Últimas

Sexta-Feira, 07 de Dezembro de 2007, 09h:06 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:19

SEGURANÇA PÚBLICA

Acuado pela polícia, Maggi nega reajuste e viaja

    Em meio à crise na segurança pública, o governador Blairo Maggi deixa Mato Grosso nesta sexta para só retornar ao Estado no dia 17. Embarca para São Paulo, às 17h30 e, de lá, integra a delegação brasileira rumo a Bali, na Indonésia, para participar da 13ª Conferência do Clima (COP-13). Ele deixa para traz um clima tenso e pode encontrar por lá um ambiente também não tão favorável, diante da repercussão internacional dos números negativos do Estado sobre a área ambiental.

    Investigadores e agentes da Polícia Civil, que decretaram greve geral, prometem novos protestos e estão dispostos a radicalizar. A estratégia é aproveitar a ausência de Maggi para "marcar" posição e, assim, deixar também acuado o governador em exercício Silval Barbosa (PMDB). Com dezenas de viaturas e armados, eles já "sitiaram" Maggi no Palácio Paiaguás e chegaram a cercar por alguns minutos a rua do prédio onde mora o governador. O governador ficou tão preocupado com o clima de animosidade que reforçou sua segurança.

    São manifestações que vêm ganhando corpo e trazem preocupação porque são feitas de forma agressiva. Os grevistas reivindicam praticamente reposição salarial. Criticam o Palácio Paiaguás, para quem prioriza os militares em detrimento da corporação da Civil.

    Nesta quinta à noite, assim que chegava de Brasília, o governador foi perguntado sobre o clima tenso e a greve dos servidores da Polícia Civil. Ele voltou a insistir na tese da falta de condições financeiras para atender as reivindicações. "Tenho problemas financeiros de responsabilidade fiscal. Então, qualquer coisa que eu fizer vai comprometer nosso orçamento". Blairo Maggi argumenta ainda que nestes cinco anos de mandato, elevou em 45% a folha de pagamento dos servidores e considera que chegou no limite.

     Por 10 dias, o governador deixa o "pepino" para o seu vice Silval descascar e vai cuidar de sua imagem um tanto arranhada lá fora. Em Bali, durante discussões sobre medidas para a redução dos fatores que geram o aquecimento global e sobre as barreiras e os subsídios aplicados pelos países ricos ao etanol, Blairo Maggi vai apresentar números sobre ações de seu governo na área ambiental num Estado que, em contrapartida, figura na triste estatística de um dos campeões nacionais em desmatamento e queimadas ilegais.

Postar um novo comentário

Comentários (11)

  • ana beatriz amorim collins | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    SENHOR GOVERNADOR, SÃO OS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS QUE JÁ CHEGARAM NO LIMITE COM O SENHOR! VOTEI NO SENHOR NAS ÚLTIMAS ELEIÇÕES, MAS, PODE TER CERTEZA, NÃO VOU MAIS COMETER ESTE ERRO.

  • ana beatriz amorim collins | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Parece até que para o Governador Blairo Maggi, servidor público são apenas 4 categorias: fiscal de tributos, promotor de justiça, procurador do Estado e Defensor público, além dos servidores dos tribunais de justiça e de contas. Nós, os demais, não somos rigorosamente nada, tal os salários miseráveis que recebemos. E ainda nos quer amordarçar, nos fazer calar a boca apanhando, coloca a corda no pescoço, nos monitora e manda-nos perseguir com chefinhos de quinta categoria, que mal conhecem a pasta que foram nomeados, como é o caso da sema.

  • nivaldo lopes | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    E ASSIM MESMO, COISA DESSE GAUCHO COVARDE, AGORA ELE VAI E SAIR CORRENDO DE BALI, POIS OS CIENTISTAS ESTAO PREPARANDO UMA PRA ELE LA, PODEM ESPERAR PRA VEREM, TO DE ACORDO COM A POLICIA, QUEM TEM 1 BILHAO PRA DAR EM ENSENTIVOS PODE MUITO BEM DAR AUMENTO A CLASSE TRABALHADORA SIM....E QUEM TEM 40,000, PRA GASTAR COM O TEIS PRA IR PARA O TRIBUNAL DE CONTAS TAMBEM TEM COMO DAR O AUMENTO.

  • julio cesar bomfim neves | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    O governador deve estar bem preocupado com essa viagem a bali, porque sabe que lá não vai encontrar ongs subsirvientes a ele. Ele também verá que existem ongs diferentes do ipam (que faz pesquisa em sua propriedade de querência), tnc (com vários projetos no estado com resultado prático nenhum, e agora totalmente entregue aos sojicultores, a começar por lucas e sorriso), icv (que sempre está a serviço de qualquer governo e adios a bandeira ambientalista). Essa viagem vai ser pedagógica para o governador saber que ainda ongs coerentes, éticas, que não se vendem.

  • Antonio Carlos | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Quando o governador viaja, quem assume pode tomar decisões de cunho relevante?
    O que o Sinval tem que fazer é meter a caneta nesse aumento que os policiais estão pedindo aí e pronto, policial bem remunerado é sinônimo de menos roubo, não ve a Policia Federal, depois de várias greves, tiveram um aumento significativo, recebem várias diárias para ficar de campana atraz dos bandidos e da nisso que estamos vendo, operações disso, daquilo e só neguinho com pulserinha de metal, é, e vai todo mundo, vai governador, deputado, empresário, vereador, eles não querem nem saber, investigou, é suspeito, tá no pau, depois vc explica lá na PF. Assim mesmo a nossa Policia poderia fazer, mas com esse salário de fome aí, quando prendem alguem e vão levando pra delegacia acaba a gasolina da viatura, aí o bandido fala assim: E aí mano, para num posto aí que vou mandar completar o tanque, depois o bandido diz quanto o policial quer para não leva-lo preso, como o policial tá igual o João, sem eira, nem beira, passando necessidade e ariscando a vida, aceita a proposta e o vida e o crime continua.
    O Sinval, combina com os policiais, "olha tudo que vcs decobrirem de maracutaia que os bandidos tão fazendo por aí e que vai retornar para o estado em imposto eu lhes dou um percentual" oce vai ver o quando essa classe vai passar a ganhar a mais. E quando o Blairo voltar, já foi, e é vc que ficou bonito na foto e os donos de funenários menos ricos.

  • edson nogueira | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    A Conferência das Partes 12 (COP 12) realizado ano passado em nairobi, não por acaso, reforçou os bloqueios às negociações com clima. O Brasil levou sua proposta sobre um fundo internacional para compensar os países pelo desmatamento evitado, que sequer chegou a ser considerada, a ministra marina silva nem deveria ter passado esse constrangimento internacional. O resultado foi que a reunião terminou sem resultado, porém com um sentimento generalizado de que o impasse tem que ser rompido com urgência. Em Bali, a proposta brasileira pode até ser considerada, embora certamente não vá haver decisões a respeito. Inclusive, nesta semana (a reunião de Bali começou nesta semana), foi amplamente divulgado pela mídia de que os países membros já decidiram não incluir nas discussões o debate sobre instrumentos econômicos para desmatamento evitado. Portanto, o governador Blairo Maggi poderia apenas enviar um participante (tecnicamente preparado) para lhe repassar o protocolo de intenção resultado do evento. Nada justifica, diante das circunstâncias, em que sequer o desmatamento evitado será debatido, promover uma gastança como essas. Para vocês terem uma idéia uma passagem ida e volta para bali, saindo de cuiabá, está em torno de 9 mil reais. Imagine o tamanho da comitiva que acompanhará o governador, como também, adicione os gastos que terão com estadia em hotel 5 estrelas que essa turma gosta de ficar. Acho o péssimo exemplo de gastança com gastos públicos, considerando também que a imagem de mato grosso no cenário nacional e internacional não é nada bom em se tratando da questão ambiental. Primeiro o governador tinha que fazer a lição de casa, p.ex., fazer a sema funcionar, nomear pessoas competentes para fazer frente aos novos desafios que a politica ambiental impõe. Outro detalhe paradoxal, é a campanha de natal que o governo estadual está fazendo denominado "natal das crianças", buscando arrecadar alimentos para as familias mais necessitadas, no entanto, essa campanha, com todo o respeito com as instituições que estão participando (lions, rotary, maçonaria, igrejas, empresas privadas, etc.), no entanto, como seria bem aplicado se governador economizasse nessa viagem totalmente desnecessária se aplicasse tais recursos para minorar o drama da população carente desse Estado. Talvez, a má assessoria que o governador têm sido assistido na área ambiental é que levam ele a cometer alguns equivocos muito graves, comprometendo até mesmo ações interessantes como essa do natal das crianças.

  • amigos da sema | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Governador Blairo Maggi, não há nenhuma dúvida que a política ambiental no subterrâneo do fundo do poço, e diante disso, façamos uma apelo ao senhor para com a situação insustentável de manter o atual secretário no próximo ano. Como o senhor é uma pessoa de bom sendo e pragmático, por isso votamos no senhor na última eleição, apostamos na tomada de decisão equilibrada, que seria nomear o próximo secretário dos quadros de efetivos da sema, que terá a capacidade necessária para reconstruir a sema, hoje lamentavelmente sem credibilidade e desmoralizada para com a opinião pública. Sabemos que não será tarefa fácil essa reconstrução, todavia, esse é o único caminho para o resgate da auto estima dos técnicos do órgão, como também, para viabilizar politicas setoriais consisistentes e fundamentais para o fortalecimento da politica ambiental deste Estado.
    Governador, esse é um movimento não para fazer oposição ao seu governo, não é essa a intenção, mas, de recuperar a credibilidade da instituição sema.
    A permanência disso que aí está não faz juz a sua biografia de empresário eficiente, e só lhe poderá causar mais desgastes ainda. Com toda franqueza, precisamos de um secretário sintonizado historicamente com a questão ambiental e que seja capaz de realmente transparecer ser comprometido com a causa ambiental, e não "produzido" em laboratório palaciano ou de algum deputado com interesses meramente econômico.
    Governador Blairo Maggi, falta esse sentimento de amor e de identidade do atual secretário para com o meio ambiente, e evite novos riscos e desgastes, que não incha o órgão de apaniguados de discutivel preparo técnico e que possua visão mais ampliada do que é a sema, não apenas como uma secretaria de Estado, mas, uma instituição com um papel estratégico para o processo de desenvolvimento do Estado, e que se proponha também discutir o modelo de desenvolvimento que seja socialmente justo, economicamente distributivista e ambientalmente equilibrado.
    É URGENTE O RESGATE DA INSTITUIÇÃO SEMA, E ESPERAMOS QUE O SENHOR REFLITA SOBRE ISSO NA PARADISIACA BALI.
    "O Lider verdadeiro é aquele que avisa antes da decisão ser tomada".

  • juan munhoz | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    O movimento da policia civil é digno de todo apoio por parte das categorias de trabalhadores. Estamos sendo massacrados pelo arroxo salarial deste governo, e não tenha dúvida que milhares de outros servidores estão dispostos a deflagrar outros movimentos, somando a da policia civil, que merece todos os elogios. Agora dinheiro para fazer turnuê internacional dele e do secretário vetoratto, isso não falta, até parece artistas pops internacionais, tal a quantidade de viagens que essa turma já fizeram. Outro detalhe importante é saber o que o governador blairo maggi vai falar sobre meio ambiente, talvez dizer o que não deve ser feito. Não será nenhuma surpresa que ele saia correndo de bali, não da policia, mas, pelos cientistas sérios e ongs comprometidas que não foram compradas!!!

  • antonio carlos julião filho | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    O governo do Estado está detonando a amazônia, plantando soja até dentro dos rios, o cerrado virou plantio de soja, não respeitam as populações indigenas, querem reduzir áreas protegidas, os focos de queimadas em MT é a grande responsável pelo brasil ser o 4º maior emissor de gases de efeito estufa, e o governador, sem sequer ficar vermelho, vai até bali pedir para os produtores rurais sejam remunerados para não desmatar. Governador, tenha um pouquinho mais de consciência ambiental, dê a humanidade uma demonstração de que está menos preocupado em ganhar dinheiro com destruição ambiental, mas, com preocupação com as futuras gerações. Faça-me um favor, um governo que não têm uma linha de conduta ambiental, que coloca pessoas despreparadas e desqualificadas tecnicamente para dirigir o órgão ambiental, só pode mesmo ser mal assessorado, e como consequencia, receber criticas de toda a sociedade, e agora, do mundo. Desse jeito, só pode sair corrido de bali.

  • tony | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas.
    Queira, por gentileza, refazer o seu comentário.

Mauro e vitórias na briga de decretos

mauro mendes 400 A estratégia do governador Mauro Mendes (foto) de articular com os Poderes a edição do decreto de toque de recolher vem dando frutos. O governo publicou decreto impondo toque de recolher das 21h às 5h, com fechamento do comércio às 19h. O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, discordou e fez...

Prefeito é intubado e pode ir para SP

Prefeito de Tapurah Carlos Alberto Capeletti   É grave o quadro de saúde do prefeito de Tapurah (432 km de Cuiabá), Carlos Alberto Capeletti (PSD). Após piora, ele precisou ser intubado nesta quinta (4). Foi internado na terça (2), após testar positivo para Covid-19, em uma UTI no Hospital 13 de Maio, em...

Setasc doou 330 mil cestas básícas

Rosamaria 400 curtinha   A Secretaria Estadual de Assistência Social e Cidadania (Setasc), sob Rosamaria de Carvalho (foto), já entregou mais de 330 mil cestas básicas desde o inicio da pandemia, sendo 110 mil em Cuiabá e Várzea Grande. E como assistência social foi considerada como serviço essencial,...

Interinos ficam sem cargos no TCE

jose carlos novelli 400 curtinha   Com o retorno dos conselheiros do TCE, Antonio Joaquim e José Carlos Novelli (foto), dois substitutos perderam os postos não apenas nas relatorias, como também ficam sem os cargos na gestão. É o caso de Isaías Lopes da Cunha, que deixou de ser ouvidor-geral, sendo...

MT perde José Afonso Portocarrero

portocarrero-400   Morreu nessa quarta  (3), aos 93 anos, José Afonso Portocarrero (foto). O ex-presidente dos extintos  Banco do Estado de Mato Grosso (Bemat)  e Loteria do Estado de Mato Grosso (Lemat)  morreu de causas naturais. Viúvo, deixa quatro filhos.  Na vida profissional, foi o responsável...

Secretários filiados e sem pretensões

Beto 2x1 400 curtinha   Presidente do DEM em Cuiabá, o secretário estadual de Cultura, Esporte e Lazer, Alberto Machado, o Beto 2 x 1 (foto), disse, em visita ao Rdnews, quando concedeu entrevista à tvweb RDTV, que alguns colegas secretários estão filiados ao partido, mas isso não significa que eles...