Polícia

Segunda-Feira, 15 de Abril de 2019, 08h:18 | Atualizado: 15/04/2019, 09h:18

CUIABÁ

GCCO prende 6 por incêndio criminoso em agência do banco Bradesco do CPA II

Inc�ndio Bradesco

Chamas na agência do Bradesco, da avenida Brasil no CPA II, alvo de um incêndio criminoso

A Polícia Civil cumpriu seis mandados de prisão temporária na manhã desta segunda (15), em investigações do inquérito policial que apura incêndio em uma agência bancária de Cuiabá. Também foram realizadas buscas nas casas dos alvos, em Cuiabá e Várzea Grande. Uma sétima pessoa ainda é procurada.

A operação "Falsa Chama" é originária de investigação da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), e conta com apoio de policiais da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Várzea Grande (Derf-VG).

As investigações são referentes a fatos ocorridos no dia 4 de novembro de 2018, quando a agência do Banco Bradesco, localizada no Avenida Brasil do CPA II, foi alvo de incêndio criminoso, com severos danos materiais, além da suspensão das atividades bancárias, prejudicando inúmeros clientes e usuários dos serviços bancários.

As diligências investigativas demonstraram que na realidade, o incêndio seria o meio para que os criminosos conseguissem auferir vantagem indevida, pois diversos envelopes vazios foram depositados para beneficiários que possuem vínculos entre si. A vantagem, se fosse obtida pelos criminosos chegaria ao valor de R$ 53 mil.

Os suspeitos responderão por incêndio majorado, associação criminosa e tentativa de estelionato. Com o cumprimento das ordens judiciais, os investigados serão interrogados e apresentados à custódia. Os mandados são da 8ª Vara Criminal de Cuiabá. Os nomes dos presos não foram divulgados. (Com Assessoria)

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Matéria(s) relacionada(s):

AGEM entra no facão e é 2ª extinta

A Agência de Desenvolvimento Metropolitano da Região do Vale do Rio Cuiabá (AGEM), que teve como última presidente Tânia Mattos, foi extinta pelo Governo Mauro Mendes. A princípio, o MT-Par assumiria as atividades sistêmicas, os cargos, o patrimônio e as funções, mas isso se tornou inviável por questões jurídicas. Mauro então decidiu que todo o escopo da extinta agência permanecerá sob a...

Foto de Bolsonaro na urna e o arquivo

milene curtinha juiza 190   A juíza da 10ª Zona Eleitoral de Rondonópolis, Milene Aparecida Pereira Beltramini (foto), julgou um caso inusitado na última quarta, dia 15. Foi instaurado inquérito para apurar eventual crime de violação do sigilo do voto de Gerlei Batista de Jesus, que, durante o...

Solenidade da posse foi superfaturada

justino malheiros curtinha   O conselheiro do TCE-MT Luiz Henrique Lima determinou que o presidente da Câmara de Cuiabá, Misael Galvão, suspenda pagamento de R$ 19,9 mil à empresa Capriata de Souza Lima, contratada no ano passado pelo então presidente Justino Malheiros (foto) para organizar a...

Governo vai enterrar de vez o VLT

O VLT vai mesmo morrer sem nunca ter nascido. O Palácio Paiaguás decidiu que não retoma as obras, pois teria que investir mais R$ 1 bilhão, mesmo valor já consumido no projeto, e a manutenção anual chegaria a R$ 50 milhões. Além da problemática financeira de um governo que reclama falta de recursos para investimentos, ainda existe confusão jurídica, um nó muito dificil de desatar. Há três...

Apelo à consciência para evitar greve

mauro mendes curtinha   O governador Mauro Mendes tem grande enfrentamento pela frente, que é o provável indicativo de greve puxado pelo Sintep, categoria que congrega os profissionais da Educação. A categoria apresenta uma extensa lista de reivindicações e a primeira delas é por reajuste salarial e...

Vereador já "colhe" rede de inimizades

abilio 190   Devido à maneira inconsequente como conduz o mandato, gravando conversas e reuniões, invadindo salas, além de manipular dados, dissimular e provocar discussões e brigas, Abílio Júnior (foto) conseguiu, em pouco tempo, ampliar a rede de inimizades em todos os núcleos por onde passa...

ENQUETE

Tramita na Câmara Federal o projeto 832/2019, do deputado José Medeiros, requentando uma proposta de 2007 do então deputado Jair Bolsonaro, propondo extinguir o Exame da Ordem como exigência para inscrição na OAB e, assim, poder exercer a profissão. O que você acha disso?

Concordo - esse Exame tem de acabar

Discordo - bacharel precisa, sim, se submeter ao Exame

Sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.