorchantes, garante o pagamento de salários polpudos aos Promotores e Procuradores e ainda financia valores milionários de cartas de créditos de 47 de seus integrantes, valores estes, convenhamos, não explicados a contento também, então é oportuno perguntar se a máquina calculadora do MPE/MT não estava com um “ligeiro defeito” na hora dos cálculos, haja vista os valores exacerbadamente elevados das tais cartas de crédito. É preciso transparência completa também neste detalhe, mas duvido que alguém do MPE vai explicar como chegaram a esses valores dignos de um prêmio básico de alguma loteria. Historicamente, o MPE/MT não tem sido uma instituição que transmita credibilidade para a população. Enquanto cidadãos, temos a certeza de que o MPE serve apenas para perturbar a existência de marginal POBRE, enquanto os tubarões do crime, os que têm colarinho branco (ou de outra cor, que seja), campeiam altaneiros e arrogantes na prática costumeira dos mais variados crimes. Por vez ou outra tínhamos o GAECO atuando, mas geralmente observamos que não há prosseguimento eficaz nas ações, as providências decorrentes ficam esperando não se sabe o que, dormitando em alguma gaveta burocrática do MPE, caso clássico do inquérito da Operação Cartas Marcadas, até agora esperando algum milagre institucional para ser movimentado com devida denúncia, ou estão esperando que os crimes prescrevam? Apenas para citar uma passagem com relação ao GAECO, em 2009 o responsável pelo órgão denunciou publicamente que Paulo Prado tinha recebido benesses indevidas (mais detalhes no link do TCE/MT http://www.tce.mt.gov.br/conteudo/show/sid/256/cid/8892/t/Promotor+denuncia+Paulo+Prado+). O caso, aliás como geralmente ocorre no Brasil e também no MPE/MT, foi abafado e contornado olimpicamente e todos os implicados, principalmente Paulo Prado, sairam ilesos. Resultado: Na primeira oportunidade Mauro Zaque foi retirado do GAECO e substituído sabem por quem? Paulo Prado! Bem conveniente e oportuno não é mesmo? Esta é a perspectiva de funcionamento do MPE/MT, realmente NUNCA, em nenhuma administração de qualquer Procurador-Geral houve interesse em colocar as mazelas do Órgão em pratos limpos e não seria agora com o escândalo das cartas de crédito; ninguém assume nenhuma responsabilidade, de forma transparente, punindo exemplarmente os desonestos e infratores da lei ou da ética, ÉTICA senhores, ÉTICA. Os órgãos de controle interno não funcionam, são meras formações burocráticas, nada mais, o Conselho Nacional do MP não atua, nada se vê dele, muito menos de sua ação disciplinar; diferentemente do CNJ do Poder Judiciário este bastante atuante, exemplo de MT onde o CNJ fez uma limpeza em metade do TJMT, sem dizer outros integrantes do judiciário de Mato Grosso sob investigação. Quanto ao CNMP, nada, creio que nem fazem questão de abrir algum procedimento para averiguar a situação do MP/MT e se abrem quando nós contribuintes saberemos dos resultados da devassa? Nunca! E se informam alguma coisa é com meias palavras e ainda, quem sabe, com murros na mesa mais próxima, conforme é o estilo patenteado pelo procurador Paulo Prado (alguém de bom senso se impressiona com o berreiro desesperado desse procurador?). Já partindo para a finalização desta manifestação, um detalhe chama a atenção, ora, o MP/MT é composto de dezenas de promotores e procuradores de justiça, é óbvio que lá atuam muitas pessoas de bem, honestas e dedicadas, também é óbvio que alguns deles são desidiosos, aproveitadores, oportunistas, mas o que espanta é que NÃO aparece NENHUMA dessas pessoas do BEM para contestar ou reclamar dessa forma de existência do órgão, existência voltada para interesses políticos e de proteção aos poderosos do momento, deixando a sociedade ao abandono, NINGUÉM contesta o fisiologismo, a manipulação interna de funções, o direcionamento deliberado de posicionamentos do órgão. Será que não tem ninguém preocupado REALMENTE com a situação de descrédito do MPE/MT perante a população e que proteste publicamente contra a penúria ideológica do MPE/MT, assim mostrando para a sociedade que no órgão ainda existem sim pessoas com honra, lealdade, moral e coragem para lutar em defesa da instituição tão combalida e enfraquecida em sua finalidade constitucional e muito pior, sem a confiança da população, sem crédito, desmoralizada, passando a imagem de que defende apenas os interesses dos grupos ligados ao poder. Reajam homens de bem do MPE/MT! Reajam! Mostrem sua cara, “comprem” sim briga com quem for, defendam a sua instituição de pessoas despreparadas para dirigi-la, protestem contra o péssimo caminho que as más administrações do órgão estão trilhando há longo tempo, digam não e não à destruição moral da instituição, pois é o que tem sido observado claramente ao longo do tempo. Todos os integrantes do MPE devem satisfações e muitas satisfações à população deste Estado que financia toda essa estrutura do Ministério Público e que não dá o devido retorno à sociedade. Com a palavra o MPE/MT ou será, mais uma vez, o SILÊNCIO a resposta?

  • alzino bernardes da silva | Sexta-Feira, 06 de Junho de 2014, 10h45
    4
    0

    UAI! LÁ NA SEFAZ, NÃO DÃO CERTAS DE CRÉDITOS REFERENTE FÉRIAS VENCIDAS OU LICENÇA PREMIO. TIVEMOS QUE ABRIR MÃOS DE GRANDES VALORES EM FAVORES DO ESTADO PARA QUE A SAD EMITISSE AS NOSSAS CARTAS DE CRÉDITOS. DEPOIS, FOMOS HUMILDEMENTE COMO MENDINGOS, PARA O CRUEL MERCADO COERCIAL, TENTAR VENDE-LAS POR MIGALHAS, OFERECIDAS PELOS EMPRESÁRIOS QUE DEVIAM MILHÕES DE ICMS AOS COFRES PÚBLICOS. OS DESÁGIOS CHEGARAM A 80% EM ALGUNS CASOS. NA ÉPOCA, NENHUM SECRETARIO DE ESTADO, INTERMEDIOU NADA EM FAVOR DA NOSSA CATEGORIA. (GRUPO TAF). TIVEMOS SIM, MUITAS DIFICULDADES PARA CONSEGUIR A EMISSÃO DAS CARTAS DE CRÉDITOS, AS QUAIS, NÃO SE ORIGINAVAM DE FERIAS VENCIDAS E NEM DE LICENÇAS PRÊMIO, E SIM, DE DIFERENÇAS SALARIAS NÃO PAGAS PELO GOVERNO. ESSA, É A PRIMEIRA VEZ QUE VEJO FALAR, QUE SE PAGA FÉRIAS VENCIDAS, COM CARTAS DE CRÉDITOS. CONFESSO QUE NÃO SABIA MESMO!!! MAS, É VIVENDO E APRENDENDO, NÉ SR. PAULO PRADO?

  • alzino bernardes da silva | Sexta-Feira, 06 de Junho de 2014, 10h02
    3
    0

    UAI! CADÊ OS PROMOTORES, MAURO ZAQUE, MAURO VIVEIRO, CELIO WILSON E O PROPRIO MARCOS REGENOLD? CADÊ OS PROMOTORES: DR. GADELHA, FLAVIO FACHONE E OUTROS? SÓ 21 É MUITO POUCO!!!

  • Daniel | Quinta-Feira, 05 de Junho de 2014, 19h03
    2
    0

    Lucila sa, todos os noticiarios falam que não foram vendidos precatórios mas cartas de credito. Precatório tem ordem de preferência e cartas de crédito não. Precatório não se vende no mercado, carta de crédito sim. Portanto, seu comentário é equivocado pois confunde coisas totalmente distintas.

  • lucila sa | Quinta-Feira, 05 de Junho de 2014, 10h54
    2
    2

    É evidente que uma categoria de servidores públicos do Estado de Mato Grosso, no caso a do Ministério Público Estadual, foi favorecida com o pagamento de precatórios. Tem muitos servidores na fila para receber precatórios relativos a direitos trabalhistas há muito tempo, que quando negociam na praça só o conseguem com deságio de acima de 60%. Pela informação do Dr. Paulo Prado, o deságio nessa negociação foi de 20%, então palmas para eles. Outro aspecto a ser considerado é que esses precatórios foram comprados pela Cemat, que estava em situação de falência, sendo inclusive comprada pela Energisa recentemente. Onde está a transparência nesta transação? Será que o Eder Moraes intermediou esta negociação? e a que preço? Férias vencidas ou falta de controle? difícil acreditar que este cidadões se submetam a ficar sem o gozo de suas férias em belas praias brasileiras.

  • joyce pasco | Quinta-Feira, 05 de Junho de 2014, 10h45
    2
    0

    esse dr paulo alo prado.....

  • marcelo | Quarta-Feira, 04 de Junho de 2014, 19h33
    9
    0

    engraçado só procuradores que recebe precatório porque sera e desembarcador sera que aquele promotor pego na escuta telefônica também é oportunista aquele falou por todos vocês a origem do dinheiro do pagamento dos precatório que é duvidosa se a gente compra de quem rouba e chamado de receptador de que aproveita de dinheiro da saúde que vai uma maravilha da educação então nem se fala e de remédio nossa ta um espetáculo essa copa beneficio uns melhorou a vida de outros mais isso é BRASIL gente .

Luta por mais leitos de UTI em Sinop

rosana martinelli 400 curtinha   A prefeita de Sinop, cidade pólo do Nortão, Rosana Martinelli (PR), demonstra preocupação com os poucos leitos de UTI do Hospital Regional no município. A unidade atende moradores de mais de 30 municípios da região e só dispõe de 10. Rosana diz esperar...

Priminho Riva deve disputar em Juara

priminho riva 400 curtinha   Dezesseis anos depois de comandar Juara por dois mandatos (1997 a 2004), Priminho Riva (foto) está de volta. Filiado ao PR, ele deve concorrer a prefeito. Político bastante popular e carismático, tende a enfrentar um páreo duro com dois nomes considerados fortes, o do ex-vice e que se tornou...

Contas de prefeita são reprovadas

thelma 400 curtinha   As contas de 2018 da prefeita chapadense Thelma de Oliveira (foto), do segundo ano de mandato, foram reprovadas pelo TCE-MT. Agora, cabe à Câmara Municipal aprová-las ou rejeitá-las. Em seu parecer, o conselheiro interino João Batista apontou 15 irregularidades, sendo 11 delas sobre...

Prefeitos têm de trocar apadrinhados

kleber varzea grande 400 curtinha   Com a decisão do TJ-MT de considerar inconstitucional controlador-geral das prefeituras fora dos quadros efetivos de auditor municipal, muitos prefeitos terão de exonerar seus indicados políticos, vindo a escolher profissionais de carreira, assim como já se tornou prática na...

Controlador-geral agora só de carreira

angelo 400 curtinha   Uma decisão desta quinta do TJ, que julgou procedente, inclusive por unanimidade, uma ADIN proposta pela Associação dos Auditores e Controladores Internos do Estado (Audicom), presidida por Angelo Oliveira (foto), acaba, na prática, com os chamados controladores-gerais dos municípios...

Elogio à compra econômica do Estado

janaina riva 400 curtinha   Embora lançando críticas pontuais de vez em quando, a deputada Janaina Riva (foto) tem feito constantes defesa do Governo Mauro e elogiado ações da administração, especialmente na saúde pública. Sobre a decisão do governo de comprar 120 respiradores da China,...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você conhece alguém próximo que foi infectado pelo coronavírus?

sim

não

em dúvida

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.