Polícia

Quinta-Feira, 06 de Junho de 2019, 17h:54 | Atualizado: 06/06/2019, 18h:01

INVESTIGAÇÃO DA MANTUS

Delegado diz que Frederico tinha superior em Goiás e Arcanjo tinha ligação com o RJ

Mikhail Favalessa

Fl�vio Stringueta

Flávio Stringueta conversa com imprensa, logo após o fim dos depoimentos de investigados

O delegado Flávio Stringueta, da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), afirmou, na tarde desta quinta (6), que o empresário Frederico Müller Coutinho, acusado de ser um dos líderes de um esquema de jogo do bicho e lavagem de dinheiro no Estado, tem um superior em Goiás.

Frederico foi preso na semana passada, durante a Operação Mantus, que apura crimes ligados ao jogo do bicho em Mato Grosso. Ele é acusado de liderar a empresa Ello, que atuava no ramo do jogo do bicho. Diversos membros do grupo dele foram presos durante a operação, deflagrada pela GCCO e pela Delegacia Fazendária (Defaz).

De acordo com Stringueta, as investigações apontaram que Frederico, que dizia atuar em ramos como seguros, imóveis e fomento mercantil, não era a principal liderança da Ello. “Acima do Frederico havia alguém, sim. A gente tem essa certeza. Ele trabalhava para alguém, essa é a nossa linha de investigação. Seria outro bicheiro, fora de Mato Grosso”, declarou Stringueta, sem mencionar nomes. O delegado revelou apenas que trata-se de uma pessoa que vive em Goiás.

Stringueta relatou que a Polícia Civil tem apurado os crimes também cometidos em outras regiões, por estarem ligados aos praticados em Mato Grosso. “Mas é complicado trabalhar com a polícia de outro estado, em que lá mesmo eles não combatem o jogo do bicho. Então é melhor trabalharmos por nós mesmo”.

Conforme as investigações, a Ello atuava somente em Mato Grosso. Porém, os sorteios dos jogos eram feitos em Goiás, em virtude da relação entre Frederico e o suposto líder do esquema.

Veja trecho da entrevista de Flávio Stringueta:

Segundo as apurações, Frederico, assim como o rival João Arcanjo Ribeiro – também preso na Mantus –, fazia lavagem de dinheiro para tentar demonstrar legalidade ao dinheiro obtido por meio da contravenção penal. “A lavagem de dinheiro é o principal crime cometido por quem é bicheiro, porque compram algo sem ocupação lícita. Então, o dinheiro passa por algo aparentemente lícito para que depois se transforme em patrimônio”, declarou Stringueta.

Durante depoimento à polícia, na tarde de quarta (5), Frederico permaneceu em silêncio. Ele não comentou sobre os supostos crimes. Já outros presos, relacionados à Ello, confessaram a prática do crime e apontaram o empresário como líder do grupo.

Arcanjo tinha ligação com o RJ

As investigações da Polícia Civil mostraram que Arcanjo, proprietário da Colibri, também tinha relação com outro Estado. Segundo Stringueta, a ligação do bicheiro seria com pessoas do Rio de Janeiro. “Ele é a principal liderança da Colibri, mas é como se fosse uma ramificação dela em outro local”.

Na tarde desta quinta, Arcanjo prestou depoimento na GCCO. Ele negou ter retomado as atividades no jogo do bicho. O ex-comendador disse que os R$ 200 mil encontrados na sua residência, durante a Mantus, havia sido declarado. A Polícia Civil, porém, informou que a defesa dele não apresentou nenhum documento que comprove a legalidade do montante.

Além de Arcanjo, outros dois investigados foram ouvidos hoje, na GCCO: Laender dos Santos Andrade e Rosalvo Ramos de Oliveira, ligados ao grupo de Muller e que confessaram participação no crime. "Como eram pessoas sem uma posição de destaque na organização criminosa, eles falaram de forma restrita, apenas o que lhe foram perguntados", disse Stringueta.

O genro de Arcanjo, Giovanni Zem, apontado como sócio de Arcanjo na Colibri, prestou depoimento na terça (4) e permaneceu em silêncio.

O inquérito sobre o caso deve ser concluído até esta sexta (7). Apesar disso, as apurações sobre os dois grupos deverão continuar sendo feitas pela Defaz e a GCCO.

Veja o momento em que Arcanjo deixa a sede da GCCO e volta para a prisão:

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Aderval | Sexta-Feira, 07 de Junho de 2019, 04h20
    0
    1

    Há evidências que jogo do bicho trabalha em rede, conforme apurou na década de 80, a polícia do RJ. Mas se todos os Estados combatessem, o "sistema de sanfona" que prevalece nessa rede poderia ser destruído. Mas é o tal negócio, combate aqui, mas ali a omissão, a indiferença e a corrupção predominam. Esse é o meu Brasil

Matéria(s) relacionada(s):

Prefeito estoura limite e TCE faz vetos

francis maris 400 curtinha   No sétimo e penúltimo ano de mandato, o prefeito cacerense Francis Maris (foto) segue na mesma toada, de que a administração precisa continuar "enxugando" a máquina, embora já tenha conseguido o equilíbrio fiscal e que quem o suceder receberá uma gestão...

Vice muda de partido e vai a prefeito

leandro felix 400 curtinha   O vice-prefeito de Nova Mutum e primeiro-suplente de deputado estadual, Leandro Félix (foto), pretende deixar o DC. Deve se filiar no Podemos ou no PRB. Vai depender da orientação política dos irmãos Adriano (Podemos) e Otaviano Pivetta (PDT), respectivamente, prefeito de Mutum e...

Câmara só regulamenta salário de EP

misael partido 400 curtinha   Ao fixar o salário do prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro em R$ 27 mil, a Câmara de Cuiabá, sob Misael Galvão (foto) não aumenta o subsídio de Emanuel de imediato, mas sim regulamenta o valor que já era pago desde dezembro de 2018. O imbróglio começou...

R$ 71 mi já estão reservados para 13º

rogerio gallo 400 curtinha   Após os primeiros meses de "choradeira", pintando cenário do caos financeiro e administrativo, o governo estadual consegue, pela primeira vez neste 2019, fechar o mês com recurso provisionado para pagar o 13º dos cerca de 100 mil servidores. O secretário de Fazenda, Rogerio Gallo (foto),...

Jackson, enfim, nomeado ao TRE-MT

jackson 400 curtinha tre   O presidente Bolsonaro, enfim, escolheu, de uma lista tríplice, quem passa a compor o Pleno do TRE-MT no cargo de juiz titular, na categoria jurista, para dois mandatos de mandato. Trata-se de Jackson Francisco Coutinho (foto), que desde o ano passado já atua como juiz-membro substituto no Tribunal. Nos...

Com mais de 60 prefeitos e esposas

mauro mendes virginia 400   Acompanhado do governador e esposo Mauro, a primeira-dama Virginia Mendes recebeu para um jantar no Palácio Paiaguás, na segunda, mais de 60 primeiras-damas, além de prefeitos e outras autoridades. O governador, que promoveu o encontro, aproveitou para expor números, ações e...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Como você avalia a decisão do Supremo de suspender prisão imediata após julgamento em segunda instância?

Concordo

Discordo

Tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.