Últimas

Quarta-Feira, 17 de Janeiro de 2007, 09h:07 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Artigo

A privatização da água e esgoto

  "A  privatização e/ou concessão se faz necessária em alguns setores de prestação de serviços do setor público". O comentário é do jornalista e analista político João da Costa Vital, em artigo nesta quarta (17), em A Gazeta. Leia reprodução abaixo.

     O Congresso Nacional aprovou ao apagar das luzes do exercício de 2006 o projeto de lei que institui as diretrizes nacionais para o saneamento básico e a política federal destinada ao setor. Trata-se de uma posição exponencial entre as iniciativas aptas a criar e alargar a infra-estrutura do país. O modelo operacional previsto na lei abriga inovações capazes de abrir caminho para a remoção de uma das principais causas de infortúnio social a questão de calamidade da água tratada, seu fornecimento normal e do esgotamento sanitário.

     Foram necessários 20 anos para que, após hibernar tal projeto no Congresso nacional, finalmente, a proposta recebesse a energia condicionante da lei. Entretanto, a morosidade não foi de todo um mal. Pelo menos, o decorrer do tempo serviu para adequar a matéria a conceitos mais modernos de gestão pública e introduz um pacto positivo no esforço de liberar e/ou libertar o poder público para propor privatização ou concessão dos serviços de água e esgoto, bem como outros setores componentes da infra-estrutura do país. A privatização e/ou concessão se faz necessária em alguns setores de prestação de serviços do setor público. Temos que entender que os estados e municípios do Brasil estão empobrecidos, sem condições de atendimento da crescente demanda que está a exigir a população. E, a privatização em alguns setores têm dado certo. Vejamos as teles, a Cemat e as nossas rodovias. O setor da telecomunicação desenvolveu em mais de 1.000%, nos últimos dez anos; a nossa Cemat idem; e as melhores rodovias federais do país são aquelas que sofreram o processo de concessão e/ou privatização.

   E, "para não dizer que não falei [ou não falo] das flores", quero aqui parabenizar o prefeito Wilson Santos pela reforma da nossa esquecida avenida Beira-Rio, com recapeamento do asfalto, trabalho de urbanização, jardinagens e sinalização. Esta é uma avenida que esteve esquecida por mais de 20 anos pelo poder público. É uma avenida importante não só por abrigar ali duas das mais importantes universidades de Cuiabá: a Unic e a minha querida Cândido Rondon, bem como por desafogar o trânsito. Inclusive, a gestão Wilson Santos vai muito bem na área de infra-estrutura, pois conta ali com o competente, simples, trabalhador e honesto secretário Andelson Gil do Amaral.

   Mas, voltando ao caso das privatizações, somos totalmente a favor da privatização da Sanecap, mas que não seja feita a concessão apenas na questão da água e sim do tratamento e esgotamento sanitário. Explico. Segundo o IBGE, 47% dos municípios não tratam e nem coletam adequadamente os esgotos, e Cuiabá desenvolve essa tarefa apenas parcialmente, ou seja, somente 80% da população recebe água encanada e tratada, e apenas 25% do nosso esgoto é tratado. O lançamento de esgotos in natura nos corpos hídricos é o principal problema de qualidade das águas dos nossos rios e, em conseqüência, a água distribuída pelos municípios fica comprometida. Sabemos nós que, segundo pesquisas, 90% dos nossos municípios estão falidos, face à injusta distribuição do bolo tributário, onde sobram para os municípios um irrisório 14%, ficando a maior parte com a União. Se não bastasse isso há uma inadimplência insuportável por parte dos munícipes que, vergonhosamente, não colaboram com o poder municipal, recolhendo seus impostos e taxas, tais como: IPTU e taxa de água e esgoto. Eu sempre digo que ser prefeito no Brasil é cavar a sua sepultura na política. Veja o caso do ex-prefeito Roberto França, que sempre foi campeão de votos, não conseguiu se eleger em 2006 para uma simples cadeira de Assembléia Legislativa. A Sanecap já deveria ser privatizada à mesma época da Cemat, quando ainda era Sanemat, pois fora administrada de forma incompetente pela dobradinha Pedro Henry/Gilson de Oliveira. O governo Dante entregou uma massa falida para o ingênuo Roberto França.

   O poder público do Brasil está falido, apesar da injusta carga tributária que pagamos. Universalizar a prestação de serviços de água e esgoto exige recursos enormes, que o Brasil não tem, que Cuiabá não tem.

João da Costa Vital é contador, pedagogo, jornalista, analista político e escreve em A Gazeta às quartas-feiras. E-mail: Joaocvital@pop.com.br

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Recuo do DEM e agora no Republicano

gabriel guilherme 400 curtinha   O DEM terá de excluir da lista de pré-candidatos a vereador pela Capital o nome do jovem Gabriel Guilherme (foto), de 22 anos. Ele optou por se filiar ao Republicano. Lotado na Assembleia como assistente da Secretaria de Orçamento e Finanças e filho do ortopedista Paulo Fonseca...

Galvan vai deixar PDT e ir pra o PRTB

antonio galvan 400 curtinha   Embora não tenha perdido de vistas o Aliança pelo Brasil, partido que está sendo criado por Bolsonaro, Antonio Galvan (foto), presidente da Aprosoja e que acabou levado à frigideira dentro do PDT em meio ao embate por tentativa de candidatura ao Senado, se mostra disposto a ingressar no...

"Pátio igual gato, comendo e miando"

jose medeiros 400 curtinha   O deputado José Medeiros (Podemos), vice-líder do Governo Bolsonaro na Câmara, disse que o prefeito Zé do Pátio, de Rondonópolis, está parecendo gato, comendo e miando, pois recebe recursos federais, inclusive de programas habitacionais e, mesmo assim, ainda alardeia nos...

Adair lançará ex-vice em Alto Paraguai

adair 400 curtinha   O ex-prefeito de Alto Paraguai, advogado emedebista Adair José Alves Moreira (foto), não vai disputar novamente, apesar da insistência do seu grupo. A tendência é de apoiar o seu ex-vice Luiz Figueiredo, com quem administrou a cidade de 2013 a 2016. Luiz também é do MDB e...

Deputado bolsonarista critica prefeito

claudinei deputado curtinha 400   O deputado Claudinei Lopes (foto), morador em Rondonópolis, ficou na bronca com o discurso populista do prefeito Zé do Pátio, para quem o povo nordestino votou em massa no PT e que não tem conseguido construir mais casas populares porque, diferente dos governos petistas, o presidente...

Sem Senado e tudo pela Mesa da AL

max russi curtinha 400   Presidente regional do PSB-MT, o deputado Max Russi (foto) tem participado das discussões para definição de candidaturas ao Senado, na suplementar de abril, mas não mais como pré-candidato. Seu desafio é outro. A prioridade é a busca da reeleição como...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Na sua opinião, como está indo o Governo Bolsonaro...

excelente

bom

razoável

ruim

péssimo

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.