Últimas

Sábado, 05 de Maio de 2007, 12h:01 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Artigo

Até a Planam nas Contas

 

  O vereador oposicionista Lúdio Cabral (PT) explica as razões por ter votado contra a aprovação do balancete de 2005 da gestão Wilson Santos (PSDB). Segundo ele, das 49 irregularidades identificadas pelo TCE, 28 foram consideradas insanáveis. Considera que, dessa forrma, a administração "não está tão moderna assim".Confira abaixo.

    No estado democrático de direito cabe às oposições exercerem a consciência crítica dos governos. É do balanço entre o interesse dos governos e o papel fiscalizador da oposição consciente que se contrói o processo democrático e boas políticas públicas.
   Foi essa consciência, associada à análise e ao debate de todas as irregularidades apontadas pelo Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE-MT) sobre as contas da Prefeitura de Cuiabá no ano de 2005, que orientou o meu posicionamento contrário à aprovação destas contas pela Câmara Municipal, na última quinta-feira.
  Afinal, as 49 irregularidades identificadas pelo TCE, 28 das quais insanáveis, significam que não está tão moderna assim a administração da capital.
   Ficou claro que a Educação não tem sido prioridade no governo que tem “mania de educação”. Senão, não seria preciso acrescentar às despesas com educação de 2005 mais de 2 milhões de reais gastos com recolhimento de dívidas em consignação de anos anteriores para alcançar o mínimo de 25% da receita de impostos exigido pela Constituição Federal. Sem falar na gestão deficiente e pouco transparente dos recursos do Fundef, o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e Valorização do Magistério, que dificultou ao TCE identificar se a prefeitura cumpriu o mínimo de 15% da receita de impostos com o ensino fundamental.
   A amostragem feita pelo Tribunal nas licitações realizadas pela Prefeitura de Cuiabá em 2005 é emblemática no desrespeito à lei.
   Alterações nos editais que favoreceram empresas ganhadoras, dentre as quais a licitação da publicidade da prefeitura vencida pelas empresas que fizeram a campanha do prefeito. A Planam do caso "sanguessugas" foi favorecida em licitação para compra de ambulâncias. Obras na educação e até a dedetização do palácio Alencastro foram objeto de desdobramento irregular de despesas. Dispensas de licitação, objetos de licitação não claros, empenhos a posteriori, contratos sem assinatura, sem valor e prazo de vigência, são outras irregularidades.
   Até a contratação do arquiteto Jaime Lerner, com inexigibilidade de licitação, ao custo final de 480 mil reais, foi objeto de irregularidade insanável, por não ter sido publicada na imprensa oficial, pela falta de orçamento detalhado dos serviços a serem executados, por não apresentar justificativa para o preço nem para a escolha do executante do serviço e pela ausência de saldo orçamentário para a sua realização.
   A exigência do TCE-MT de envio mensal de informações das contas municipais através do sistema APLIC (Auditoria Pública Informatizada de Contas), mecanismo de transparência às contas públicas, não foi cumprida pela prefeitura em nenhum dos meses de 2005.
   A prefeitura não organizou em 2005 um tacionograma com os cargos e a quantidade de vagas para cada cargo. O TCE não pôde saber se o número de servidores contratados estava de acordo com o autorizado em lei.
   De um total de R$ 5,1 milhões, a prefeitura deixou de repassar R$ 3 milhões ao Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PASEP).
   Indicadores das políticas públicas não foram acompanhados ao longo do ano nem tiveram seu resultado demonstrado na prestação de contas anual.
   Por fim, e por falta de espaço neste artigo, espero sinceramente um cenário melhor nas contas de 2006 e dos dois anos seguintes. Até porque não quero passar quatro anos reprovando contas e Cuiabá merece uma administração eficiente, transparente e de fato moderna e solidária.


Lúdio Frank Mendes Cabral, 36, é médico sanitarista e vereador pelo Partido dos Trabalhadores em Cuiabá


Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

2 frentes do MDB e apostas em Cuiabá

gustavo padilha 400 curtinha   O MDB vive uma situação curiosa em Cuiabá. Embora no comando da prefeitura, com Emanuel Pinheiro, o partido só conseguiu reconquistar cadeira na Câmara há três meses, com a filiação de Juca do Guaraná, aproveitando a janela partidária. Em 2016,...

Opositores ganham força em Barra

adilson gon�alves 400 curtinha   Grupos de oposição estão ganhando "musculatura" em Barra do Garças, numa expectativa otimista de derrotar o candidato apoiado pelo prefeito Beto Farias (MDB), o atual vice Wellington Marcos, que está filiado ao DEM. Wellington é considerado nome "pesado"...

Cuiabá já conta com 10 "prefeitáveis"

paulo grando 400 curtinha novo   Dez partidos já possuem um ou mais pré-candidatos a prefeito de Cuiabá. E a "inflação" de nomes tende a aumentar empurrada pela necessidade de sobrevivência dessas legendas, que, lançando nome à majoritária, ajudam seus candidatos a vereador na busca por...

Apoio de Bolsonaro é aposta de França

roberto franca 400 curtinha   Roberto França (foto) segue cheio de esperanças do apoio de Bolsonaro a seu nome como pré-candidato a prefeito de Cuiabá. Entre o sim e o não, preferiu seguir o calendário eleitoral e se afastar da apresentação do seu tradicional programa de TV Resumo do Dia, de...

Adin contra nomeação em Cáceres

angelo audicom 400 curtinha   Presidida por Ângelo Silva de Oliveira (foto), a Audicom-MT, entidade que congrega auditores e controladores internos dos municípios do Estado, ingressou com Adin no Tribunal de Justiça, pleiteando liminar para, assim como ocorreu em Rondonópolis, também derrubar uma lei em vigor...

Viúva de Adriano disputa em Cáceres

anelise silva 400 curtinha   Anelise Silva (foto), viúva do ex-reitor da Unemat e ex-deputado Adriano Silva, lançou pré-candidatura à prefeita de Cáceres pelo DEM do governador Mauro. Ela enfatiza que sofre a dor da perda e que decidiu entrar no páreo para dar continuidade ao projeto de Adriano de...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Em Cuiabá, o prefeito suspendeu a decisão de implantar rodízio de veículos entre placas pares e ímpares devido à Covid-19. Mas quer debater a ideia. Você concorda com rodízio?

concordo

discordo

tanto faz

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.