Últimas

Sábado, 06 de Janeiro de 2007, 01h:15 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Artigo

Chocadeiras da violência (2)

     O jornalista Onofre Ribeiro faz algumas considerações diretamente ligadas à raiz da violência urbana. Confira no artigo publicado no Diário de Cuiabá neste sábado (6) e reproduzido abaixo. 
   

      Uma vez compreendidas as causas da origem social dos problemas geradores da violência urbana no Brasil, é preciso traçar o exato momento em que se romperam os vínculos entre dos valores coletivos. Para isso, vou relatar um fato que ouvi da boca de duas professoras cuiabanas, de uma escola no bairro Jardim Industriário, na região do Coxipó. Ele é especialmente didático porque pode ser aplicado a qualquer região do Brasil, principalmente nas médias e grandes cidades.

        Na escola elas convivem com alunos que vêm das camadas mais pobres do bairro, que é periférico da capital. São crianças filhas de mães separadas e raramente o companheiro da mãe é o pai. Então, existe o descompromisso paternal, somando à violência contra a mãe e contra os filhos, o álcool como pano de fundo para piorar as relações. E o pior é a promiscuidade. Dormem quase todos espalhados pelo chão, facilitando ligações incestuosas.

      Com essa cultura, as crianças chegam à escola onde deságuam todas as suas frustrações no grupo. Tornam-se agressivas na força do conjunto e exercem uma liberdade exagerada. As meninas adoram ser chamadas de “galinhas” porque lhes dá prestígio entre os meninos. A gravidez dá status, mas a responsabilidade com o filho é jogada nas costas da mãe, já sobrecarregada. Eles percebem que a vida útil da infância e da adolescência ali é muito curta.

       Outra atitude dos alunos, é a violência entre eles próprios e as ameaças aos professores. Meninos armam-se da faca e estiletes, e ameaçam professores na maior tranqüilidade. Ser preso dá status aos garotos. Eles trazem da prisão o aprendizado que não tinham da violência e as experiências que ouviram e aplicam assim que voltam.

     Aqui entram duas considerações diretamente ligadas à raiz da violência urbana:

1 - as creches públicas são poucas, mal aparelhadas e atendem a quase nada da demanda quando se compara que 58,8%(dados do IBGE-2006) dos lares cuiabanos são dirigidos por mulheres, cuja maioria é pobre e trabalha para sustentar a família. Creche deveria ser prioridade social à luz da segurança;

2 - o Brasil é o único país nas Américas, cuja escola fundamental e do ensino médio não funciona em horário integral. A escola ensinaria as letras e teria o tempo necessário para ensinar valores, cidadania, dar preparo para a vida. O aluno fica quatro horas na escola, e o resto do tempo na rua onde acaba se envolvendo com situações de risco.

      Como se vê, somando-se a falta de oportunidades nos bairros, a violência nasce muito cedo. Ele recruta desde a tenra infância e constrói uma cultura de permissividade que deságua na delinqüência infanto-juvenil e adulta, cada vez mais violenta e sem princípios. Como exigir que esses jovens marginalizados, uma vez marginais, respeitem valores como a vida, a propriedade, o conceito de sociedade? Eles não têm a mínima obrigação de serem decentes aos olhos da sociedade que os transforma no que se tornam. A raiz da violência é social. Não é policial! O assunto continuará na terça-feira, dia 9.



* ONOFRE RIBEIRO é articulista deste jornal e da revista RDM (onofreribeiro@terra.com.br)

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Deputado ajudou a enterrar Binotti

neri 400 curtinha   O deputado federal Neri Geller (foto), que se acha um grande líder político, ajudou a enterrar nas urnas o projeto de reeleição do prefeito Luiz Binotti (PSD), derrotado à reeleição. Perdeu para o ex-vice-prefeito Miguel Vaz (Cidadania), que contou com apoio do ex-prefeito e atual...

Euclides "torra" R$ 8 mi na campanha

euclides ribeiro 400 curtinha   O advogado milionário Euclides Ribeiro (foto), que tem na carteira de clientes grandes produtores rurais, registra R$ 8,2 milhões de receitas e despesas de campanha ao Senado. Concorrendo pelo Avante, Euclides só chegou a 58.455 votos. Ficou em nono lugar, à frente apenas de Reinaldo...

Fávaro é quem mais gastou ao Senado

carlos favaro 400 curtinha   O senador reeleito Carlos Fávaro (foto) foi o que mais gastou na campanha. Oficialmente, arrecadou R$ 11,7 milhões. As maiores contribuições financeiras vieram de empresários do agronegócio. Orcival Guimarães, dono de rede de empresas de implementos agrícolas, doou...

Beto deve repensar projeto a federal

beto farias 400 curtinha   A derrota nas urnas do seu afilhado político, vice-prefeito Wellington Marcos (DEM), que tentou o Executivo de Barra do Garças e ficou em segundo lugar, obtendo somente metade dos votos em relação aos atribuídos ao eleito Adilson Gonçalves, pode levar o prefeito Beto Farias (foto)...

Erros estratégicos e fim de mandato

niuan ribeiro 400   Niuan Ribeiro (foto) termina melancolicamente o mandato de vice-prefeito da Capital, marcado pela ambiguidade, erros estratégicos e vacilações. Logo no início da gestão, resolveu romper politicamente com o prefeito Emanuel, a quem passou a criticar, achando que se consolidaria como...

Retorno ao TCE ou cargo no governo

marcelo bussiki 400 curtinha   A partir de 1º de janeiro, com o fim do mandato de vereador pela Capital, Marcelo Bussiki (foto) retorna ao cargo efetivo de auditor do TCE-MT. Mas é possível que ele seja convidado por Mauro Mendes para compor o quadro de principais assessores do chefe do Executivo estadual. Bussiki foi...

MAIS LIDAS