Últimas

Domingo, 05 de Abril de 2009, 07h:56 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:22

FAMILIOCRACIA

6 políticos fracassam na tentativa de eleger familiares

Fernando Ordakowski clique na imagem para ampliá-la
Jayme assistiu a derrota de 2 irmãos, Fagundes não emplacou o filho de vice-prefeito e Thelma vê o sobrinho perder de novo Seis políticos que tentaram eleger familiares ou parentes no ano passado fracassaram com a resposta das urnas. Por outro lado, 11 conseguiram mais um passo para perpetuação no poder dentro da chamada familiocracia. Um dos que mais sentiram a derrota foi o senador Jayme Campos. Os seus irmãos Júlio, em Várzea Grande, e Dito Paulo, em Jangada, perderam na disputa a prefeito. Dito, aliás, buscava a reeleição. Para piorar, a irmã e então vereadora por Cuiabá, Márcia Campos, desistiu da reeleição de última hora. Todos os quatro Campos são do DEM.

  Em Rondonópolis, o deputado federal Wellington Fagundes (PR), que perdeu duas vezes para prefeito (2000 e 2004), não conseguiu êxito com o filho João Antonio, derrotado a vice-prefeito na chapa pura encabeçada por Adilton Sachetti. A também deputada Thelma de Oliveira (PSDB) não teve força política suficiente para eleger vereador em Cuiabá o sobrinho Leonardo de Oliveira. A deputada estadual Chica Nunes (PSDB) não garantiu cadeira de vereador ao sobrinho Tiago Nunes na Capital, mas contribuiu com a vitória do marido Marcelo Ribeiro (PP) a prefeito de Barão de Melgaço. O problema é que Marcelo foi cassado por compra de votos. É a mesma situação dos irmãos Henry em Cáceres. O deputado federal Pedro Henry até se licenciou da Câmara Federal para assegurar a vitória do irmão Ricardo, que acabou cassado por crimes eleitorais.

  Em Diamantino, o empresário Amarildo Monteiro (PTN) exagerou. Concorreu a prefeito com a esposa Sandra Castro Monteiro de vice da chapa. O casal "morreu abraçado" nas urnas. O vereador cuiabano Lúdio Cabral (PT) fez campanha também para vereador do irmão Frank Mendes Cabral em Cáceres, que foi derrotado. O ex-prefeito e deputado estadual Percival Muniz (PPS) também fez barulho com o nome do sobrinho Tiago Muniz para vereador em Rondonópolis, mas os eleitores disseram "não".

   Vitoriosos

   Em Chapada dos Guimarães, o secretário estadual de Ciência e Tecnologia e ex-deputado Chico Daltro (PP) tem agora o irmão Flávio Daltro como prefeito. O vice Elias Santos (PMDB) é irmão do prefeito da Capital Wilson Santos (PSDB). O cacique político do Araguaia, Wanderlei Farias (PR) não só voltou ao comando da prefeitura, como ajudou na eleição do sobrinho Leonardo Farias, prefeito de Novo São Joaquim, e do primo Walter Farias (PR), que passou a comandar Canarana. Numa situação inusitada, o governador Blairo Maggi (PR) assistiu a reeleição do primo-prefeito César Maggi, em Sapezal, inclusive sem adversário.

  O ex-prefeito de dois mandatos de Alto Araguaia, Maia Neto (PR), elegeu à vereadora a sobrinha Sylvia Maia Santos (PTB). O ex-governador Rogério Salles (PSDB) tem agora a mulher Marília Salles no cargo de vice-prefeita de Rondonópolis. O ex-vereador por Lucas do Rio Verde e ex-deputado federal Neri Geller (PSDB) conseguiu eleger o irmão Milton Geller para prefeito de Tapurah. O ex-prefeito de Santo Antonio do Leverger, Eduardo Belmiro, o professor Edu (PSDB), possui hoje três membros da família na Câmara Municipal: o filho Wagner Belmiro da Silva (então suplente e agora vereador) e os sobrinhos tucanos Flankin Belmiro e Edson Batista. O deputado estadual José Domingos (DEM) consegue eleger o irmão Neurilan Fraga (PR) prefeito de Nortelândia.

Postar um novo comentário

Comentários (13)

  • REMIDIO | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0


    A compra de caminhões e maquinários feita pela Prefeitura de Sinop, no mês de março, está sob suspeita e o Ministério Público Estadual (MPE) poderá investigar o processo licitatório. A promotora Laís Glauce dos Santos recebeu um pedido de investigação feita pelo agricultor e jornalista Clayton Arantes. De acordo com as informações repassadas ao MPE, os preços dos caminhões podem estar bem acima do praticado no mercado. No entanto, o secretário de Finanças e Orçamento, Silvano Amaral, argumenta informando que o processo foi lícito e houve forte disputa por duas empresas.

    O jornalista baseia sua suspeita, nas vendas feita pela mesma empresa, em um intervalo de 30 dias, para duas prefeituras. Em Sinop, a Mônaco Diesel Caminhões e Ônibus foi a vencedora do processo de seleção e para vender 11 caminhões Wolkswagem, modelo 24.220, de 218 cavalos de potência, com caçamba basculante, por R$ 238 mil cada. A forma de pagamento é uma entrada, mais 11 parcelas mensais.

    O Pregão Presencial para escolha da fornecedora dos implementos para Sinop foi realizado em 16 de fevereiro e homologado no dia 23 do mesmo mês.

    Em Feliz Natal, que fica a 130 quilômetros de Sinop, a empresa também venceu a licitação para vender caminhões para o município. No Pregão realizado em 23 de março, a Mônaco Diesel disse que por R$ 354 mil entregaria dois caminhões Wolkswagem, modelo 24.250, com 250 cavalos de potência, com caçamba basculante. O preço unitário no município vizinho foi de R$ 177 mil, com pagamento dividido em duas vezes: entrada e mais uma parcela para 30 dias.

    Os questionamentos de Clayton são de que para Feliz Natal, o caminhão é 32 cavalos mais potente, com R$ 61 mil mais barato por unidade. Argumenta o jornalista para a promotora que, baseado nas duas vendas feitas pela empresa, a diferença a mais que Sinop pagará, chegará a R$ 671 mil. Os caminhões ainda não foram entregues nos dois municípios.

    SILVANO RECHAÇA
    O secretário, que também participou da comissão de licitação, afirmou que o processo foi o mais transparente possível. “O instrumento mais transparente para fazer compras na administração pública é o Pregão Presencial. As empresas vêm aqui e disputam entre si, lance a lance, para ver quem pode entregar o produto pelo menor preço”.

    Analisando o processo, constata-se que a empresa vencedora começou com lance inicial de R$ 258,5 mil, enquanto a Extra Caminhões, revendedora Ford, começou com R$ 248 mil. Lance a lance, as duas disputaram por 15 vezes, finalizando o preço da Ford em R$ 238,9 mil e, da Wolkswagem, R$ 238 mil.

    Silvano disse que entrou em contato com o revendedor, dias depois, quando soube que Feliz Natal havia comprado bem mais barato. Ouviu do representante que houve forte concorrência entre as empresas e que o preço baixou bastante. “O vendedor informou que foi uma questão de mercado e a concorrência fez o preço baixar muito lá”.

    O pedido de investigação protocolado no MPE também requere análise na compra das máquinas. Arantes informa no texto que, se a compra fosse à vista, uma das empresas poderia vendido as motoniveladoras, pás carregadeiras e retroescavadeiras, por até R$ 930 mil a menos. O jornalista finaliza dizendo que mesmo vendendo parcelado, o que torna o produto mais caro, o ágio está acima dos juros praticados no mercado, que é em torno de 18% ao ano.

    Amaral contestou e disse que a empresa citada por Arantes foi desclassificada por apresentar prazos de pagamento fora do estipulado no edital. O chefe das Finanças argumenta que, mesmo ficando só uma empresa classificada, ainda baixou preços. “Nós estávamos com uma planilha de preços de referência e pedimos para baixar. A escavadeira baixou de R$ 670 mil para R$ 638 mil; pá carregadeira de R$ 384 mil para R$ 370 mil e, motoniveladora, de R$ 619,2 mil para R$ 594 mil

  • janaina feitosa | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Romilson, eu não sei de onde voce tirou que Thiago é sobrinho do Percival, e mais Percival inclusive trabalhou para eleger Reginaldo sempre aconselhou o Thiago a nao sair candidato.
    Mas como o rapaz tem sobrenome Muniz voce faz questão de dizer que é familiocracia.
    Vai ser tendencioso assim lá no inferno.

  • AMÉLIA | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    AQUI EM LEVERGER O FILHO E SOBRINHO DE EDU FORAM PRIVILEGIADOS PELA CASAÇÕES DE VEREADORES ELEITOS CASO DE EUGENIO E MANOEL TEIXEIRA E NÃO POR EDU POIS, FORAM TODOS DERROTADADOS NAS ELEIÇÕES DE 2008. DEVIDO A PÉSSIMA ADMINISTRAÇÃO DO PROF. EDU.

  • Camargo | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Romilson Errata

    Franklin 1 Suplente ...... PSDB
    Wagner Belmiro 2 Suplente .... PSDB
    Edson Pão Torrado 1º Supente ... PDT
    - Portanto Caro Romilson, todos reprovados pela população levergense porém, benificiados pela cassações de 2 vereadores aqui em leverger. Pois o povo é ciente da péssima administração do edu aqui em leverger. Obs. existe processo de cassação contra os mesmos por, transf. de título e compra de voto eles serão os próximos a serem caçados.

  • Seu Zeca | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Romilson, acho que voce deveria esperar o resultado do aumento de vereadores que deve sair dia 15 de abril, ou seja, daqui 10 dias. Voce pode queimar a lingua sobre a eleição de Thiago Muniz.
    Janaina Feitosa, voce ta ganhando bastante pra dar pitaco aqui ne? Sua puxa saco.












  • maria eustacia aquino | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    em leverger, nãoestou criticando por criticar, mas esses vereadores só estão la por subestituição, pois eles foram derrotados nas eleições e são suplentes, alem disso graças a Deus não foram eleitos titularmente pq foram um desastre qdo o professor eduardo foi prefeito, leverger precisa de politicos e pessoas que amam ela, e não de demagogos que entram no poder pra usufruir em causa propria, e não estão nem ai para o municipio. não torça para partido algum, quero ver o municipio prospero.

  • joão neto | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Querida Janaina uma coisa é certa e ninguem pode negar e nem vc se realmente os vereadores que ficaram de suplente como tiago muniz beto do amendoim e companhia vão ser vereador não pela vontade do povo os que ganharam realmente estão lá! mais eles tem que torcer pra essa lei colocar eles que estavam com o pé no lado de fora entrar na camara vamos ver o que eles vão fazer lá dentro. O TIAGO MUNIZ É PARENTE SIM DO PERCIVAL MUNIZ E FALAR NELE
    E O PILOTO DO PERCIVAL QUE FALECEU ESSES DIAS JÁ ESQUECERAM DESSE RAPAZ NÉ !QUE DEUS ABENÇOE ESSE JOVEM PILOTO E O DÊ UM DESCANSO EM PAZ
    ¨
    BEM TODO RONDONOPOLITANO NÃO PRECISA ENTENDER DE POLITICA SABE QUE O PPS NÃO ELEGEU O REGINALDO E SIM UM TRABALHO DE BASE DELE QUE VINHA FAZENDO A MUITOS ANOS E MUITO MENOS A IGREJA DELE O ELEGEU SÓ QUE TEM UMA COISA A OPORTUNIDADE FOI DADA PRA ELE MOSTRAR QUE TEM CAPACIDADE DE ESTAR NA CAMARA

    A META DO PPS ERA ELEGER O TIAGO MUNIZ SIM 100%
    POREM COMO NÃO GANHOU AGORA SURGE UMA LUZ NO FIM DO TUNEL COM ESSA LEI AI
    AÍ ESSA MOÇA DANDO UMA DE DEFENSORA DO TIAGO QUER CONTAR UMA estória e não uma HISTÓRIA DE VERDADE O SEU CARGO DEVE JÁ ESTAR GARANTINDO KKKKK

  • Pedro getulio | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Esqueceram do sobrinho do Faustino prefeito de Leverger vereador Mauro Dias de Amorim DEM o 2º mais votado!

  • janaina feitosa | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Olha João neto ou será claudio? se ameta fosse eleger thiago o percival elegeria sim.
    bastava puxar o freio do reginaldo, bastava nao ter enfiado 100.000 reais no reginaldo. E mais o Thiago nao é sobrinho do percival nao seu desinformado, pode ser pai, mae, primo seja la o que for, mas sobrinho nao é, pois conheço todos os sobrinhos do percival.
    mas gostei o percival socou dinheiro no reginaldo, vivia dando entrevista prestigiando o reginaldo, e o reginaldo meteu os pés no peito dele. percival ganhou mas nao levou o vereador é do PMDB e seus assessores não perdem oportunidade para falarem mal do Percival e dizer que Reginaldo foi injustiçado na eleição, injustiçado foram os outros candidatos. mas isso vc nao ve né jõão neto.

  • Pedro | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0


    e em tabapora o irmao do Riva

Briga eleitoral de parentes em General

renato vilela 400 general carneiro   A briga política, jurídica e eleitoral na pequena General Carneiro, de 14 mil habitantes, está acirrada e envolve, em palanques diferentes, grupos com vínculos familiares. São dois na disputa pela prefeitura. A ex-prefeita Magali Vilela desistiu de tentar de novo o teste das...

Ataques a EP e o revide dos amigos

fabinho 400 curtinha   O empresário Fábio Martins Defanti, o Fabinho Promoções (foto), que em 2016 disputou para vereador e perdeu, está sendo bombardeado de críticas em grupos de WhatsApp, inclusive pelos próprios amigos, por causa de comentários, gravados em dois vídeos, com um...

Luizão e 10 promessas em cartório

luizao 400   O empresário Luizão (foto), candidato a prefeito de Rondonópolis pelo Republicanos, registrou em cartório 10 comprimissos de gestão, garantindo, em caso de eleito, executá-los logo no primeiro mês de mandato. O primeiro deles é de zerar a fila de consultas, exames e cirurgias. E...

Ex-secretários de França sem mácula

roberto franca 400 curtinha   A assessoria jurídica da coligação de Roberto França (foto), que concorre à Prefeitura de Cuiabá pelo Patriota, classifica de mentirosa e irresponsável a notícia de que ex-secretários de França, da época em que comandou a Capital, de 1997 a...

Líderes de Lucas e apoios ao Senado

otaviano pivetta curtinha 400   As principais lideranças políticas da "República" de Lucas do Rio Verde estão divididas nos apoios sobre candidaturas ao Senado. O vice-governador Otaviano Pivetta (foto), recém-desfiliado do PDT, faz campanha pela coronel Rúbia Fernanda (Patriota), propagada como a candidata...

Reeleição difícil em Barra do Bugres

raimundo nonato 400   Aos 81 anos, o piauiense de Campo Maior, Raimundo Nonato (foto), busca renovar o mandato de prefeito de Barra do Bugres pelo DEM. Embora considerado carismático e populista, pioneiro no município e ajudado pela força da máquina pública, Nonato, que já foi prefeito nos anos 82 e 90,...

MAIS LIDAS