Últimas

Quinta-Feira, 24 de Maio de 2007, 07h:08 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

PESQUISA MARK

Casal Schineider é a principal ameaça ao prefeito

     A principal ameaça à reeleição do prefeito de Sapezal (a 473 km de Cuiabá), João César Borges Maggi, é a família Schineider, ou com o ex-prefeito Aldir ou com a ex-primeira-dama Elaine Maria Schineider, a Preta. Se a disputa pelo comando do município acontecesse hoje entre Maggi e Elaine, o prefeito garantiria um novo mandato com 52,4% das intenções de voto. A pré-candidata do PSDB teria 25,9%. Os indecisos somam 15%, conforme revela a pesquisa Mark, feita no início desta semana.

   Já se o confronto fosse entre o prefeito e o seu antecessor Schineider, César Maggi, de novo, ganharia. Chegaria a 53,1%. O tucano ficaria com 23,1% dos votos (quadro 14).

   De todo modo, em todas as simulações realizadas pelo instituto, o prefeito figura em primeiro lugar. Num confronto com o médico Roberto Neiva de Figueiredo (PT), por exemplo, Maggi seria reconduzido à prefeitura com respaldo de 54,4% do eleitorado, enquanto o petista obteria 15,6% (quadro 11).

    Contra o engenheiro agrônomo Paulo Adriano Seno, uma das opções de candidatura do PMDB, o prefeito teria uma vantagem "elástica": 57,1% a 8,8% (simulação 12). Se a disputa fosse contra o comerciante Jorge Basei Vilage, também do PMDB, César Maggi ganharia com 56,5% contra 8,8% (quadro 15).

   Caso o seu único adversário nas urnas fosse o pré-candidato do PSB, o comerciante Horácio Cardoso, César Maggi ganharia com 57,1%. Horácio obteria somente 11,6% dos votos (estimulada 16), segundo detecta a Mark Instituto de Pesquisa e Opinião, propriedade dos empresário Marco Polo de Freitas, o Popo, e Bárbara Helena Pinheiro.

    Entre Maggi e Paulo Sachetti, pré-candidato do Democratas, o primeiro sairia vitorioso das urnas com 53,1%. Sachetti ficaria com 15%. Nesse caso, o universo de indecisos chega a 21,1% (quadro 17).

   Numa outra simulação (quadro 18), entre dois Maggi, o prefeito João César Maggi e o primo Fernando Maggi, irmão de Eraí, o prefeito teria uma larga vantagem. César Maggi seria reeleito com 54,4%, enquanto Fernando ficaria com 13,6%.

    Contra a atual secretária-adjunta de Ciência e Tecnologia do governo Maggi, Ilma Grisoste Barbosa (PR), o prefeito também impõe uma frente ampla. No confronto, ele atingira a 57,1% das intenções de voto, ao passo que Ilma ficaria com apenas 8,2%. O percentual de indecisos seria de 22,4%.

   Com Augustinho

   Entre as várias simulações, a Mark confrontou o desempenho eleitoral de José Guarino, que já concorreu a prefeito em 2004, e o atual secretário estadual de Saúde, Augustinho Moro. Nesse caso, Guarino venceria com 40,1%, enquanto Augustinho "abocanharia" 17,7% dos votos (quadro 20).

   Contra o médico e vereador Roberto de Figueiredo, Augustinho Moro levaria uma pequena vantagem, conforme revela a Mark, no quadro 21. O secretário de Saúde ficaria com 18,4%, enquanto o petista teria 17%, uma condição de empate técnico, já que a margem de erro é de 3% para mais ou para menos.

    Augustinho imporia hoje uma larga vantagem se, na corrida à sucessão em Sapezal, tivesse como único adversário o engenheiro Paulo Adriano, do PMDB. O secretário ficaria com 22,4% dos votos, enquanto o peemedebista teria 9,5%. Com os dois no páreo, o percentual de indecisos é de 51,7%, enquanto 16,3% disseram que votariam em branco ou anulariam o voto.

   Tanto numa disputa contra Paulo Sachetti quanto com Elaine Schineider, Augustinho Moro levaria desvantagem. Contra Sachetti, o secretário do governador Blairo Maggi teria 16,3%, enquanto o pré-candidato do DEM ficaria com 26,5%. Já no confronto com Elaine, esta ganharia por 45,6% a 14,3%. Aldir Schineider impõe hoje uma frente de 25 pontos percentuais sobre Augustinho (41,5% a 16,3%).

    O secretário também perderia para César Maggi, numa desvantagem de 28,5 pontos percentuais (quadro 26). Em princípio, Augustinho Moro chegou a demonstrar interesse pela disputa eleitoral, mas já descartou essa possibilidade. Apóia a reeleição de César Maggi.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Joelma | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    olha eu acho muito cedo ainda para o prefeito se deispor a uma reeleicao pois acho que ele pode ser um bom administrador sim isso nao tenho duvidas mas o povo a grande massa da populacao o tem como um politico nao muito ( simpatico ) nao deveria ser assim mas sabemos que no Brasil de uma forma geral isso conta muito
    grata
    Joelma

EP vira "garoto propaganda" do HMC

emanuel hmc 400 curtinha   Emanuel Pinheiro (MDB) não se conteve e gravou um vídeo de um minuto e 35 segundos em que aparece em frente ao HMC. E, imitando a passagem de um repórter de TV, convida a população a conhecer o recém-inaugurado hospital. Enquanto fala, imagens mostram salas, equipamentos e a...

DEM "esconde" candidatos a vereador

beto 2 a 1 400 curtinha   O presidente do DEM em Cuiabá, Beto 2 a 1 (foto), secretário estadual de Governo, faz mistério sobre a chapa que está sendo montada para concorrer a vagas na Câmara de Cuiabá. Não esconde apenas o nome do vereador Marcelo Bussiki que, em março, deixa o PSB aproveitando...

Fávero e peso político em novo partido

silvio favero 400   A definição pelo presidente Jair Bolsonaro para que Silvio Fávero conduza a Comissão Provisória em MT da Aliança pelo Brasil, partido que só será criado oficialmente no próximo ano ou em 2021, representa peso político importante para o deputado de primeiro...

Prefeito estoura limite e TCE faz vetos

francis maris 400 curtinha   No sétimo e penúltimo ano de mandato, o prefeito cacerense Francis Maris (foto) segue na mesma toada, de que a administração precisa continuar "enxugando" a máquina, embora já tenha conseguido o equilíbrio fiscal e que quem o suceder receberá uma gestão...

Vice muda de partido e vai a prefeito

leandro felix 400 curtinha   O vice-prefeito de Nova Mutum e primeiro-suplente de deputado estadual, Leandro Félix (foto), pretende deixar o DC. Deve se filiar no Podemos ou no PRB. Vai depender da orientação política dos irmãos Adriano (Podemos) e Otaviano Pivetta (PDT), respectivamente, prefeito de Mutum e...

Câmara só regulamenta salário de EP

misael partido 400 curtinha   Ao fixar o salário do prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro em R$ 27 mil, a Câmara de Cuiabá, sob Misael Galvão (foto) não aumenta o subsídio de Emanuel de imediato, mas sim regulamenta o valor que já era pago desde dezembro de 2018. O imbróglio começou...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Como você avalia a decisão do Supremo de suspender prisão imediata após julgamento em segunda instância?

Concordo

Discordo

Tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.