Órgãos

Sexta-Feira, 26 de Fevereiro de 2010, 07h:35 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

INVESTIGAÇÃO

PF cumpre busca e apreensão no Senar MT; rombo é de R$ 9,9 mi

   A Polícia Federal deflagrou nesta quinta (25) a Operação Cartilha e cumpriu cinco mandados de busca e apreensão de materiais em Cuiabá e Brasília para investigar supostas irregularidades em licitações realizadas pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), em Mato Grosso, que causaram um rombo, segundo a CGU, de R$ 9,9 milhões ao erário. As apreensões foram feitas a pedido do Ministério Público Federal. O Senar é vinculado à Famato, sob Rui Prado.

  Segundo a procuradora Vanessa Ribeiro Scarmagnani, há indícios de fraude nas licitações para a confecção e impressão de cartilhas e manuais que serão distribuídos pelo Senar para famílias agricultoras do Estado. Os contratos seriam feitos com entidades sem fins lucrativos, entretanto, camuflavam um forte esquema que favorecia gráficas de Brasília. Essas empresas recebiam os pagamentos por serviços supostamente superfaturados. “É indispensável que sejam realizadas essas apreensões para reunir provas documentais que possam subsidiar uma possível ação penal”, explica a procuradora.

  A investigação começou depois que Controladoria Geral da União (CGU) detectou irregularidades, durante fiscalização, nas aquisições, com e sem licitações, de materiais destinados à execução do Programa Agrinho e Programa de Formação Rural e Promoção Social, ambos de responsabilidade do Senar, nos anos de 2002 a 2009. Os programas são destinados para estudantes e trabalhadores rurais, respectivamente.

  De acordo com a Polícia Federal, o material apreendido será analisado em conjunto com a CGU. Ao final da investigação, o inquérito será enviado ao Ministério Público Federal. No final da tarde desta sexta, por meio de nota, a instituição frisou que “atendeu prontamente todas as requisições efetuadas pela PF, fornecendo documentos e os equipamentos solicitados”.

  Segundo nota enviada, o Senar não é uma entidade pública, por isso, teria autônomia administrativa e financeira já que seus recursos não são oriundos do tesouro nacional, mas sim dos produtores rurais que contribuem para sua qualificação bem como dos trabalhadores rurais. "Todos os processos licitatórios da entidade são precedidos dos requisitos legais, assim como nas aquisições de materiais didáticos. Os resultados conquistados através de tais aquisições são confirmados através dos milhares de pessoas atendidas nas ações do Senar”, argumenta a instituição.

  Já sobre o Programa Agrinho, implantado em 2004 e realizado até 2009, que é um dos focos da investigação, o Senar alega ter formado 1,8 milhão de alunos e 103 mil professores nos 141 municípios do Estado, sempre com o material didático fornecido gratuitamente pelo Senar. Por fim, a instituição reforça que está à “disposição das autoridades competentes para a retirada de quaisquer dúvidas ou informações para esclarecimentos dos fatos”.

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • manoel carlos | Sexta-Feira, 26 de Fevereiro de 2010, 18h26
    0
    0

    ta vendo? depois ainda vem com essa conversa fiada de quebrar paradigmas, tudo farinha do mesmo saco.

  • Marcelo | Sexta-Feira, 26 de Fevereiro de 2010, 12h22
    0
    0

    Esse LUCAS de sorriso é ignorante...

  • Lucas | Sexta-Feira, 26 de Fevereiro de 2010, 11h40
    0
    0

    O Povo espera a mesma ação moralizadora no SEBRAE, SENAC, SESC, SENAI e SESI porque o comportamento e modos operandi é o mesmo. Pode demorar mas um dia a casa cai. Não é possível haver empresas pobres e entidades tão ricas, empresários em dificuldades e serviços de apoio como verdadeiros cabides de emprego.

  • Davos | Sexta-Feira, 26 de Fevereiro de 2010, 11h18
    0
    0

    Essa explicação dada pelo SENAR é balela. o Senar é um ente paraestatal, que sobrevive de contribuições de atividade rural arrecadada pela União. Caso, não existisse a força do Estado, não haveria contribuição nenhuma. O SENAR sobreviveria como? Para isso, basta vir na net a ação do meio rural para reduzir esse tipo de encargo. Esse desvio não tem nada a ver com o atual governo, é algo que acontece aqui.

  • brasil | Sexta-Feira, 26 de Fevereiro de 2010, 08h34
    0
    0

    vícios antigos e persistentes, tais como o patrimonialismo, o autoritarismo, o clientelismo, o nepotismo, a corrupção generalizada, a impermeabilidade à democracia e A FALTA DE PARTICIPAÇÃO POPULAR VERDADEIRA SEM DINHEIRO PUBLICO, a falta de transparência e ineficiência dos mecanismos de controle público, tanto estatais quanto não-estatais.essa E A MARCA LULLA DE GOVERNAR, RETROCESSO,A CONTA QUE VAI PAGAR E O POVO. voc conhece no seu bairro uma obra verdadeira do governo lulla???so uma, não vale diistribuição de dinheiro. mudança já, serra aecio marina ou outros.

4 órgãos do Estado no monitoramento

Como parte de um projeto piloto, quatro órgãos públicos do Estado estão sendo monitorados em tempo real, com câmeras analíticas que fazem o videomonitoramento. Nas funcionalidades do sistema estão até simulações de ativação de alarme e botão do pânico. As câmeras estão instaladas na 10ª Ciretran, na Superintendência de Assistência Farmacêutica e em duas...

Governo inaugura posto na fronteira

mauro mendes 400 curtinha   O governador Mauro Mendes (foto) inaugura na quarta o Posto do Limão, do Gefron, na região de Cáceres. Decola para Cáceres logo cedo e pousa na pista da fazenda Santa Helena. Dali segue 14 km de carro até o posto a ser inaugurado. O chefe do Executivo vai aproveitar para fazer um...

Estiagem faz Tangará racionar água

renato_golveia_curtinha400   A estiagem severa que castiga o Estado e provoca milhares de focos de incêndio, começa a afetar o sistema de abastecimento de água. Em Cuiabá, a concessionária pediu uso consciente da água. Já em Tangará, a situação ganha contornos dramáticos. O...

Lucas arrecada R$ 58 mi em impostos

binotticurtinha_400   Lucas do Rio Verde, sob Luiz Binotti (PSD), arrecadou R$ 58,274 milhões em impostos de 1º de janeiro até 13 de setembro deste ano, às 17h. Os dados são do Impostômetro e foram divulgados pela Fecomércio. No mesmo período em 2018, foram R$ 52,493 milhões. Nos 12 meses...

De fora da disputa em Rondonópolis

percival muniz 400   O pecuarista Percival Muniz (foto), hoje "mergulhado" nas duas fazendas na região do Xingu, adianta que não será candidato a prefeito de Rondonópolis, posto já ocupado por ele por três vezes. Mesmo com recall junto à população de bom gestor e popular, ele é...

Conselheira e o faturamento familiar

jaqueline jacobsen curtinha 400   Está repercutindo muito mal para a conselheira substituta do TCE-MT Jaqueline Jacobsen (foto) a notícia publicada pelo site O Livre, nesta sexta, de que a sua irmã, advogada Camila Jacobsen, em sociedade com Eveline Guerra, filha da conselheira, são sócias da "Jacobsen &...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Na sua opinião, como está indo o Governo Mauro Mendes?

excelente

bom

regular

ruim

péssimo

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.