Últimas

Quarta-Feira, 04 de Abril de 2007, 00h:00 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Artigo

Coisas do cotidiano

   Neste artigo, o jornalista Kleber Lima discorre sobre a cidade, sua modernidade, cotidiano e contraste. Confira abaixo.

     A cidade é uma invenção que marca em definitivo a modernidade. As cidades nem sempre foram como as conhecemos hoje. Já foram meros burgos - concentração de pessoas voltadas para o comércio e o trabalho. Hoje as cidades são modernas, com luz elétrica, sistemas de saneamento, arranha-céu, viadutos, ruas asfaltadas, shoppings centers, e principalmente com inúmeros centros de convivência de todas as tribos. As cidades de hoje são, sobretudo, isso: um ambiente de convivência social.
       Apesar da evolução do conceito de cidade, ainda vivemos em alguns aspectos seu lado província, onde todos se conhecem pelo nome, e onde a fofoca e o paroquialismo predominam.
      Trago três exemplos desse contraste da cidade moderna x burgo em nosso quotidiano de hoje em Cuiabá.
       O primeiro é o caso do requerimento de visita íntima feito pelo detento João Arcanjo Ribeiro, o Comendador. O fato foi imediatamente transformado em bizarro espetáculo, com a exposição da intimidade do preso, e também da sua "esposa" aqui fora. Apareceram especialistas em tudo para sustentar a tese de que a visita íntima se constituiria num privilégio sem tamanho. Não adiantou o contrato de união estável, válido para todo tipo de outra circunstância, já que há uma predisposição na opinião pública de condenar o comendador por tudo, negando-lhe, inclusive, aquilo a que tenha, eventualmente, direito líquido e certo.
      É verdade que eu deveria estar me ocupando dos cidadãos de bem, diria a consciência do senso comum. Mas é essa "consciência" do senso comum - uma falsa consciência na verdade, por estar eivada de preconceitos e deformações -, em geral a maior responsável pelas tiranias e distorções da realidade.
       O segundo é o triste caso daquela criança supostamente assassinada pela própria mãe no CPA. O senso comum fez várias vítimas, além da criança. O sistema de saúde do município foi a primeira. Depois, os filhos da babá e a própria. Até que finalmente houve a confissão da mãe. Apesar de que, à luz do direito, a simples confissão não a torna culpada de nada. Essa proclamação de culpa cabe a um tribunal. Mas o igualmente triste e lamentável na nossa cidade-província foi a nossa sanha de encontrar um culpado a qualquer custo, mesmo que isso tornasse vítimas pessoas inocentes.
    Finalmente, vejo outdoors espalhados pela cidade com o seguinte enunciado: a crise no sistema de saúde de Cuiabá não é culpa dos médicos.
     Ora, o médico é essencial ao sistema de saúde. Sem ele, não haveria sistema de saúde. É dele, portanto, a maior parte da responsabilidade, sim. Sobretudo levando-se em conta sua condição de líder nato do sistema, cabendo-lhe, em primeira e última instância, o bem estar do paciente.
     Não digo que é sua culpa. É preciso distinguir culpa de responsabilidade. A política de saúde é falha, se é que há de fato uma "política" de saúde. Os recursos, em muitos casos, são insuficientes. Mas, é fato também que o descompromisso com a saúde pública grassa em todo o sistema, do atendente, que atende mal, ao médico, que também tapeia o sistema, fechando a porta do consultório da rede pública para dormir de madrugada, enquanto as pessoas carentes aguardam nas filas ao relento; ou se utilizando do SUS apenas como porta de entrada para seus hospitais e consultórios particulares.
    Logo, não dá para negar a responsabilidade dos médicos quanto ao estado da saúde pública. E, nesse sentido, foi providencial a campanha de outdoors, ao menos para chamar a atenção da sociedade para definir o grau de responsabilidade de cada agente do sistema, de cada dirigente público, e também a dos cidadãos.
     Se bem que acho que no fundo isso já seria pedir demais. Talvez o melhor mesmo fosse colocarmos vidros cada vez mais escuros em nossos carros, ou nos fingir de cegos, para os que andam a pé, para não enxergar determinadas cenas do cotidiano citadino moderno, já que voltar aos burgos, simplesmente, não é mais possível.

Kleber Lima é jornalista pós-graduado em marketing (kleberlima@terra.com.br)

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Corrida de Teis no noticiário nacional

waldir teis 400 curtinha   As imagens que mostram o conselheiro afastado do TCE Waldir Teis (foto) descendo em alta velocidade as escadas de um prédio para jogar no lixo vários cheques rasgados que somavam R$ 450 mil ganharam o noticiário nacional, com destaque neste domingo em veículos, como Folha de S. Paulo, G1 e IG....

Esforço de ex-senadora para eleger 2

rafael ranalli curtinha 400   Eleita no pleito de 2018 e cassada em definitivo em abril deste ano, a ex-senadora Selma Arruda, presidente do Podemos de Cuiabá, pode deixar o partido após o processo eleitoral deste ano. Segundo informações, a juíza aposentada se afastaria da política partidária para...

6 parlamentares já foram infectados

wilson santos 400 curtinha   Desde o início da pandemia, em março, seis dos 24 deputados estaduais já testaram positivo para Covid-19. O último foi Wilson Santos (foto). Ele disse que recebeu medicação e está em isolamento. Observa que a doença está no início e segue trabalhando...

Pedido para TSE definir data da eleição

sebastiao carlos 400 curtinha   Na última quarta (2), um dia após a Câmara aprovar a PEC que adia as eleições municipais para 15 de novembro, André de Albuquerque Teixeira, advogado de Sebastião Carlos, que concorreu ao Senado e um dos que denunciaram Selma Arruda por crimes eleitorais, já...

Uma das apostas do PP para vereador

alex rodrigues 400 curtinha   O PP já tem no rol de possíveis eleitos a vereador em Cuiabá o jovem Alex Rodrigues (foto), de 31 anos. Filho do empresário Valúcio Rodrigues e sobrinho do secretário de Obras Públicas da Capital, Wanderlúcio Rodrigues, Alex criou uma comunidade com mais de mil...

Prefeito, efeito pandemia e a reeleição

ze do patio 400 curtinha   Mesmo com o poderio da máquina, considerada preponderante para cooptar partidos e aliados por causa da oferta de cargos e do assistencialismo, o prefeito Zé do Pátio (foto), de Rondonópolis, terceira em população e segunda no ranking da economia estadual, terá muitos...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Em Cuiabá, o prefeito suspendeu a decisão de implantar rodízio de veículos entre placas pares e ímpares devido à Covid-19. Mas quer debater a ideia. Você concorda com rodízio?

concordo

discordo

tanto faz

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.