Últimas

Domingo, 04 de Fevereiro de 2007, 08h:37 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Artigo

Assembléia Legislativa e a História

   Para o jornalista Onofre Ribeiro, a Assembléia Legislativa está em débito com a sociedade. Confira artigo abaixo, publicado neste domingo (4) no Diário de Cuiabá.

    A Câmara Federal deu posse a uma legislatura que entra sob fortes suspeitas de continuar o corporativismo e os favoritismos anteriores. O presidente eleito vem de um DNA suspeito, o Partido dos Trabalhadores e suas alopradas trapalhadas dos últimos dois anos. Mas o que vai pesar mesmo é a compreensão dos ilustres parlamentares de que eles representam um Brasil real, encravado numa ilha de fantasia chamada Brasília.
    Mato Grosso contribuiu majoritariamente, com sua bancada de deputados em todos os escândalos surgidos desde 2005: dos mensaleiros, dos bingos, da corrupção e dos sanguessugas. Teve ilustres representantes. O maior tempo dos nossos parlamentares tem sido dedicado ao despacho de emendas parlamentares com recursos pulverizados aqui e ali nos municípios num autêntico caça-votos. Como tudo é caro, inclusive a manutenção do mandato, somada com o custo da obtenção, as emendas acabam se tornando um poderoso caça-níquel generalizado.
    Enquanto isso, nada de importante se vota. Ou, o pouco que se vota passa batido na maioria absoluta das vezes, ou filtrado pelos interesses dos líderes de bancada ou dos negócios generalizados. É uma verdade muito cruel, porque os parlamentares deixam de legislar e de fiscalizar o Executivo, que são as suas principais tarefas.
    Aqui no estado, a Assembléia Legislativa está em débito com a sociedade. Produz pouco e segue a mesma cartilha corporativa da bancada federal. O poder Executivo exerce poder absoluto sobre o Legislativo, que não reage porque mobiliza uma poderosa máquina de interesses primários e secundários.
   O deputado Sergio Ricardo, eleito presidente da Assembléia Legislativa de Mato Grosso, principalmente por ser um homem de comunicação, somado com a sua juventude, tem o dever absoluto de trazer a chamada Casa do Povo para a realidade da sociedade.
   O distanciamento da sociedade, a elitização dos interesses votados, a negociação de projetos com o Executivo estadual ou com prefeitos, por votos, muitos em conversas inconfessáveis é um ciclo que chega ao fim. A avaliação parlamentar dentro da sociedade é péssima. Nesta semana ouvi de um professor da Universidade Federal de Mato Grosso, da área de ciências humanas, esta definição: “os bons não entram na política para não se sujarem no lamaçal”.
   Ora, como disse pesquisa publicada na revista “Veja” da semana passada, “não se pode viver sem os deputados”, por exigência do sistema democrático. Por si só, isto bastaria para que o exercício parlamentar fosse mais transparente. Do lado de cá do balcão o respeito é muito pouco comparado com a importância institucional do Parlamento.
   Foi pequena a renovação da Assembléia Legislativa, mas seria muito útil que a Mesa Diretora folheasse a história passada da Casa do Povo, para rememorar que foi possível, em tempos muito mais difíceis dos que o atual, manter a sociedade dignamente representada. E nada cobra mais duro do que a História. Hoje tudo pode parecer muito conveniente, mas a História é um juiz muito crítico. 

Onofre Ribeiro é articulista do Diário de Cuiabá e da revista RDM (
onofreribeiro@terra.com.br
)

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Nomes do DEM para vereador de VG

pablo 400 curtinha   O DEM do casal Jayme-Lucimar, senador e prefeita, respectivamente, é dono da maior bancada na Câmara de Várzea Grande, com sete dos 21 vereadores. Destes, cinco já estão trabalhando projeto de reeleição, sendo eles Gisa Barros, que era do PSB; Valdemir Bernadino, o Nana; Pedro...

Flerte com candidato de outro partido

selma arruda 400 curtinha   Apesar de estar filiada ao Podemos, a ex-senadora Selma Arruda, que teve o mandato cassado por crimes eleitorais e deixou a cadeira neste ano, continua flertando com o pedetista, empresário e vice-governador Otaviano Pivetta, que não demonstra mais tanto ânimo para continuar com o projeto de disputa...

Joelson e as traições política e familiar

joelson 400   Dos 23 vereadores pela Capital que vão à reeleição, o que mais deve enfrentar dificuldades para obter êxito nas urnas é o sargento Joelson (foto), que aproveitou a janela de março e trocou o PSC pelo Solidariedade. Primeiro, por causa da atuação pífia. Trata-se de um...

Calistro, dúvida à reeleição e Sumaia

sumaia leite 400 curtinha   Jânio Calistro, reeleito para o 2º mandato de vereador em 2016 e como o mais votado em Várzea Grande, com 3.658 votos pelo PSD, se mudou para o DEM dos Campos, mas ainda avalia se vai encarar o teste das urnas deste ano. Ele se mostra um tanto baqueado, após ficar preso por três meses. E...

Grupos convergem para Emanuelzinho

emanuelzinho 400   O jovem deputado federal Emanuelzinho (foto) está cada vez mais empolgado com a possibilidade de disputar a Prefeitura de Várzea Grande. Até se mudou da Capital para a cidade vizinha, onde montou apartamento no Edifício Maktub. Uma das revelações políticas do PTB, Emanuelzinho tem...

Câmara de ROO e pasta de Controle

orestes miraglia 400 curtinha   A Câmara de Rondonópolis deu de ombros para uma decisão do Tribunal de Justiça e, em primeira votação, aprovou mensagem do prefeito Zé do Pátio, criando a secretaria de Transparência Pública e Controle Interno (SETRACI) em...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Em Cuiabá, o prefeito suspendeu a decisão de implantar rodízio de veículos entre placas pares e ímpares devido à Covid-19. Mas quer debater a ideia. Você concorda com rodízio?

concordo

discordo

tanto faz

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.