População quintuplicou em 40 anos; número de indústrias cresceu 490%


Reportagem Especial

José Medeiros

Cuiabá-rio

A população cresceu 5 vezes dos últimos anos e hoje a economia é mais forte

A Cuiabá que completa hoje (8) 295 anos é bem diferente que existia há 40 anos. O último censo realizado pelo IBGE, em 2010, mostra que a população cuiabana ficou cinco vezes maior do que era em 1970. Naquele ano, o total era de 100.860 pessoas e, de acordo com os últimos dados aferidos, atualmente Cuiabá tem 551.098 (446,39%), grande parte vinda de outros Estados. Elas estão alocadas, predominantemente, na área urbana e são, em sua maioria, mulheres, conforme o Instituto.

Em 10 anos, se comparadas as coleta de informações de 2000 com a de 2010, o total de habitantes da Capital aumentou 67 mil pessoas. Ocupando uma área de 3.495,424 km², os homens são pouco mais de 269 mil, enquanto as mulheres quase ultrapassam a marca de 281 mil, ou seja, 4,5% a mais que os homens. Do total de 551 mil habitantes, 479.720 são alfabetizados. No ano de 2000, 6.814 pessoas viviam na zona rural e, em 2010, esta parcela da população já somatizava 10.284.

numeros_cuiaba

 IBGE revela que existem mais mulheres na Capital de MT

Os seguidores da religião católica são mais da metade da população: 323.410. Os evangélicos ocupam a segunda posição na lista, com 145.292 pessoas. Já aqueles que seguem da doutrina espírita são 17.480. O Índice de Desenvolvimento Urbano (IDH), que considera indicadores de longevidade (saúde), renda e educação e que foi verificado no último ano que em que o censo foi realizado, era de 0,785 e coloca Cuiabá na 11ª posição no ranking das 27 capitais brasileiras.

Segundo a última pesquisa sobre o Produto Interno Bruto dos Municípios do IBGE, feita em 2011, a Capital representou 17,4%, isto é, R$ 12,4 bilhões do PIB total do Estado. A soma das riquezas produzidas em Mato Grosso foi de R$ 71,4 bilhões naquele ano. Assim, esse valor per capita é de de 22,3 mil.

Economia 

A economia cuiabana, de acordo com levantamentos feitos pela Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (FIEMT), Ministério do Trabalho e Emprego e Registro Anual de Informação Social (RAIS), deu um salto significativo entre os anos de 1985 e 2012. Uma das principais fontes de recursos, as indústrias, na década de 80, eram apenas 419. Quase 30 anos depois, o total já alcança a marca de 2.487, num crescimento de (493%). Somente na área da construção civil, em 2012, eram 1.327 indústrias. Elas empregavam 21.124 trabalhadores. Outras que despontam são as metalúrgicas, de madeira e mobiliário, papel e gráfica e de alimentos e bebidas.

Se forem somados os demais setores que movimentam a economia municipal, entre eles, o comércio varejista e atacadista, as instituições financeiras, médico, odontológico e veterinário, expressividade é ainda maior. Em 1985, o número total era de 3.005 empresas e indústrias. Já em 2012, foram contabilizadas mais de 15.500, num aumento de 418%. Somente em 2012, estavam empregadas (conforme a tabela), 242.460 pessoas.

O secretário municipal de Trabalho e Desenvolvimento Econômico, Elias Alves de Andrade, aponta os incentivos fiscais de isenção como um dos responsáveis pelo aumento gradativo no número de empresas nos últimos anos. “Trabalhamos com o Programa Pró-Cuiabá, que dá incentivos fiscais de isenção por 10 anos e até 70% do ISSQN, além de taxas e emolumentos (obrigações) para empresas que queiram se instalar com Cuiabá. É bom esclarecer que as beneficiadas por esses incentivos têm obrigações a cumprir, como introduzir novas tecnologias no exercício de suas funções e disponibilizar vagas de emprego”, explica.

Andrade ainda sustenta que a Copa do Mundo fez com que grandes empresas voltassem os olhos para a Capital. “Tem havido um forte crescimento da demanda de instalação de empresas de todos os segmentos. Mais recentemente, vieram a Votorantin, a Havan e o Açaí, por exemplo”, ressalta.

Breunig destaca aprovação de contas

adriano breunig curtinha 400   O professor Adriano Breunig (foto), ex-adjunto e ex-secretário de Estado de Ciência e Tecnologia no Governo Silval e hoje diretor de Políticas de Desenvolvimento Institucional do IFMT, contesta o registro em Curtinha, apontando-o como candidato reserva e "vulnerável" à...

Borgato não sairá mais de secretaria

nilton borgato 400 curtinha   Nilton Borgato (foto), ex-prefeito de Glória D'Oeste e filiado ao PSD, não sairá mais do comando da secretaria estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação. Dias atrás, ele chegou a ser avisado pelo governador que seria substituído e que iria para o Escritório...

Dorner vai tentar prefeitura de novo

roberto dorner 400 curtinha   Em Sinop, o empresário e ex-deputado federal por alguns meses Roberto Dorner (foto), que deixou o PSD e aderiu ao Republicanos, está disposto a encarar de novo a disputa a prefeito. Em 2016, ele perdeu para Rosana Martinelli (PR) por uma diferença de 3.388 votos. É possível que ambos...

Um líder sob insatisfação dos colegas

dilmar dal bosco curtinha 400   O líder do governo na Assembleia, Dilmar Dal Bosco (foto), tem enfrentado crítica velada e insatisfação dos colegas, principalmente dos deputados da base. Reclamam que o interlocutor do governador Mauro não move uma palha em defesa da liberação das emendas e, nas...

Jogada do prefeito Francis em Cáceres

paulo donizete 400 curtinha caceres   A sete meses de concluir o mandato, o prefeito cacerense Francis Maris (PSDB) lançou uma jogada estratégica para ver se "cola". Apoia publicamente para prefeito o seu diretor da autarquia Águas do Pantanal, Paulo Donizete (foto), do mesmo partido, inclusive participou da reunião...

Luta por mais leitos de UTI em Sinop

rosana martinelli 400 curtinha   A prefeita de Sinop, cidade pólo do Nortão, Rosana Martinelli (PR), demonstra preocupação com os poucos leitos de UTI do Hospital Regional no município. A unidade atende moradores de mais de 30 municípios da região e só dispõe de 10. Rosana diz esperar...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você conhece alguém próximo que foi infectado pelo coronavírus?

sim

não

em dúvida

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.