Confresa é uma das cidades mais violentas do país; Colniza sai da lista

.

novo cangaço-violencia

Sesp aponta que Cuiabá lidera o ranking estadual de violência no Estado de MT

As quatro regiões mais violentas de Mato Grosso são Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis e Sinop. É o que revela o último levantamento do governo estadual em relação às três principais taxas de criminalidades, que são roubo, furto e homicídio. As estatísticas foram registradas nos anos de 2010, 2011 e 2012. Já Confresa (1.149 km da Capital) ganhou destaque nacional, no ranking das cidades mais violentas do país – conforme lista divulgada pelo Mapa da Violência, estudo do governo federal.

Quanto ao levantamento das regiões do estado mais violentas, o resultado já era esperado, pois são as três regiões mais populosas de Mato Grosso.

Nos três requisitos analisados Cuiabá aparece em 1º lugar, com 37.593 casos de furto, 17.547 registros de roubo e 643 homicídios, ao somarmos os registros dos 3 anos (ver detalhamento no quadro abaixo da matéria).

.

guarda e amarelinhos

VG e de Cuiabá investem na Guarda Municipal e Amarelinhos para ajudar na segurança das cidades, em eventos e nas ruas. Também firmam parcerias

Recentemente, em visita ao grupo RDNews, o secretário municipal de Apoio à Segurança Pública, tenente coronel Eduardo Henrique de Souza, atribuiu o alto índice de violência em Cuiabá como consequência do tráfico de drogas. Ele observou que o tráfico na Capital é intensificado por conta da proximidade com a fronteira da Bolívia. Antigamente, a cidade era apenas corredor para o tráfico, mas nos últimos anos grande parte das drogas tem ficado em Cuiabá.

No quesito roubo e assassinato, Várzea Grande aparece em segundo lugar no ranking com 10.807 e 447 registros, respectivamente, Rondonópolis aparece em terceiro lugar com 3.396 roubos e 366 mortes. Já Sinop em terceiro com 3.077 e 315 assassinatos. Apenas no quesito furto que Sinop lidera os índices com 16.323, perdendo apenas para Cuiabá. Rondonópolis vem em terceiro com 12.727 e Várzea Grande em quarto com 11.390 no período analisado (2010, 2011 e 2012).

O levantamento do Governo abrange 14 regiões sendo elas Cuiabá, Várzea Grande, Água Boa, Alta Floresta, Alto Araguaia, Barra do Garças, Cáceres, Diamantino, Juína, Pontes e Lacerda, Porto Alegre do Norte, Rondonópolis, Sinop e Tangará da Serra - veja levantamento completo aqui. Em relação a 2013, não há um levantamento por regiões, mas o governo informou que foram registrados 20.322 roubos, 46.930 furtos, 969 homicídios e 40 latrocínios.

Embora a segurança Pública seja de responsabilidade do Estado e na fronteira, da União, a situação caótica fez com que as prefeituras resolvessem entrar na briga contra a violência e tentam firmar parcerias para auxiliar essas esferas de Governo à combater a criminalidade.

Pelo menos quatro municípios criaram uma secretaria e/ou gabinete só para cuidar do assunto sendo eles: Nova Mutum, sob Adriano Pivetta (PDT), Rondonópolis, sob Percival Muniz (PPS), Cuiabá sob Mauro Mendes (PSB) e Primavera do Leste, sob Érico Piana (DEM). Já Várzea Grande, sob Walace Guimarães (PMDB), em vez de secretaria, investe no reaparelhamento da guarda municipal.

Confresa

O mesmo Mapa da Violência do Governo Federal que mostrava Colniza (1.114 km de Cuiabá), em 2007, como a cidade mais violenta do Brasil, agora, o último levantamento, publicado no final do ano passado, faz referência a Confresa. Esta aparece entre as 100 cidades mais violenta do país – levando-se em consideração o número de homicídios.

Confresa é o único município mato-grossense que aparece na lista mais recente das cidades mais violentas do país, ocupando a 45º lugar. A pesquisa levou em consideração as ocorrências registradas nos anos de 2009, 2010 e 2011.

Com 25.684 habitantes, lá foi registrado 37 homicídios neste período de três anos. Segundo o estudo, o índice de assassinatos na cidade é de 77,9 por 1 mil habitantes.

.

gaspar_lazari

Prefeito de Confresa, Gaspar Domingos Lazari

O prefeito de Confresa, Gaspar Domingos Lazari (PSD), questiona os números da pesquisa e garante que eles não refletem a atual realidade. Ele garante que os índices têm diminuído e que no ano passado só ocorreram dois assassinatos em uma fazenda. “A cidade é tranquila! Esses foram casos isolados”, argumenta.

A economia de Confresa é composta de atividade agrícola de subsistência e também pela pecuária. Por conta da chegada de um frigorífico e do crescimento das atividades do agronegócio, a cidade recebeu nos últimos anos forte movimento imigratório. Segundo o prefeito, vem crescendo 10% ao ano e tem hoje mais de 700 residências em construção.

Colniza, por sua vez, é um exemplo de sucesso, pois conseguiu superar o estigma da cidade mais violenta do país e até mesmo sair da lista das 100 cidades mais perigosas do Brasil. Hoje sob a administração de Assis Raupp (PMDB), a cidade já não sofre tanto com violência urbana e rural.

 Em 2007, havia muita disputa de terra no município e consequente assassinatos de índios e posseiros, mas o prefeito acredita que a presença do Estado com o envio de policiais e da Justiça com a construção do Fórum e da promotoria levou a diminuição dos índices. 

 

Ele reforça que a prefeitura não ficou alheia neste processo e investiu no diálogo com a população, sindicatos e associações rurais. Ele observa que ainda há problema de regularização fundiária na região, onde apenas 20% tem o título da terra, mas os produtores e prefeitura estão buscando solucionar a questão.

 

Sexto suplente na Câmara por um mês

aluizio leite 400 curtinha   Aluízio Leite (foto), filiado histórico do PV, tomou posse como vereador pela Capital na último dia 2. Mas vai ficar na cadeira por somente 31 dias, até o retorno do titular, delegado Marcos Veloso, que se afastou para cuidar de assuntos pessoais e hoje se encontra hospitalizado com...

No TCE pra tentar receber da prefeitura

flavia mesquita 400 curtinha   Flávia Mesquita (foto), da Luppa Administração de Serviços, pediu socorro ao TCE para tentar receber por serviços prestados à secretaria de Saúde de Cuiabá, alegando que o município está inadimplente há oito meses. E apontou quebra da ordem...

Pai e filho pré-candidatos em Poconé

henrique santos 400 curtinha pocone   Em Poconé, pai e filho estão animados para o teste das urnas deste ano. Um a prefeito e, outro, para vereador. Euclides Santos, que já foi vereador (89/92) e prefeito por duas vezes (93/96 e 2001/2004), além de secretário de Infraestrutura e Serviços Urbanos em...

Expectativa de tocar a Cultura de MT

paulo traven 400 curtinha   Um dos três adjuntos da pasta de Cultura, Esporte e Lazer do Estado, José Paulo da Mota Traven (foto) vem se articulando para assumir de forma efetiva o comando da secretaria. Ele conta com apoio de alguns membros do staff, como do secretário de Governo, Alberto (Beto) Machado. O governador...

Poconé tem hoje vários "prefeitáveis"

euclides santos 400 curtinha   O ex-vereador e ex-prefeito de dois mandatos de Poconé, Euclides Santos (foto), que era do MDB e agora está no PSDB, vem se movimentando nos bastidores para concorrer novamente à sucessão municipal. Seria um dos nomes de oposição ao prefeito Tatá Amaral, que vai tentar...

Apostas do PTB para vereador em VG

silvio fidelis 400 curtinha   Detentor da segunda maior bancada na Câmara de Várzea Grande, com cinco assentos, atrás somente do DEM da prefeita Lucimar, que conta com sete vereadores, o PTB aposta na hipótese de ao menos manter as cinco vagas. E todos os seus vereadores vão à reeleição, sendo...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Em Cuiabá, o prefeito suspendeu a decisão de implantar rodízio de veículos entre placas pares e ímpares devido à Covid-19. Mas quer debater a ideia. Você concorda com rodízio?

concordo

discordo

tanto faz

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.