Últimas

Segunda-Feira, 16 de Julho de 2007, 11h:47 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:16

Artigo

Atestado médico, direitos e deveres

     Muitas dúvidas e idéias equivocadas cercam a questão do atestado médico. E isso não acontece somente com a população, mas também com os próprios médicos. O atestado médico é um documento freqüentemente solicitado, seja em consultas de rotina ou de urgência.
     O atestado médico é um direito do paciente e não pode ser negado. Contudo, o conteúdo desse documento é de inteira responsabilidade do médico, devendo refletir estritamente seu parecer técnico. É muito importante destacar e lembrar que o atestado médico tem fé pública, ou seja, é considerado verdadeiro até prova contrária.
     Percebemos que com o estreitamento da relação médico-paciente ou devido ao apelo do cliente, o atestado médico se banalizou e é visto como um simples papel que resolve um problema. Com um atestado médico em mãos, o trabalhador poderá faltar ao trabalho sem ser repreendido pelo patrão nem ter o dia descontado ou o aluno poderá faltar a uma prova importante da faculdade ou colégio e refazê-la depois. Ou ainda, pessoas investigadas ou solicitadas pela Justiça utilizam este meio para se esquivar de depoimentos e audiências.
     É muito comum um paciente chegar em nossos consultórios pedindo um atestado para justificar esses tipos de faltas. Quando um médico elabora um atestado médico falso, está cometendo uma infração ao Código de Ética Médica e também ao Código Penal Brasileiro. O capítulo X do Código de Ética trata exclusivamente sobre o assunto. O artigo 110 veda o profissional de "fornecer atestado sem ter praticado o ato profissional que o justifique, ou que não corresponda à verdade". Já o artigo 302 do Código Penal proíbe o médico de emitir, no exercício da sua profissão, atestado falso, com pena de detenção de um mês a um ano.
     Há casos também de profissionais que utilizam o atestado médico como forma de comércio. E tanto os Códigos de Ética como o Penal reprovam tal prática.
     O atestado médico pode ser: atestado de sanidade; admissional; demissional; de comparecimento; de óbito, de afastamento; de portador de doenças; de perícia médica entre outros. Nele deve constar a identificação do paciente, a finalidade do atestado e pode conter recomendações de afastamento de atividades para recuperação, em casos de doenças. O atestado pode ser retroativo, relatando acontecimentos do passado.
     A descrição do Código Internacional de Doenças (CID) ou do diagnóstico não é obrigatória. Firmas particulares e órgãos públicos cobram de seus funcionários esse código nos atestados médicos para que tenha validade. Porém essas exigências prejudicam o paciente. Tendo seu diagnóstico facilmente descoberto e, dependendo de sua doença, ele pode ser discriminado em seu local de trabalho e perante a sociedade. O CID só deve ser colocado no atestado médico com expressa autorização do paciente, conforme determinam os artigos 102 e 107 do Código de Ética Médica. A revelação ou não do CID ou do diagnóstico é, portanto, uma decisão do paciente, e não do médico, que corre o risco de ser penalizado por violação de segredo profissional. Desta forma, a empresa não poderá obrigar o médico a colocar o diagnóstico ou o CID nos atestados, sem autorização do paciente.
     A legislação não prevê a questão do abono de faltas no caso do empregado que se ausenta do trabalho para acompanhar seu dependente em uma consulta médica ou internamento, independente de idade ou condição de saúde.
     O atestado médico é um produto de trabalho e deve ser usado de forma racional tanto pelo profissional como pelo paciente.

Aguiar Farina é médico ginecologista e mastologista, presidente do Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso (CRM-MT) escreve em A Gazeta às segundas-feiras (crmmt@crmmt.com.br)

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Jayme incomodado com Flávio em VG

jayme campos 400 curtinha   A candidatura a prefeito de Várzea Grande do empresário Flávio Frical (PSB), principal aposta da oposição, passou a incomodar a família Campos, que apoia o ex-vereador Kalil Baracat, concorrente ao Executivo pelo MDB. Em uma noite que seria de festa, em comemoração...

Acordo com Euclides partiu de Allan

allan kardec 400   Otaviano Pivetta, vice-governador licenciado por 30 dias para cuidar de problemas de saúde, disse que nada tem a ver com o tal acordo "costurado" pelo presidente regional do PDT, deputado Allan Kardec (foto), com Euclides Ribeiro, candidato a senador pelo Avante. Explica que só apresentou Euclides para Allan e...

Família Maia tenta retomar o poder

martha maia 400   O ex-prefeito de Alto Araguaia por quatro vezes, Maia Neto, não entrou na disputa de novo ao Executivo, mas lançou a irmã Martha Maia (foto), cuja filha Sylvia Maia é vereadora. Filiada ao PP, Martha entra como principal candidata da oposição ao prefeito Gustavo Melo, que vai à...

Welinton fará grande ato em Barra

welinton marcos 400 curtinha   Welinton Marcos (foto) lança sua candidatura a prefeito de Barra do Garças, na segunda (28), em um grande ato. Mesmo pelo sistema drive-in, devido à necessidade de adotar medidas sanitárias contra a Covid-19, são esperadas na solenidade cerca de mil pessoas, num espaço amplo,...

Irmão de Riva está na disputa em Juara

priminho riva 400 curtinha   O irmão do ex-deputado José Riva, Priminho Riva (foto), filiado ao PL, será mesmo candidato a prefeito em Juara, posto já ocupado por ele por duas vezes (1997/2004). Priminho pertence a uma famíliade políticos. Além de Riva, que foi prefeito e deputado, é...

PSB deve ficar fora da aliança de EP

max russi curtinha 400   O PSB, presidido pelo deputado Max Russi (foto), pulou mesmo do barco de Emanuel Pinheiro. Deve formalizar apoio à candidatura de Roberto França ao Alencastro. O PSB não consta na lista oficial de siglas que estão com o prefeito, que busca à reeleição. Os 11 que estão...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você acha que o efeito-Bolsonaro terá impacto no resultado das eleições de novembro em MT?

sim - onda Bolsonaro continua

não - efeito não influencia mais

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.