Últimas

Terça-Feira, 02 de Outubro de 2007, 07h:25 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:16

CONVENÇÃO DO PR

50% dos deputados se mantêm pré-candidatos

   Nada menos que 12 (50%) dos 24 deputados estaduais mato-grossenses estão em pré-campanha para prefeito, entre eles Adalto de Freitas, o Daltinho (PMDB). Empresário, Daltinho "levou" uma surra nas urnas em 2004 do comunista Zózimo Chaparral. Como o atual prefeito de Barra do Garças "está mal das pernas", Daltinho resolveu partir para o enfrentamento. O parlamentar deve ter também como adversário o ex-prefeito Wanderlei Farias (PR).

    Pela primeira vez dos últimos 10 anos, um período pré-eleitoral registra tantos deputados estaduais dispostos a concorrer a eleição para prefeito em cidades-pólos. Um dos principais motivadores é que eles nada têm a perder. Não precisam renunciar ao mandato e, se forem derrotados, continuarão com a vaga garantida na Assembléia. Alguns já foram derrotados no ano passado.

   Os deputados Wallace Guimarães (DEM) e Maksuês Leite (PP), por exemplo, perderam em 2004 em Várzea Grande. Três parlamentares estão de olho na Prefeitura de Cuiabá: Walter Rabello (PMDB), Sérgio Ricardo (PPS) e Guilherme Maluf , que trocou o PSDB pelo PMDB. Secretário de Saúde da Capital, Maluf, aliás, se contenta com uma candidatura a vice.

     A disputa em Sinop, cidade-pólo do Nortão, caminha para o confronto entre dois deputados: Dilceu Dal Bosco (PFL) e Juarez Costa (PMDB). Em Rondonópolis, o deputado Zé do Pátio (PMDB) estará de volta. No último pleito, ele ficou em terceiro lugar, mas com uma pequena diferença de votos entre o segundo (Wellington Fagundes) e o eleito (Adilton Sachetti). Percival Muniz, que foi prefeito por dois mandatos, também ensaia candidatura em Rondonópolis.

   Em Sorriso, José Domingos (DEM) é motivado a entrar na corrida sucessória de novo. Ele já comandou o município por três mandatos. O petista Ademir Brunetto deve concorrer à sucessão em Alta Floresta.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Renato Pereira | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Acho uma vergonha, foram eleitos para cumprir seus mandatos e não para ficarem gastando dinheiro e fazendo campanha de dois em dois anos, no meu ponto de vista tem que cumprir o mandato para depois pleitear outro.

  • Antonio Cavalcante Filho | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    O político profissional carreirista é um psicótico, um ser viciado no jogo da loteria eleitoral. Ele não consegue viver sem candidaturas. Ele tem que estar sempre jogando uma partidinha, isto é: Ele sente uma necessidade incontrolável de se candidatar a qualquer cargo, seja a vereador, a prefeito, a deputado, a senado, a governador ou a presidente da republica. Se perder, não tem problema, ele tenta uma secretaria, um ministério ou qualquer outra coisa. O importante é concorrer e ficar sempre por cima.

    Nessa jogatina o candidato viciado nunca perde. Na loteria eleitoral todos jogam, tanto os candidatos quanto os eleitores. O grande problema é que quem paga a conta e perde sempre é o povo.

Euclides "torra" R$ 8 mi na campanha

euclides ribeiro 400 curtinha   O advogado milionário Euclides Ribeiro (foto), que tem na carteira de clientes grandes produtores rurais, registra R$ 8,2 milhões de receitas e despesas de campanha ao Senado. Concorrendo pelo Avante, Euclides só chegou a 58.455 votos. Ficou em nono lugar, à frente apenas de Reinaldo...

Fávaro é quem mais gastou ao Senado

carlos favaro 400 curtinha   O senador reeleito Carlos Fávaro (foto) foi o que mais gastou na campanha. Oficialmente, arrecadou R$ 11,7 milhões. As maiores contribuições financeiras vieram de empresários do agronegócio. Orcival Guimarães, dono de rede de empresas de implementos agrícolas, doou...

Beto deve repensar projeto a federal

beto farias 400 curtinha   A derrota nas urnas do seu afilhado político, vice-prefeito Wellington Marcos (DEM), que tentou o Executivo de Barra do Garças e ficou em segundo lugar, obtendo somente metade dos votos em relação aos atribuídos ao eleito Adilson Gonçalves, pode levar o prefeito Beto Farias (foto)...

Erros estratégicos e fim de mandato

niuan ribeiro 400   Niuan Ribeiro (foto) termina melancolicamente o mandato de vice-prefeito da Capital, marcado pela ambiguidade, erros estratégicos e vacilações. Logo no início da gestão, resolveu romper politicamente com o prefeito Emanuel, a quem passou a criticar, achando que se consolidaria como...

Retorno ao TCE ou cargo no governo

marcelo bussiki 400 curtinha   A partir de 1º de janeiro, com o fim do mandato de vereador pela Capital, Marcelo Bussiki (foto) retorna ao cargo efetivo de auditor do TCE-MT. Mas é possível que ele seja convidado por Mauro Mendes para compor o quadro de principais assessores do chefe do Executivo estadual. Bussiki foi...

DEM, bate-cabeça e plano B frustrado

fabinho garcia 400 curtinha   O ex-deputado federal e empresário Fábio Garcia (foto) acabou deixando o DEM órfão de candidatura a prefeito da Capital. Numa conversa com o governador Mauro, seu padrinho político, Fabinho o assegurou que iria sim disputar o Palácio Alencastro, mesmo pedindo trégua por...