Últimas

Quarta-Feira, 04 de Abril de 2007, 00h:00 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Artigo

Coisas do cotidiano

   Neste artigo, o jornalista Kleber Lima discorre sobre a cidade, sua modernidade, cotidiano e contraste. Confira abaixo.

     A cidade é uma invenção que marca em definitivo a modernidade. As cidades nem sempre foram como as conhecemos hoje. Já foram meros burgos - concentração de pessoas voltadas para o comércio e o trabalho. Hoje as cidades são modernas, com luz elétrica, sistemas de saneamento, arranha-céu, viadutos, ruas asfaltadas, shoppings centers, e principalmente com inúmeros centros de convivência de todas as tribos. As cidades de hoje são, sobretudo, isso: um ambiente de convivência social.
       Apesar da evolução do conceito de cidade, ainda vivemos em alguns aspectos seu lado província, onde todos se conhecem pelo nome, e onde a fofoca e o paroquialismo predominam.
      Trago três exemplos desse contraste da cidade moderna x burgo em nosso quotidiano de hoje em Cuiabá.
       O primeiro é o caso do requerimento de visita íntima feito pelo detento João Arcanjo Ribeiro, o Comendador. O fato foi imediatamente transformado em bizarro espetáculo, com a exposição da intimidade do preso, e também da sua "esposa" aqui fora. Apareceram especialistas em tudo para sustentar a tese de que a visita íntima se constituiria num privilégio sem tamanho. Não adiantou o contrato de união estável, válido para todo tipo de outra circunstância, já que há uma predisposição na opinião pública de condenar o comendador por tudo, negando-lhe, inclusive, aquilo a que tenha, eventualmente, direito líquido e certo.
      É verdade que eu deveria estar me ocupando dos cidadãos de bem, diria a consciência do senso comum. Mas é essa "consciência" do senso comum - uma falsa consciência na verdade, por estar eivada de preconceitos e deformações -, em geral a maior responsável pelas tiranias e distorções da realidade.
       O segundo é o triste caso daquela criança supostamente assassinada pela própria mãe no CPA. O senso comum fez várias vítimas, além da criança. O sistema de saúde do município foi a primeira. Depois, os filhos da babá e a própria. Até que finalmente houve a confissão da mãe. Apesar de que, à luz do direito, a simples confissão não a torna culpada de nada. Essa proclamação de culpa cabe a um tribunal. Mas o igualmente triste e lamentável na nossa cidade-província foi a nossa sanha de encontrar um culpado a qualquer custo, mesmo que isso tornasse vítimas pessoas inocentes.
    Finalmente, vejo outdoors espalhados pela cidade com o seguinte enunciado: a crise no sistema de saúde de Cuiabá não é culpa dos médicos.
     Ora, o médico é essencial ao sistema de saúde. Sem ele, não haveria sistema de saúde. É dele, portanto, a maior parte da responsabilidade, sim. Sobretudo levando-se em conta sua condição de líder nato do sistema, cabendo-lhe, em primeira e última instância, o bem estar do paciente.
     Não digo que é sua culpa. É preciso distinguir culpa de responsabilidade. A política de saúde é falha, se é que há de fato uma "política" de saúde. Os recursos, em muitos casos, são insuficientes. Mas, é fato também que o descompromisso com a saúde pública grassa em todo o sistema, do atendente, que atende mal, ao médico, que também tapeia o sistema, fechando a porta do consultório da rede pública para dormir de madrugada, enquanto as pessoas carentes aguardam nas filas ao relento; ou se utilizando do SUS apenas como porta de entrada para seus hospitais e consultórios particulares.
    Logo, não dá para negar a responsabilidade dos médicos quanto ao estado da saúde pública. E, nesse sentido, foi providencial a campanha de outdoors, ao menos para chamar a atenção da sociedade para definir o grau de responsabilidade de cada agente do sistema, de cada dirigente público, e também a dos cidadãos.
     Se bem que acho que no fundo isso já seria pedir demais. Talvez o melhor mesmo fosse colocarmos vidros cada vez mais escuros em nossos carros, ou nos fingir de cegos, para os que andam a pé, para não enxergar determinadas cenas do cotidiano citadino moderno, já que voltar aos burgos, simplesmente, não é mais possível.

Kleber Lima é jornalista pós-graduado em marketing (kleberlima@terra.com.br)

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Apoio entre opositores é pura falsidade

diego guimaraes 400 curtinha   O tão propagado apoio político recíproco entre os vereadores de oposição em Cuiabá, principalmente em relação ao futuro cassado Abílio Júnior, não é verdadeiro. Todos são concorrentes entre si. Tentam viabilizar suas...

Joaninha se afasta da Câmara de Sinop

joaninha 400 sinop vereador curtinha   O vereador por Sinop Joaninha (MDB), conforme a coluna Curtinhas adiantou, se licenciou do cargo por 60 dias para se recuperar do acidente que sofreu durante manobra na Competição Duelo de Motos, em Atibaia (SP). Enquanto isso, o suplente Mauro Garcia (MDB), ex-secretário de...

Manifestação de apoio deles para ele

elizeu nascimento 400 curtinha   Mesmo com o apoio dos deputados Elizeu Nascimento (foto), Xuxu Dalmolin e Ulysses Moraes que levaram até assessores, em pleno horário de expediente, a manifestação pró-Abílio na Câmara de Cuiabá foi considerada fraca. Investigado por quebra de decoro...

TCE cria estrutura para atender a AL

maluf 400 curtinha   A Assembleia Legislativa saiu de Guilherme Maluf (foto), mandando-o para o TCE, mas ele não saiu da AL. Alçado à presidência com menos de um ano na cadeira vitalícia, Maluf acaba de criar uma assessoria parlamentar para promover o intercâmbio com as comissões da AL e ainda um...

Cassação de Abílio depois do Carnaval

abilio junior 400 curtinha   Por mais que Abílio Júnior (foto) implore e grite por socorro, na esperança de escapar da cassação, inclusive se colocando como vítima de perseguição política, perderá mesmo mandato. Mas isso só vai ocorrer após o Carnaval. A...

PGR monitora delação de ex-deputado

jose riva 400 curtinha   Membros do alto escalão da Procuradoria-Geral da República, que rejeitou a proposta de delação de José Riva (foto) na esfera federal por causa de omissão de crimes, estão monitorando os bastidores do acordo de colaboração, agora entre o Ministério...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Na sua opinião, como está indo o Governo Bolsonaro...

excelente

bom

razoável

ruim

péssimo

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.