Últimas

Sábado, 12 de Janeiro de 2008, 11h:06 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:19

EMBATE JURÍDICO

770 ex-funcionários do Bemat recebem R$ 7,4 mi

  Após quase 10 anos de negociações e sete de trâmites jurídicos, 770 ex-funcionários do extinto Banco do Estado (Bemat) vão receber uma indenização referente a maior ação trabalhista indenizatória entre as demandas registradas em Mato Grosso nos últimos 30 anos. Serão R$ 7,4 milhões. Esse acordo já foi firmado entre o governo estadual, Procuradoria-Geral do Estado e o Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários.

    O acerto será feito em 22 parcelas. A primeira de R$ 503 mil deve ser paga até o próximo dia 21. A última, na ordem de R$ 217 mil, até 21 de outubro de 2009. O pagamento deve ser efetuado em escala. Quem tem até R$ 5 mil para reaver, receberá em duas parcelas. Já quem reclama acima desse valor, vai receber em cinco vezes. O depósito judicial será feito na Caixa Econômica Federal.

     A ação coletiva foi ajuizada em 26 de janeiro de 2000, dois anos após a extinção do banco. Há 68 funcionários que foram excluídos do acordo porque formularam ações individuais. Segundo o secretário de Fazenda, Edmilson José dos Santos, o acordo homologado pelo juiz Anésio Yssao Yamamura, da 4ª Vara do Trabalho de Cuiabá, foi realizado visando eliminar o passivo trabalhista do extinto banco. (Simone Alves)

(Às 14h55) - Pressão da MT Fomento motiva acordo

   O acordo formalizado entre o governo, a PGE e o Sindicato dos Bancários do Estado é um mérito da MT Fomento. Ocorre que os recursos da instituição começaram a ser bloqueados através de penhora online porque o Tribunal Regional do Trabalho entendia que a Agência seria sucessora do extinto Bemat. No ano passado, as contas da MT Fomento, sob Éder de Morais, chegaram a ser bloqueadas em R$ 2 milhões.

   Sob a ameaça até de fechar a MT Fomento, Éder reagiu e notificou o então secretário de Fazenda, Waldir Teis, e também o procurador-geral do Estado, João Virgílio, no sentido de encontrar uma solução de imediato e, assim, equacionar as dívidas trabalhistas. Dessa forma, não fosse a gestão da MT Fomento, os ex-funcionários do Bemat não iriam receber as indenizações por tão cedo e a demanda se transformaria em algumas centenas a mais de precatórios acumulados nas contas do governo.

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • JOAQUIM MARIA DIAS | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    1
    0

    GOSTARIA DE SABER SE MEU NOME ENCONTRA NESTA LISTA DOS EX-FUNCIONARIOS QUE TEM DIREITO A RECEBER DO BEMAT?

  • Marcelo Mariano De Sousa | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    1
    0

    Todo mundo sabe que isso só foi possivel gracas a pressão da MT FOMENTO através de seu presidente EDER MORAES que forçou a PGE a fazer o acordo para evitar prejuizos a Instituição uma vez que os recursos da MT FOMENTO estavam sendo bloqueados. Para com isso , essa turminha da botina deveria ter a humildade e reconhecer o trabalho do EDER.

  • josé paulo | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    este eder moraes é uma enganação meu amigo. e é o maior puxa-saco dos botinudos...

  • Amado Amador | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Caso o senhor Éder vá mesmo para Fazenda deverá enfrentar alguns abacaxis bem maiores que esse dos bancários. Entre os servidores daquele órgão há dois problemas a serem resolvidos, um é a transformação de agentes fazendários de nível fundamental em fiscais de tributos de nível superior, o que é estranho neste século XXI e que causará uma insegurança naquele pessoal quando a Justiça decidir que isso deve ser revertido ( e os salários devolvidos). Outro caso são cerca de R$200milhões que a Fazenda está protelando o pagamento para outra carreira (não sei por que há tantas, e cada uma tem sindicatos, associações o escambáu), mas, que, cada mês de atraso o bolo vai crescendo tornando impossível do estado arcar. Ou seja, quem for secretário da Fazenda vai ter que correr senão o estado pára em 2008.

Para presidente, BRT é ultrapassado

juca 400 curtinha   Numa sintonia política com o prefeito Emanuel, o novo presidente da Câmara de Cuiabá, vereador Juca do Guaraná (foto), disse ser contra a decisão do governo estadual de "enterrar" o projeto do VLT, cujas obras estão paralisadas desde 2014, para implantar o modal BRT na Região...

Prefeito vai homenagear 2 ex-aliados

ze do patio 400 curtinha   O ex-vereador, ex-deputado estadual e hoje prefeito de Rondonópolis, Zé do Pátio (foto), que está no terceiro mandato, vai homenagear dois aliados que faleceram recentemente, sendo eles o ex-vereador de três mandatos Juary Miranda, que foi líder do Executivo na Câmara...

Maluf deve consultar STF sobre Teis

guilherme maluf 400 curtinha   Assim que retornar de férias, o presidente do Tribunal de Contas do Estado, Guilherme Maluf (foto), dará prosseguimento à análise do pedido de aposentadoria de Waldir Teis, que está afastado do Pleno há três anos e cinco meses, assim como outros três conselheiros...

Novo líder de Pátio na Câmara de ROO

reginaldo santos 400 curtinha   Reginaldo dos Santos (foto), que assume vaga na Câmara de Rondonópolis pela quarta vez, é o novo líder do prefeito Zé do Pátio, com a missão de fazer o trabalho de articulação e defesa do Executivo junto aos colegas do Legislativo. Na legislatura passada,...

Agro sugere Daniella de volta no Indea

daniella bueno 400 indea   Representantes do setor produtivo e um grupo de servidores sugeriram ao governador Mauro o nome da médica-veterinária e servidora de carreira Daniella Bueno (foto) para reassumir a presidência do Indea-MT. Aproveitaram a vulnerabilidade no cargo do presidente Marcos Catão Dornelas, denunciado...

Aumento para vereador só em 2022

Alguns vereadores em Cuiabá, tanto novatos quanto aqueles reeleitos, ficaram surpresos quando informados pela Mesa Diretora de que o aumento salarial de R$ 15,1 mil para R$ 18,9 mil, aprovado agora no final de dezembro, só começa a valer a partir de janeiro de 2022. Não entra em vigor de imediato, mesmo se tratando de nova legislatura, por causa da pandemia, que levou o governo federal a estabelecer, em lei, veto a qualquer tipo de reajuste para servidores até...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

O Governo de MT optou pela implantação do BRT em Cuiabá-VG em detrimento do VLT. O que você acha disso?

Estou de acordo

Discordo

Tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.