Órgãos

Sexta-Feira, 22 de Junho de 2018, 07h:00 | Atualizado: 26/06/2018, 10h:48

"DOLARIZAÇÃO CRIMINOSA"

MT paga R$ 200 mi a mais da dolarização de dívida e conselheiro sugere auditoria

Gilberto Leite

luiz henrique_gilberto leite (11).jpg

Conselheiro vice-presidente do TCE, Luiz Henrique diz que dolarização da dívida foi  negligência e péssimo negócio

O conselheiro interino e vice-presidente do TCE, Luiz Henrique Lima, apresentou relatório no qual constata que Mato Grosso já pagou R$ 200 milhões a mais no que tange à dívida pública, do que teria pago se a dívida não tivesse sido dolarizada por meio da contratação de um empréstimo milionário junto ao Bank of America.

Diante disso, o também conselheiro Moisés Maciel sugeriu que o Tribunal faça uma auditoria no que denominou de “dolarização criminosa da dívida do Estado”. Moisés ainda pediu que Luiz Henrique lhe envie cópia do relatório para a tomada de providências.

Durante o julgamento das contas de 2017 do governador Pedro Taques (PSDB), realizado na segunda (18), Luiz Henrique teceu severas críticas à dolarização da dívida. “A tão comemorada transação mostrou-se um péssimo negócio para o Estado, resultado de uma irresponsabilidade imensa, de falta de planejamento, de improvisação, de negligência, por parte de todos que participaram ou se omitiram durante a negociação e concretização do acordo”, avaliou.

O vice-presidente lembrou que, até agosto de 2012, Mato Grosso tinha apenas credores internos, nacionais, da dívida pública. O então governador Silval Barbosa contraiu o empréstimo de 478,9 milhões de dólares com o Bank of America com o intuito de reestruturar a dívida pública estadual. Com isso, Silval trocou um contrato de dívida interna com a União por um contrato externo em dólar com o banco internacional.

Gilberto Leite

moiseis maciel_gilberto leite.jpg

Conselheiro Moisés Maciel quer que Tribunal faça auditoria no que denominou de “dolarização criminosa" da dívida

Em 10 de setembro de 2012, data da assinatura do contrato, o valor total da dívida em reais era de R$ 967,8 milhões. “Hoje, quase seis anos após a transação, já foram pagos R$ 929 milhões. No entanto, no final de abril, antes da recente escalada de valorização do dólar, Mato Grosso ainda devia ao Bank of America R$ 993,5 milhões”, revelou.

Segundo o conselheiro, o acordo foi celebrado sem nenhum tipo de proteção contra eventuais oscilações cambiais em moeda estrangeira. Apresentou então um gráfico em que compara a evolução do que seria o pagamento da dívida com União, caso tivesse sido mantido o contrato nº 9694/97, com aquilo que já foi pago até o momento. Esse gráfico demonstra que o Estado já pagou mais de R$ 200 milhões acima do que teria pago se a dolarização não tivesse sido praticada.

Moises Maciel parabenizou Luiz Henrique por ter “corajosamente” levantado e revelado os dados da dolarização. “É algo que nos preocupa muito uma gestão temerária da dívida pública do Estado. O Tribunal de Contas precisa fazer uma auditoria nessa dívida. Precisamos olhar para essa dívida para que possamos entender o que de fato aconteceu”.

Postar um novo comentário

Comentários (8)

  • MANU | Sexta-Feira, 22 de Junho de 2018, 13h17
    10
    0

    QUEM FOI QUE AUTORIZOU ISSO COM AS CONTAS DO EX GOVERNADOR ???? QUEM FOI O CONTADOR QUE AUTORIZOU ??? COMO QUE A SEFAZ AUTORIZOU ISSO V? COMO QUE O TCE AUTORIZOU ISSO ????? PQ NÃO INVESTIGAM TODO MUNDO SABIA QUE IA DAR NISSO COMO QUE PEGA DÓLAR EMPRESTADO MAS DEIXA O EMPRÉSTIMO A VOLATILIDADE DO MERCADO ????

  • Edson | Sexta-Feira, 22 de Junho de 2018, 12h18
    5
    4

    Não sabia que o TCE é órgão de defesa de governo. Penso que o TCE deveria é olhar mais para as suas obrigações e faze-las de forma transparente e competente ou invés de ficar se preocupando em defender a ingerência do Governador.

  • Anacleto Campos Miranda | Sexta-Feira, 22 de Junho de 2018, 11h41
    3
    1

    O choro é livre e o Jus Esperniands também. Todas as vossas Senhorias, AUDITORES CONCURSADOS e SEM NECESSIDADE DE VINCULO POLITICO PARTIDÁRIO, retornaram as suas insignificâncias. Deixaram a CASA NOVA, tiveram oportunidade de demonstrar que seriam melhores que as INDICAÇÕES POLITICAS e NADA fizeram de diferente dos Conselheiros Titulares.

  • Zezinho faz de contas | Sexta-Feira, 22 de Junho de 2018, 10h15
    1
    0

    Zezinho faz de contas, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Epaminondas Antônio de Castro | Sexta-Feira, 22 de Junho de 2018, 10h09
    6
    0

    Em 2015 publiquei um artigo com o título: Reestruturação da dívida de MT: Um Equívoco. Quem tiver curiosidade dê um clic no Google.

  • Valéria Plotez | Sexta-Feira, 22 de Junho de 2018, 09h08
    12
    1

    Fica ridículo aos orgaos fiscalizadores tomarem lado nas diacussores politicas e sairem em defeasa de candidatos. O que fez o TCE na gestão de Silval. Foi tôtalmente omisso. Não fizeram nada em relação ao empréstimo agora cantam de galo....Esses conselheiros são efetivos e estavam no TCE a epoca e tbem não cumpriram com o papel de fidelidade com a coisa pública. Me poupem dessas falacias ....

  • Valéria Plotez | Sexta-Feira, 22 de Junho de 2018, 09h06
    9
    1

    Fica ridículo aos orgaos fiscalizadores tomarem lado nas diacussores politicas e sairem em defeasa de candidatos. O que fez o TCE na gestão de Silval. Foi tôtalmente omisso. Não fizeram nada em relação ao empréstimo agora cantam de galo....Esses conselheiros são efetivos e estavam no TCE a epoca e tbem não cumpriram com o papel de fidelidade com a coisa pública. Me poupem dessas falacias ..

  • alexandre | Sexta-Feira, 22 de Junho de 2018, 08h39
    9
    2

    TCE não é Secom, pra fazer campanha do governo, mistério. Onde estava o TCE no governo anterior ?

Matéria(s) relacionada(s):

Prova da lisura de membros do Gaeco

paulo prado 400 curtinha   O resultado da auditoria do TCE-MT sobre a prestação de contas do Gaeco das verbas secretas, entre 2012 e 2017, assegurando a sua legalidade, resgata a credibilidade, lisura e reputação ilibada dos membros que atuaram na época nesse braço investigativo do MPE, como o procurador e...

Posse 2 dias antes do possível retorno

maluf 400 curtinha   Guilherme Maluf (foto), que nem esquentou direito a cadeira de conselheiro, vai tomar posse na presidência do TCE-MT dois dias antes do STJ julgar um recurso que tende a suspender as medidas cautelares e definir pelo retorno ao Pleno dos cinco conselheiros afastados há dois anos. A solenidade acontece no...

Alerta sobre hanseníase nos presídios

alexandre bustamante curtinha 400   Duas secretarias do TCE ingressaram com representação contra duas secretarias de Estado. As de Controle Externo de Educação e Segurança Pública e de Saúde e Meio Ambiente acionaram no próprio Tribunal as pastas de Segurança Pública,...

Reunião pra complô desmoraliza Abílio

abilio 400 curtinha   A considerar as imagens de circuito interno de vídeo do hospital privado São Benedito, exibidas nesta quinta, durante sessão na Câmara de Cuiabá, a situação de Abílio Brunini (foto) se complica mais ainda. Investigado pela Comissão de Ética por reincidentes...

Contra mudar multas do Fundecontas

mauro mendes 400 curtinha   O governador Mauro (foto) vetou a inclusão de um dispositivo no artigo 2º da lei de 2005 que criou o Fundo de Reaparelhamento e Modernização do TCE. Essa alteração foi aprovada pela Assembleia na sessão de 29 de outubro e, na prática, iria retirar e dar outro...

Ex-deputado quer comandar Chapada

roberto nunes 400   O ex-deputado Roberto Nunes (foto), que recebe dois vencimentos da Assembleia, um como aposentado e outro como beneficiário do extinto FAP, somando mais de R$ 30 mil mensais, está se articulando para encarar mesmo a disputa pela Prefeitura de Chapada dos Guimarães. Transferiu para lá o...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Como você avalia a decisão do Supremo de suspender prisão imediata após julgamento em segunda instância?

Concordo

Discordo

Tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.