Últimas

Segunda-Feira, 23 de Abril de 2007, 12h:15 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Artigo

A absolvição de Collor

O senador e ex-presidente Collor fez um pronunciamento – aliás, sua estréia – no senado da República, no qual em longa exposição deu a sua versão dos fatos que levaram à sua renúncia, que acabou não o salvando do impeachment. Conseguiu o senador uma quase unanimidade de apoio entre os seus pares, mesmo entre alguns que o condenaram na época.
   Aqueles que o defenderam por ocasião do impeachment, alguns como deputados, outros ainda sem mandatos, sentiram-se vitoriosos. Outros entre os que o condenaram, comportaram-se como madalenas arrependidas tal a emoção que Collor passou aos senadores presentes. Todos os brasileiros que acompanharam pela televisão o pronunciamento ficaram com a impressão, a certeza, que Collor, ao final do seu discurso, havia ganhado além de absolvição política e moral não somente da sociedade brasileira, mas também da história.
   Um dos poucos senadores que não se mostraram arrependidos de ter participado da CPI, do julgamento que condenou Collor, foi Pedro Simon. De um homem da estatura moral dele não se poderia esperar outro comportamento. O senador Pedro Simon é de uma raça em extinção, um daqueles extraordinários gaúchos que o Rio Grande deu ao Brasil.
   O senador Fernando Collor tem direto de recomeçar, reconstruir sua vida política. Porém, esse recomeço não pode ser alicerçado numa grande mentira, sob pena de já se iniciar com mal de umbigo. Na verdade, no governo Collor aconteceu sim o esquema do PC Farias, o crime do confisco da poupança e contas bancárias que destruiu milhares de pessoas e muita coisa mais.
   A grande verdade é que os grandes pecados do ex-presidente foram sendo absorvidos, mitigados porque os governos que o sucederam – com exceção do Itamar Franco – não somente continuaram com a corrupção, mas a roubalheira cresceu. A decadência moral dos nossos políticos e administradores é tão grande, que quem entra reabilita quem sai.
   O governo Fernando Henrique, com os escândalos das privatizações e a compra da reeleição; o governo Lula, com mensalão, sanguessuga, a roubalheira nos ministérios, o tapa-buracos, o assalto que a Infraero faz aos cofres da nação, além da absoluta falta de critério no aspecto moral por parte do presidente Lula ao nomear um ministro, acrescido do loteamento do seu governo com partidos políticos, sendo que alguns se transformaram em verdadeiras quadrilhas organizadas, é que estão absolvendo Collor de Mello.
   Como bem se referiu Clovis Rossi em artigo na Folha de São Paulo, Collor é simplesmente o político padrão do Brasil. Fora do padrão é gente como o senador Pedro Simon, o senador Marco Maciel e outros gatos pingados, teimosos, que ainda acreditam que podem mudar o Brasil.
   Quero me solidarizar com aquela senhora de Brasília que, em correspondência ao jornal Folha de São Paulo, protesta com a maldosa ligação que se faz das maracutaias dos políticos que, por força de imperativo constitucional exercem seus cargos na capital federal, com a população ordeira e trabalhadora do Distrito Federal a respeito da homenagem feita em Londres, ao se dar o nome de Brasília a um bordel.
   Na verdade, Brasília recebe tanto gente boa, de qualidade, como recebe os picaretas do Brasil inteiro.

* PEDRO LIMA é analista político e advogado.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Ação de promotor e volta de restrições

Adalberto Ferreira   O promotor de Justiça Adalberto Ferreira garante que prefeito de Juscimeira Moisés dos Santos não havia editado nenhum decreto endurecendo as regras de restrições à pandemia do coronavírus antes do MPE propor ação na Justiça. Ao falar sobre nota publicada...

Oséas agora está nas mãos de Abílio

oseas machado 400 curtinha   Oséas Machado (foto) conseguiu derrubar Abílio Júnior, a quem denunciou por quebra de decoro parlamentar, e assumiu a cadeira deste na Câmara da Capital. Agora, o cassado se articula para dar o troco. O problema é que ambos estão no PSC. Oséas quer buscar a...

Decreto "anula" o MPE em Juscimeira

moises 400 juscimeira curtinha   Em Juscimeira, o promotor de Justiça Adalberto Ferreira recorreu à Justiça de forma desnecessária. Pleiteou e conseguiu uma liminar para suspender um decreto do prefeito Moisés dos Santos que, segundo a ação, havia reduzido as medidas de isolamento social, permitindo...

Kero-Kero quer levar Abílio para Pode

wilson kero kero 400 curtinha   Na contagam regressiva do prazo para o troca-troca partidário - vence em 3 de abril para quem pretende ser candidato em outubro deste ano -, o vereador Wilson Kero-Kero (foto), do PSL e um dos opositores à gestão Emanuel Pinheiro em Cuiabá, está fortalecendo o Podemos. E se...

ECSP explica confusão com Marcrean

marcrean 400 curtinha   A Empresa Cuiabana de Saúde Pública (ECSP) emitiu nota sobre a suposta “carteirada” do vereador Marcrean Santos (foto) no HMC. Ele foi pivô de confusão e um vídeo viralizou nas redes sociais. Segundo a ECSP, o parlamentar foi até o local pedir informações...

PL quer suspender dívidas das cidades

max russi curtinha 400   Ex-prefeito de Jaciara, o deputado Max Russi (PSB) apresentou projeto que visa suspender os pagamentos das dívidas dos municípios com o Estado, durante o período de calamidade pública que foi decretado pelo governo por causa da pandemia do coronavírus. Max ressalta que MT não deve...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você concorda com a decisão de prefeitos, que começam a decretar estado de emergência, fechando comércio, serviços públicos e o transporte coletivo?

sim

não

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.