Últimas

Segunda-Feira, 16 de Março de 2009, 08h:18 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:22

COBRANÇA

Alexandre paga dívida de campanha "por fora"

   Acionado na Justiça por supostos débitos de campanha não declarados que chegariam a quase R$ 3 milhões, o deputado e ex-presidente regional do PT Alexandre César começou a quitar a dívida. Segundo fontes petistas, depois de "embolsar" o dinheiro, empresários que antes reclamavam do suposto "calote", agora resolveram "aliviar a barra" do parlamentar nos depoimentos prestados na última quinta (12), na 1ª Zona Eleitoral, no processo instaurado a partir de denúncia do Ministério Público para apurar suposta prática de caixa 2 na campanha do próprio Cesar, derrotado a prefeito da Capital em 2004. A denúncia foi feita depois que empresários entraram na Justiça para garantir o pagamento dos serviços prestados ao petista durante a campanha e não registrados na prestação de contas fornecida à Justiça Eleitoral.

   O curioso é que o dinheiro para a quitação dos débitos não está saindo dos cofres do partido, fato que configuraria a prática inédita, até onde se tem conhecimento, de "caixa 2 do caixa 2". O pagamento da dívida também chama a atenção devido ao "surgimento" de mais credores que, tal como os demais, prestaram serviço à campanha petista sem que os débitos fossem declarados ao Tribunal Regional Eleitoral.

   Um dos credores é Carlos Roberto Pinto, da CBC Suprema, empresa de propaganda e publicidade. Ele recebera R$ 93 mil das mãos do petista. O valor é referente a três notas fiscais emitidas em 22 de outubro de 2004 e autenticadas no 4º Serviço Notarial de Várzea Grande no dia 14 de dezembro do mesmo ano. Carlos Roberto chegou a receber a folha de cheque nº 850492, emitida por Antonio Humberto Cesar Filho, irmão de Alexandre, mas não conseguiu descontá-la no Banco do Brasil por falta de fundo. O cheque foi devolvido em duas ocasiões, em 22 e 25 de novembro de 2004. Segundo uma fonte próxima ao petista, Alexandre conseguiu reaver a folha de cheque depois de quitar o débito.

   Outros empresários que também teriam recebido recentemente pelos serviços prestados na campanha de Alexandre são Júlio César de Oliveira, representante da banda Stillo Pop Som; Leonir Rodrigues da Silva, proprietário das gráficas Atalaia e Maior; Rodrigo Piovezan, sócio-proprietário da Beta Vídeo; Dalmi Defanti Júnior, dono da Gráfica Print; e a responsável pela prestação de contas da campanha do petista Kátia Auxiliadora Xavier. "O salário do Alexandre não chega a R$ 12 mil, não temos idéia de onde ele está tirando dinheiro para pagar estes empresários", comentou, intrigrado, um membro da Executiva do PT.

   Apesar de assumir na Justiça somente dívidas no valor de R$ 964 mil, Alexandre foi cobrado judicialmente em quase R$ 3 milhões. Conforme o petista, os débitos são de responsabilidade do diretório estadual do PT e foram contraídos mediante autorização da cúpula da direção nacional, à época presidido pelo então deputado federal José Genoíno (CE), com Delúbio Soares no cargo de tesoureiro.

  Perguntado pelo RDNews se chegou a pagar dívidas de campanha, fora do caixa do PT, Alexandre Cesar se mostrou irritado. "Isso é um factóide", reagiu o deputado. (Andréa Haddad)

Postar um novo comentário

Comentários (9)

  • PAULO NASCIMENTO | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    O dep. vai pagar por fora uma vez é o PT irá pagar por dentro outra vez, ou vocês acham que os envolvidos da cobrança após esses atos de suposta esperteza diga-se de passagem malandragem, não cobrarão duas vezes , não há garantia que os mesmos não solicitarão na Justiça nova cobrança contra o PT.
    Afinal o por fora não dá quitação legal , mesmo que eles garantam , quem vai acreditar , qualquer doc. de quitação por fora é a confirmação que houve o delito eleitoral se colocado mas a frente para possivel constatação do pagamento.
    Que enrascada está o PT matogrossense................

  • Osnair Carmargo Brunin | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas.
    Queira, por gentileza, refazer o seu comentário.

  • MANE PORRETE | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    e ai deputado cade a honestidade do pt, alias nesse partido e so rolo. e cade o minesterio publico que nao falam nada. so atacam quem e pequeno nao e promotores; vamos ver se alguem interessa por esse caso grave . parabens romilson pela divulgaçao

  • ANTONIO DE MORAES | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    VOCES ACREDITAM QUE CABERÁ AOS CREDORES COBRAREM DO PT AS DIVIDAS CONTRAÍDAS PELO EX-CANDIDATO , DEVIDO A FORMA QUE ELE ESTÁ QUITANDO ESSES DEBÍTOS.
    PESSOAS QUE FAZEM DA FORMA QUE FIZERAM , COM CERTEZA MAIS A FRENTE COBRARÃO DO PT NOVAMENTE, E OS PAGAMENTOS DA FORMA QUE ESTÁ SOMENTE ISENTA O EX-CANDIDATO NÃO O PARTIDO.
    É COM SÃO FACEIS DE TRANSFORMAÇÃO OS HOMENS SEM PRINCÍPIOS ETICOS E MORAIS , NESSE CASO ESTÃO TODOS INCLUÍDOS TANTO OS DEVEDORES QUANTO OS CREDORES.

  • Gilberto | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas.
    Queira, por gentileza, refazer o seu comentário.

  • Severino | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Infelizmente o Alexandre César é um péssimo exemplo de político...

  • sandro | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Este a justiça nao mexe, será porque.

  • Valdemir | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Essa katia Xavier não é irmã do Paulo Xavier ???

    Os dois trabalham no gabinete do deputado Alexandre César.

    Paulo Xavier é o chefe de gabinete de Alexandre César.

    Isso não é NEPOTISMO ???


  • Raul José de Castro | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    R$ 3 milhões por fora. De onde está vindo esse dinheiro. Do bolso do deputado é que não é

PT na oposição independente do eleito

edna sampaio 400   Independente de quem ocupar o Palácio Alencastro, a partir de janeiro, a professora Edna Sampaio (foto), única eleita pelo PT à Câmara de Cuiabá, fará oposição ao prefeito. E dá sinais de que será uma parlamentar bastante atuante. Neste segundo turno, como o seu...

Secretário não consegue eleger Fred

fred gahyva 400 curtinha   O vereador licenciado e secretário estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo, foi um cabo eleitoral incansável pela candidatura de Fred Gahyva (foto) a vereador pela Capital. Ele liderou reuniões nas unidades de saúde, reforçando pedido de voto para o aliado e amigo de...

Deputado agora pula de palanque

elizeu nascimento 400 curtinha   O ex-vereador e hoje deputado estadual Elizeu Nascimento (foto), que amargou a oitava colocação na disputa ao Senado na eleição suplementar do último dia 15, mudou de lado, como se troca de camisa. Em princípio, era apoiador do projeto de reeleição do prefeito...

Ex-aliado, Sales lembra quem é Abílio

coronel sales 400   Em mensagem enviada aos amigos, reforçando pedido de voto para Emanuel Pinheiro, o coronel PM da reserva e secretário de Ordem Pública da Capital, Leovaldo Sales (foto), diz conhecer bem os dois candidatos que disputam, neste segundo turno, o Palácio Alencastro. Sobre Emanuel, lembra que este tem...

Uma perna no muro e dicas indiretas

eduardo botelho 400 curtinha   O presidente da Assembleia, Eduardo Botelho (foto), chega ao final deste 2º turno das eleicões em Cuiabá com uma perna no muro. Ele liberou toda sua equipe para votar em quem quiser e todos pedem voto para Emanuel. Já Botelho, particulamente, preferiu não assumir publicamente o seu...

Nezinho, nova derrota e aposentadoria

nezinho 400   Aos 69 anos, o petebista Carlos Roberto da Costa, o Nezinho (foto), considerado da velha guarda política, tentou, mas foi reprovado nas urnas em Nossa Senhora do Livramento. Ele concorreu a prefeito em quatro pleitos. E já exerceu dois mandatos. Nezinho já foi secretário-adjunto de Fazenda do Estado,...

MAIS LIDAS