Órgãos

Quinta-Feira, 21 de Janeiro de 2010, 07h:50 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Preocupação

Sob Taisir, Unemat gasta R$ 605 mil com diárias e R$ 1 mi com telefonia

Taisir Karim    A Universidade do Estado (Unemat), com sede em Cáceres e sob a reitoria de Taisir Karim, pré-candidato do PP a deputado estadual, gastou R$ 605 mil com o pagamento de diárias para professores e técnicos da instituição no decorrer do exercício de 2008. Apesar da gestão tumultuada e marcada por reclamações de ingerência, falhas e denúncias de irregularidades, o balancete foi aprovado pelo Tribunal de Contas. A relatoria ficou com o conselheiro Valdir Teis, ex-secretário estadual de Fazenda. Auditores que fazem o trabalho in loco apontam no relatório técnico falhas na comprovação dos gastos. Destacaram, por exemplo, que "os processos de diárias não possuem protocolo ou numeração de folhas e que estão acondicionados sem ordem cronológica, demonstrando deficiência no controle da legalidade”.

   Em meio à falta de planejamento, as despesas com diárias têm crescido ao longo dos anos na Unemat, que possui 11 campi. Em 2006, foram liberados R$ 505 mil. No ano seguinte, os gastos com diárias chegaram a R$ 536 mil, um incremento de 6%. No ano seguinte, os gastos subiram mais 12,9%.

   Há casos em que as diárias só foram pagas após o término da viagem, “prejudicando o servidor no desempenho de suas funções”. Em pelo menos quatro processos, constam relatos de uso de carro próprio dos professores para o cumprimento das jornadas, prática vedada pelo TCE. Nas viagens realizadas com veículos da instituição, não foram discriminadas as placas e, em dois casos, falta assinatura do servidor que recebeu a diária no relatório de viagem.

   Alertado pelos auditores no primeiro semestre para sanar as irregularidades, Taisir justificou que houve reformulação da assessoria de Controle Interno, mas que seriam tomadas todas as medidas necessárias para sanar os problemas. Contudo, as irregularidades persistiram, apontam os auditores do TCE.

    Telefonia

    A gestão Taisir autorizou ainda em 2008 mais de R$ 1 milhão para quitar faturas com telefonia, um crescimento de 10% em relação a 2007, quando foram "torrados" R$ 969 mil. As despesas com celular tiveram incremento de 56%, passando de R$ 54 mil para mais de R$ 84 mil. O TCE alertou que “houve ausência de controle na realização de tais despesas”. Nas faturas da Embratel e Brasil Telecom foi verificado pagamento em atraso e, por consequência, de multas. Há “ligações interurbanas e ligações fora do expediente, inclusive nos finais de semana”, aponta a auditoria.

    Em 2009, o orçamento da Unemat foi de R$ 110 milhões. Para este ano, estão previstos R$ 117 milhões. A gestão Taisir prossegue até 2011. A instituição está com a imagem manchada por não ter conseguido realizado, em novembro do ano passado, o maior concurso público do país com 271 mil inscritos para 10.086 vagas, por causa de fraudes e da falta de planejamento, o que levou o governo Blairo Maggi a adiá-lo para este ano. A Unemat possui 11 campi universitários, em pontos distintos do Estado, sendo eles Alta Floresta, Alto Araguaia, Barra do Bugres, Cáceres, Colíder, Juara, Luciara, Nova Xavantina, Pontes e Lacerda, Sinop e Tangará da Serra. Ao todo são 13 núcleos pedagógicos, tocados por 664 professores e 512 funcionários técnico-administrativos, além de 196 contratados.

Postar um novo comentário

Comentários (16)

  • Ivan Pires | Quarta-Feira, 23 de Junho de 2010, 12h45
    3
    0

    Acredito que uma solução seria uma sólida rede de computadores que interlige com banda larga todos os pontos da unemat e utilizar este recurso para tele-presença (evitando as diárias) e o uso de voz sobre dados, (Voice over IP) que reduziria drásticamente os gastos com telefonia. Uma proposta interessante é a abertura de edital de interesses institucionais para resolver estes tipos de problemas.

  • julio cezar | Terça-Feira, 26 de Janeiro de 2010, 14h20
    3
    0

    tá fudido!!! mas mesmo assim não perde a pose.

  • Gedeão | Sexta-Feira, 22 de Janeiro de 2010, 14h32
    3
    0

    Gedeão, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • FLAVIO PINHO | Quinta-Feira, 21 de Janeiro de 2010, 18h57
    2
    1

    JÁ QUE EXISTE ALGUÉM QUE CONHECE PSOFUNDAMENTE A UNEMAT, PQ DEIXOU CHEGAR A ESTE CAOS? E TODOS OS PROFESSORES RECEBEM E MUITO BEM (SALÁRIO GôôôRDO PARA INVESTIREM EM EDUCAÇÃO, PESQUISA MESTRADOS E DOUTORADOS) MÁS SE NÃO FIZEREM ISTO QUE FOQUEM PARA TRÁS E DEEM OPORTUNIDADES AOS QUE DE FATO POSSUEM COMPETÊMCIA !!!

  • Marcos | Quinta-Feira, 21 de Janeiro de 2010, 17h26
    2
    1

    Esse irresponsável do Taisir somente concede diárias aos seus puxas-sacos, isso que ele deixou a Unemat quebrada, mas mesmo assim as diárias aos amiguinhos só aumenta. Mais uma vergonha! Mais improbidade! Mais um processo! Taisir envergonha Cáceres, é o grande responsável por toda essa vergonha!

  • Flavio Pinho | Quinta-Feira, 21 de Janeiro de 2010, 15h15
    2
    1

    VAMOS DEIXAR AS CRÍTICAS DE LADO, OQUE FOI FEITO JÁ ESTÁ FEITO, NÃO HÁ COMO VOLTAR ATRÁS. EU SÓ ESPERO QUE A SEDE DA UNEMAT SAIA DE CÁCERES, POIS AÍ SIM O MUNICÍPIO JÁ SEM ADMINISTRAÇÃO E SEM RECURSOS QUEBRA E QUEBRA MESMO !!! A UNEMAT TEM QUE SER TODA MUDADA, QUE HAJA UMA CPI, EXISTEM PROFESSORES EFETIVOS S[O MAMANDO DA INSTITUIÇÃO COMO É O CASO DO RHYCARDO L. MONTEIRO, CHEFE DO CURSO DE INFORMÁTICA E OUTROS, SEM COMPROMISSO ALGUM COM A CLASSE ACADÊMICA !!! VAMOS SEGURAR A SEDE !!!

  • Álvaro | Quinta-Feira, 21 de Janeiro de 2010, 14h11
    2
    1

    Álvaro, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Arlete | Quinta-Feira, 21 de Janeiro de 2010, 14h04
    3
    0

    Arlete , Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • ondino lima neto | Quinta-Feira, 21 de Janeiro de 2010, 13h08
    2
    1

    irmaos matogrosenses, se voces pudesem conhecer o campus de alto araguaia, voces teriam a nocao do descaso e do total abandono com uma instituicao de ensino publica. da parte do reitor da unemat e mais ainda do nosso coordenador.

  • Marcos | Quinta-Feira, 21 de Janeiro de 2010, 12h59
    1
    2

    Marcos, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

"Batida" em apresentador por engano

ricardo martins 400   Durante a dupla operação deflagrada pela PF nesta terça em alguns municípios de MT, entre eles Cuiabá, agentes federais, por um equívoco no cumprimento de mandados, acabou batendo na porta do apresentador da TV Cidade Verde, Ricardo Martins (foto). Ele, por sua vez, e para não...

Paccola é cotado para diretor-geral

gianmarco paccola 400   O discreto e atuante delegado Gianmarco Paccola (foto), hoje diretor-geral-adjunto da Civil, já desponta nos bastidores como nome preferencial do Palácio Paiaguás para eventual substituição a Mário Demerval, que deve mesmo deixar o posto de diretor-geral para disputar as...

Luta pra isentar parte dos aposentados

eduardo botelho 400 curtinha   Primeiro-secretário da Assembleia, Eduardo Botelho (foto) disse que foi criada espécie de força-tarefa dos deputados para fechar um acordo com o governo, de modo a ajudar aposentados e pensionistas e portadores de doenças raras para isenção do pagamento da alíquota da...

Investimentos em segurança pública

alexandre bustamante 400   Alexandre Bustamante (foto), secretário estadual de Segurança Pública, é enfático ao afirmar que o Estado tem investido em equipamentos e infraestrutura para combater a criminalidade. Segundo ele, a maior prova disso são os projetos que integram o programa MT Mais. Ao todo, devem...

Folha antecipada em Várzea Grande

kalil baracat 400 curtinha   Com o privilégio de ter assumido a prefeitura em janeiro com superávit de R$ 74 milhões da antecessora Lucimar Campos, o prefeito várzea-grandense Kalil Baracat (foto) quitou a folha de fevereiro na última quinta (25), três dias antes da virada do mês. São cerca de...

Grupo de risco em casa até 31 de maio

Em novo decreto, dentro das medidas emergenciais e temporárias de prevenção ao Covid-19, o prefeito cuiabano Emanuel Pinheiro determinou que servidores municipais que integram o chamado grupo de risco não devem trabalhar presencialmente nas secretarias e/ou órgãos da administração. São considerados desse grupo servidores acima de 60 anos, imunodeprimidos e/ou portadores de doenças crônicas e servidoras grávidas e...