Últimas

Quarta-Feira, 11 de Abril de 2007, 20h:36 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

LEGISLATIVO

AL aprova e depois rejeita pedido de convocação de Novelli

    Nove horas após aprovar requerimento convocando o presidente do Tribunal de Contas do Estado, conselheiro José Carlos Novelli, para dar explicações a cerca de gastos do TCE, a mesma Assembléia rejeitou o pedido, inclusive por unanimidade.

    Pela manhã, o deputado Percival Muniz (PPS), que teve um convênio rejeitado pelo TCE e, por conta disso, corre risco de perder o mandato, acusou o Tribunal de receber duodécimo três vezes mais que o TCE do vizinho Mato Grosso do Sul. Apontou privilégios e exigiu explicações. Muniz apresentou um requerimento, propondo a convocação de Novelli para se explicar.

    Já na sessão noturna, o assunto voltou à pauta. Muniz e o primeiro-secretário da Assembléia, deputado José Riva (PP), travaram um verdadeiro embate político e jurídico. Riva destacou o Artigo 27 da Constituição Estadual, que só autoriza a Assembléia convocar para prestar esclarecimentos secretários de Estado, procurador-geral de Justiça, do Estado e da Defensoria e titulares dos órgãos da administração publica indireta.

   Riva explicou que, no caso da presidência do TCE, a AL não tem autonomia para fazer tal convocação. "Podemos até fazer um convite para o presidente do Tribunal de Contas vir aqui fazer os esclarecimentos, mas não temos a autonomia de convocá-lo", destacou o parlamentar.

   Segundo ele, "não há nem necessidade de autorização para Novelli tirar dúvidas e responder a questionamentos dos deputados". "Não precisa isso. Toda vez que membros do TCE são convidados eles vêm". No embate com Muniz, Riva conseguiu convencer os demais colegas. O seu pedido para rejeitar a convocação foi aprovado por unanimidade. Agora, a proposta de convidar Novelli a comparecer à Assembléia será analisada pela Comissão de Orçamento da Casa. 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Ação de promotor e volta de restrições

Adalberto Ferreira   O promotor de Justiça Adalberto Ferreira garante que prefeito de Juscimeira Moisés dos Santos não havia editado nenhum decreto endurecendo as regras de restrições à pandemia do coronavírus antes do MPE propor ação na Justiça. Ao falar sobre nota publicada...

Oséas agora está nas mãos de Abílio

oseas machado 400 curtinha   Oséas Machado (foto) conseguiu derrubar Abílio Júnior, a quem denunciou por quebra de decoro parlamentar, e assumiu a cadeira deste na Câmara da Capital. Agora, o cassado se articula para dar o troco. O problema é que ambos estão no PSC. Oséas quer buscar a...

Decreto "anula" o MPE em Juscimeira

moises 400 juscimeira curtinha   Em Juscimeira, o promotor de Justiça Adalberto Ferreira recorreu à Justiça de forma desnecessária. Pleiteou e conseguiu uma liminar para suspender um decreto do prefeito Moisés dos Santos que, segundo a ação, havia reduzido as medidas de isolamento social, permitindo...

Kero-Kero quer levar Abílio para Pode

wilson kero kero 400 curtinha   Na contagam regressiva do prazo para o troca-troca partidário - vence em 3 de abril para quem pretende ser candidato em outubro deste ano -, o vereador Wilson Kero-Kero (foto), do PSL e um dos opositores à gestão Emanuel Pinheiro em Cuiabá, está fortalecendo o Podemos. E se...

ECSP explica confusão com Marcrean

marcrean 400 curtinha   A Empresa Cuiabana de Saúde Pública (ECSP) emitiu nota sobre a suposta “carteirada” do vereador Marcrean Santos (foto) no HMC. Ele foi pivô de confusão e um vídeo viralizou nas redes sociais. Segundo a ECSP, o parlamentar foi até o local pedir informações...

PL quer suspender dívidas das cidades

max russi curtinha 400   Ex-prefeito de Jaciara, o deputado Max Russi (PSB) apresentou projeto que visa suspender os pagamentos das dívidas dos municípios com o Estado, durante o período de calamidade pública que foi decretado pelo governo por causa da pandemia do coronavírus. Max ressalta que MT não deve...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você concorda com a decisão de prefeitos, que começam a decretar estado de emergência, fechando comércio, serviços públicos e o transporte coletivo?

sim

não

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.