PARTIDO

Sábado, 03 de Agosto de 2019, 11h:11 | Atualizado: 03/08/2019, 16h:53

NANICOS

Em razão da cláusula de barreira, PHS se incorpora ao Pode e o PPL soma ao PCdoB

Arquivo Pessoal

Benedito Lucas, Podemos

Benedito Lucas, Podemos, adianta que a meta é reorganizar todos os diretórios até 2020

Em razão da cláusula de barreira, dois partidos que não conseguiram eleger número de deputados federais suficientes para alcançar o critério de representatividade partidária estão em processo de incorporação a outras siglas. O Partido Humanista da Solidariedade (PHS) se fundirá ao Podemos, enquanto que o Partido Pátria Livre (PPL) foi incorporado ao Partido Comunista do Brasil (PCdoB).

A presidente do PCdoB, em Mato Grosso, Marilene Costa, relata que o PPL teve dificuldades com as alterações na legislação eleitoral e que a aproximação com o PCdoB se deu em razão das proximidades ideológicas. “O PPL assim como o PCdoB tem pautas e lutas em defesa do Brasil e das questões nacionais. O PPL também vem de tradição, defesa dos trabalhadores, mulheres e minorias”. Com a fusão, o partido vai manter o nome PCdoB. Dados do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT) apontam que o PCdoB possui 2.419 filiados em Mato Grosso, enquanto que o PPL, 539.

O secretário-geral do Podemos em Mato Grosso, Benedito Lucas, também aponta que a cláusula de barreira foi o principal problema enfrentado pelo PHS que motivou a incorporação ao Podemos. “Enquanto o PHS tem seis deputados federais, o Podemos tem 11”. Benedito aponta que o processo de fusão dos partidos ainda está em andamento, e que entre as metas é organizar os diretórios municipais para as eleições de 2020.

Arquivo Pessoal

Marilene Costa, PCdoB

Marilene Costa, PCdoB, vê proximidade ideológica com PPL

A cláusula de barreira, criada em 2017, estabelece que os partidos políticos para terem direito a tempo de propaganda eleitoral em rádio e televisão precisavam ter pelo menos 1,5% dos votos válidos em 2018, distribuídos em, no mínimo, um terço dos Estados, com no mínimo de 1% dos votos válidos em cada Estado, ou ter elegido pelo menos nove deputados.

A cláusula de barreira tem um período de transição progressivo até as eleições de 2030, quando cada partido terá que eleger pelo menos 15 deputados, distribuídos em pelo menos um terço dos Estados.

Em 2018, 14 partidos foram barrados pela cláusula de barreiras, sendo: Rede Sustentabilidade, Patriota, Democracia Cristã (DC), Partido da Causa Operária (PCO), Partido da Mulher Brasileira (PMB), Partido da Mobilização Nacional (PMN), Partido Republicano Progressista (PRP), Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB), Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU), Partido Trabalhista Cristão (PTC), além do PHS, PPL e PCdoB.

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) hoje existem 33 partidos políticos registrados no país. No começo do ano eram 35 partidos. Apesar de a cláusula de barreira ter sido criada para reduzir o número de partidos políticos no país, a ânsia por criar novas siglas ainda é grande no país, onde 73 legendas estão em processo de formação e já iniciaram o processo de fundação.

Outras 75 legendas em formação já comunicaram ter iniciado seu processo. Contudo, para que tais solicitações sejam analisadas pelos ministros da Corte Eleitoral, um caminho longo ainda será percorrido por esses partidos em criação.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • André Luiz | Domingo, 04 de Agosto de 2019, 09h21
    0
    0

    No final de 2018, o PHS se incorporou ao Podemos mas depois não foi aprovada nesse ano.

Deputado bolsonarista critica prefeito

claudinei deputado curtinha 400   O deputado Claudinei Lopes (foto), morador em Rondonópolis, ficou na bronca com o discurso populista do prefeito Zé do Pátio, para quem o povo nordestino votou em massa no PT e que não tem conseguido construir mais casas populares porque, diferente dos governos petistas, o presidente...

Sem Senado e tudo pela Mesa da AL

max russi curtinha 400   Presidente regional do PSB-MT, o deputado Max Russi (foto) tem participado das discussões para definição de candidaturas ao Senado, na suplementar de abril, mas não mais como pré-candidato. Seu desafio é outro. A prioridade é a busca da reeleição como...

Lúdio desiste e PT perde com Barranco

ludio cabral 400 curtinha   O deputado Lúdio Cabral (foto) estava se movimentando para tentar convencer o PT a lançá-lo ao Senado, por aclamação, e ainda instigar o diretório estadual a buscar recursos junto à Nacional para a campanha. Mas o tiro saiu pela culatra. O guru do partido no Estado,...

Carta de Abicalil cita traição de Lúdio

carlos abicalil 400 curtinha   Carlos Abicalil (foto), ex-federal e hoje assessor do deputado Valdir Barranco, demonstra até hoje estar "atravessado" com Lúdio Cabral por causa da traição política de 2010. Na época, mesmo o PT o tendo lançado ao Senado, Lúdio, ex-vereador por Cuiabá e...

Júlio apoiou Bolsonaro pra varrer o PT

julio campos 400 curtinha   Júlio Campos (foto), pré-candidato a senador pelo DEM, diz que em 2018 não só votou em Bolsonaro, como participou de carreata e vestiu camisa com as cores verde e amarela em apoio à candidatura do capitão. Lembra que estava convicto naquele momento de que era preciso varrer o PT...

Já com apoio de mais de 50 prefeitos

otaviano pivetta 400 curtinha   Otaviano Pivetta (foto) não para nas articulações políticas. E, se apoio elevado de prefeitos vier a ser decisivo, ele será eleito senador na suplementar de 26 de abril. Dos 141 gestores municipais do Estado, mais de 50 já anunciaram que estarão no palanque do...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Na sua opinião, como está indo o Governo Bolsonaro...

excelente

bom

razoável

ruim

péssimo

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.